Utilizando o processo de RH para escolher bons profissionais

O processo de contratação de um novo funcionário é uma etapa trabalhosa que requer muita atenção, isso porque escolher um currículo entre tantos que se candidatam a mesma vaga é uma tarefa bastante difícil.

Para fugir do erro na hora da escolher é importante a empresa saber o que espera desse novo funcionário e o que tem a oferecer para que o mesmo se desenvolva profissionalmente,  gerando bons retornos para a empresa.

O processo seletivo em pequenas empresas apresenta uma grande desvantagem em relação a empresas de grande porte, estas por sua vez, contam com a estrutura de um setor de recursos humanos ou então, com a contratação de serviços terceirizados nesta tarefa. Já em empresas pequenas na maioria das vezes esta responsabilidade fica por conta do próprio empresário que com tantas outras responsabilidades tende a escolher com rapidez, que acarreta muitas vezes em escolhas equivocadas.

Visando a rapidez no processo seletivo, muitas vezes contrata-se familiares, amigos de amigos e pessoas conhecidas, sem levar em conta as experiências, aptidões e o que estes profissionais podem somar para sua empresa. Muitos consideram apenas o fator facilidade, o que pode ser prejudicial em aspecto econômico e produtivo.

Por isso, o ideal é ter calma e criar critérios na hora de abrir um processo seletivo para que se faça com mais assertividade e poupe incômodos futuros.

Algumas dicas de como contratar:

DIVULGAÇÃO NOS LUGARES CERTOS

O empresário tem que ter em mente a importância de que ter pessoas diferenciadas ao seu lado contribui para o crescimento de sua empresa. A maneira apropriada para isso é a divulgação em lugares certos de acordo com a disponibilidade de seus recursos. Existem muitas ferramentas na internet para se fizer isso, como bancos de currículos gratuitos, redes sociais etc.

SER CLARO E OBJETIVO DURANTE A ENTREVISTA

Durante a entrevista de contratação tem que ficar claro para o candidato o que a empresa está buscando, quais são seus valores, quais as atribuições que a pessoa escolhida irá desempenhar, o que a empresa avalia de importante na conduta de um funcionário, quais são os benefícios que a empresa oferece, qual a possibilidade de crescimento profissional que dispõe etc.

Tem que ser apresentado de forma objetiva e clara, para que o candidato escolhido entenda perfeitamente as suas obrigações e analise se está disposto a aceitar o desafio.

CONHECER O PASSADO E IDENTIFICAR POTENCIAIS PARA VAGA

Neste momento é importante também ouvi-lo, saber o que está buscando no mercado, quais são seus planos para o futuro e procurar saber o quanto ele está disposto concretizar seus objetivos e se isso tem relação com atividade que irá desempenhar dentro da empresa.

Conhecer também o que ele já desenvolveu nos trabalhos passados é muito importante, saber quais foram suas vitórias profissionais e foram suas dificuldades e como superou.

Reconhecer se os valores do candidato estão alinhados com os valores da empresa, um quesito fundamental na hora de definir por quem escolher.

NÃO CONTRATAR COM CORAÇÃO

Evitar o erro mais comum que a contratação pelo coração e não a razão

Na hora de escolher tem que levar em conta as experiências ou a potencialidade do candidato, isso se torna fácil se a empresa tem sua lista de critérios bem estabelecida. Usar a razão ao invés do coração aumenta muito a chances de escolher o candidato ideal.

DAR ATENÇÃO DEVIDA AO NOVO FUNCIONÁRIO

Depois de escolher o melhor candidato no processo seletivo, a etapa seguinte é a contratação. Mas a tarefa não se encerra ai, tem que preparar este novo funcionário dentro das atividades que irá desempenhar.

É comum o erro de acreditar que o funcionário tem muita experiência na função, porque já o desenvolveu outras vezes, que este irá tirar de letra e sozinho toda a atividade da empresa.

Cada empresa por mais semelhante que seja tem suas particularidades, por isso, tem que ter treinamento antes de delegar a tarefa para que o novo funcionário a faça sozinho.

O grande benefício disto está no fato de transmitir organização e faz com que ele se sinta mais confiante para iniciar suas atividades, já que entenderá de fato o que é para ser feito e como fazer.

ANALISAR BEM DURANTE O PERÍODO DE EXPERIÊNCIA

Mesmo cuidando todos os critérios na hora de contratar pode acontecer que o funcionário não se adapte a função ou a cultura da empresa, ou até mesmo que não tenha sido escolhido o candidato ideal. Isso deve se analisado durante o período de experiência.

Muito importante realizar um acompanhamento se as atividades estão sendo bem desenvolvidas e se o funcionário está cumprindo todas as normas da empresa, se não estiver não se pode deixar para concluir isso após período de experiência, o que vai gerar custo para um inevitável desligamento e mais perda de qualidade nas funções desempenhadas, o que é muito ruim para empresa.

Deixe seu comentário: