3 DICAS PARA UMA BOA GESTÃO ESTRATÉGICA FINANCEIRA

Em tempos de escassez de demanda e crise econômica, cada vez mais se percebe a importância de se gerenciar com maior competência os recursos de uma empresa. Seja para diminuir os custos e despesas da empresa, seja para otimizar os recursos e aumentar as receitas que ela tem, assim como aproveitar as oportunidades emergentes.
Apesar de gerarem impacto nas finanças da empresa, exige-se uma abordagem diferenciada para cada uma das situações. Em especial no que diz respeito ao tratamento e responsáveis dentro de uma empresa. Embora ambas venham refletir nos resultados financeiros, cada uma delas tem seu momento e situação para serem tratadas, a fim de se alcançar os melhores resultados para a empresa.

1ª Redução de custos e despesas:

Sintomas: em especial durante as crises internas, endividamento, baixa lucratividade, perda de mercado.

• Diagnóstico:
o departamento financeiro ou contas da empresa não estão bem organizados;
o Dados ou informações imprecisos para a tomada de decisão;
o Desequilíbrio financeiro;
o Limitação de liquidez e investimento;
o Nível alto de comprometimento financeiro da empresa.

• Solução:
o Identificação dos custos e despesas;
o Organização e devida classificação;
o Estabelecimento de controles financeiros;
o Tratamento e otimização.

2ª Otimização de recursos

• Sintomas:
o Incapacidade ou limitação de alcance dos objetivos;
o Pessoas ou recursos ociosos;
o Apatia empresarial;
o Baixa competitividade.

Powered by Rock Convert

• Diagnóstico
o Subutilização ou uso intensivo de apenas um recurso;
o Ativos ocultos ou omissos sem o devido tratamento;
o Falta de um tratamento estratégico sobre as finanças da empresa.

• Solução:
o Redefinição do uso de recursos;
o Identificação dos gargalos e pontos de melhoria;
o Reformulação de processos e procedimentos.

3ª aproveitamento de oportunidades

• Sintomas:
o Mercado e demanda crescente;
o Surgimento de novos segmentos e produtos;
o Alteração nas condições de mercado;
o Redução da participação no mercado.

• Diagnóstico
o Descompasso entre empresas e mercado;
o Produtos ou serviços desatualizados ou incoerentes com as expectativas/necessidades do mercado;
o Carência de produtos e serviços.

• Solução
o Definição de linhas de atuação;
o Reestruturação de produtos e serviços;
o Elaboração de plano de ação.

Cada uma dessas situações acima destacadas, merece um tratamento diferenciado. Desta forma, é fundamental que seja definida qual será escolhida para a definição do futuro da empresa. Para tanto é fundamental saber priorizar aquilo que deve ser feito na empresa. Existem diversas formas e ferramentas para isto, mas uma simples e prática para este fim, acaba sendo priorização por meio da análise da GRAVIDADE, URGÊNCIA E IMPORTÂNCIA.

Com isto elaborado é possível de se elaborar um plano de ações estruturadas e definição de estratégias para o alcance de resultados e objetivos esperados.

Autor

Fundador e CEO da Daexe Assessoria Executiva. Administrador e Especialista em BSC.

Deixe seu comentário: