spread bancário

Spread bancário: saiba no que ficar atento ao tomar empréstimo empresarial

Powered by Rock Convert

Um dos termos muito utilizado por quem realiza operações financeiras é o Spread Bancário. Se você nunca ouviu falar, saiba que é muito importante conhecer, principalmente se costuma buscar por empréstimo empresarial.

O spread bancário representa a diferença entre as taxas de juros cobradas pelos bancos ao oferecer um empréstimo e o retorno da taxa de juros de captação.

spread bancário

Precisa de uma solução efetiva e profissional para a gestão da sua empresa? Agende uma ligação com um assessor e descubra tudo que a Daexe pode fazer por você!

 

Para ficar mais claro, veja o seguinte exemplo: ao aplicar seu dinheiro na poupança você receberá uma taxa de juros de 5% ao ano, mas para solicitar um empréstimo, no mesmo valor, o banco lhe cobra 20% de juros ao ano. Portanto o spread bancário nesta operação é de 20% menos 5%, ou seja, totaliza 15%.

Quanto maior for essa diferença, ou seja, o spread bancário, mais caro serão os juros cobrados dos clientes que solicitam empréstimo, por exemplo.

Mas além dessa diferença existem outros 5 custos que definem o spread bancário e é justamente neles que você deve ficar ainda mais atento:

 

Conheça os fatores que determinam o cálculo do spread bancário: 

 

Margem de segurança devido à inadimplência:

Infelizmente o Brasil tem uma taxa de inadimplência muito alta, em relação aos outros países. Em março de 2019, 63 milhões de consumidores brasileiros não conseguiram arcar com suas dívidas, como mostra um levantamento feito pelo Serasa.

Portanto a instituição financeira, ao oferecer um empréstimo, inclui nas suas taxas de juros uma margem de segurança.

Este é um dos fatores que eleva o spread bancário quando você solicita um empréstimo.

 

Lucro 

Certamente realizar empréstimo gera custos não só para o cliente, mas também para o banco. Mas ele coleta o seu lucro de forma direta e simplificada.

As instituições gastam com funcionários, insumos, manutenção de agências, caixas eletrônicos, tecnologia e outras despesas características da atividade.

Mas esse percentual é embutido no spread e em alguns casos podem representar mais de 30% da taxa de spread.

*Além de pagar esses custos e manter a estrutura da economia, o banco também inclui ao spread bancário, seu lucro.

 

Custo administrativo 

O custo administrativo de um banco é muito alto, pois existem diversas despesas com funcionários, aluguel, recursos tecnológicos e muito mais.

Todas essas despesas entram no custo administrativo e consequentemente são inseridos no valor do spread bancário.

Por não ter alguns desses custos, que algumas fintechs e bancos digitais conseguem disponibilizar para seus clientes propostas de empréstimo mais vantajosas.

Como não há um espaço físico, os custos diminuem, sendo possível oferecer empréstimos e outros serviços com taxas menores comparadas a outras instituições financeiras.

 

Impostos e tributos

Assim como pessoas físicas, os bancos também pagam por impostos, e eles influenciam muito no spread bancário. Uma vez que o Imposto de Renda (IR), a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e outros são considerados sobre o spread.

Powered by Rock Convert

É importante lembrar que o spread bancário não inclui o Imposto sobre Operação Financeira (IOF).

 

Compulsório e encargos 

O depósito compulsório, que é um depósito obrigatório feito pelos bancos e o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), também não são embutidos no spread bancário.

 

Juros e inflação 

O spread bancário no Brasil acompanha a taxa básica de juros, a Selic, que determina quanto de rendimento um investidor terá. Ou seja, quanto menor for a taxa básica de juros, menos os bancos pagarão de rendimento aos investidores.

Além disso, a inflação interfere muito no rendimento do investimento. Por exemplo se você investir e tiver um rendimento de 5% ao ano, é irrelevante se o preço das despesas e consumos aumentar em 10%.

 

Concentração bancária 

Além desses fatores, no Brasil o spread acaba sendo mais alto, pois aqui há uma concentração muito grande do setor bancário e a privatização desses bancos.

Isso faz com que os bancos não sejam pressionados pela alta concorrência, como acontece em outros lugares do mundo.

É justamente por isso que os valores de taxas e spread de um banco no Brasil é muito parecido com os demais.

 

Por que você deve estar atento ao spread bancário quando solicitar um empréstimo? 

Como você pode ter percebido no texto, o spread bancário é muito alto e pode influenciar diretamente no valor total que deverá pagar seu empréstimo. Isso vale tanto para empréstimos pessoais, como empresariais.

Portanto ao optar por um empréstimo esteja atento às taxas de juros, ao spread bancário e ao Custo Efetivo Total (CET).

Outro ponto muito importante é que se decidir investir seus recursos, escolha uma instituição que lhe ofereça um bom rendimento. A pesquisa é totalmente crucial, ainda mais na hora de investir seu dinheiro.

 

A categoria de empréstimo influência no spread bancário? 

Normalmente os bancos definem o crédito de acordo com o tipo de recurso, a finalidade e ao perfil do tomador do empréstimo. Isso definirá qual é a possibilidade de empréstimo e quais serão suas características, como juros, prazo etc.

Da mesma forma acontece com o spread bancário, ele pode diminuir dependendo da modalidade do empréstimo e para qual público está direcionado.

Por exemplo, é comum que em empréstimos para pessoa jurídica, ou seja, empresarial, o spread seja maior comparado a um empréstimo para pessoa física.

 

Cuidados que você deve ter antes de solicitar um empréstimo empresarial: 

  • Defina um valor exato e a finalidade que dará ao dinheiro;
  • Separe toda documentação necessária;
  • Faça simulações em diferentes instituições e bancos;
  • Cogite também as diferentes modalidades de empréstimos;
  • Busque o empréstimo correto para o porte da sua empresa;
  • Tenha um controle financeiro, para que o valor das parcelas do empréstimo seja pago apenas com recursos da sua empresa;
  • Pesquise e opte pelo crédito que tenha o spread bancário menor;
  • Escolha a opção com a taxa de juros e CET mais baixa;
  • Se necessário, busque por prazos mais longos para pagamento das parcelas.

 

Se estiver na dúvida sobre qual empréstimo solicitar e como garantir melhores condições de negociações, converse com um de nossos assessores. Desta forma você encontra as melhores dicas, e terá a certeza que optará pela melhor proposta de empréstimo.

Você também pode deixar um comentário ao final da matéria contando pra gente se em alguma vez, quando foi solicitar um empréstimo se atentou ao Spread Bancário?

Author Details

Sou Ewerton Geniseli, jornalista apaixonado por contar histórias e buscar novos conhecimentos para transformá-lo em conteúdo de qualidade e fácil entendimento ao leitor.

Tenho 27 anos e sou formado pela Universidade Anhembi Morumbi. Acredito que uma comunicação feita de forma mais humanizada pode ser um grande diferencial no mundo.

Deixe seu comentário:
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *