Metodologia 5S – Veja a sua importância e porque implementar na sua empresa

Já conhece a metodologia 5S ? E como ela é utilizada? Leia este artigo e entenda porque ela é importante dentro de uma organização.

 

O que é o 5S ?

Primeiramente, é preciso explicar que 5S são cinco palavras que vem do japonês os quais formam as iniciais desta metodologia. Elas são: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke, que traduzidas para o português significa senso de utilização, senso de ordenação, senso de limpeza, senso de asseio e senso de auto disciplina.

Sendo assim, foram desenvolvidas com o objetivo de que as empresas pudessem de forma eficaz compreender, capacitar e apresentar bons resultados. Sua aplicação é baseada em ideias simples e que pode estar trazendo diversos benefícios.

Diante disso, este é um programa que pode ser implementado no planejamento estratégico para que alguns aspectos relacionados possam apresentar a melhoria necessária.

1º SENSO – UTILIZAÇÃO (SEIRI)

Primordialmente, o primeiro 5S vem do senso de utilização, este tem como objetivo tornar o trabalho mais útil e menos poluído. Isso se refere tanto ao visual como ao espaço.

Assim sendo, separe tudo que é indispensável ao serviço, eliminando o desnecessário. Veja como fazer:

  • De uso constante: coloque os materiais e equipamentos que você usa freqüentemente bem próximo de você (mesa, bancada, máquina, etc) de forma organizada e de fácil acesso.
  • Ocasional: o que não for usado diariamente coloque um pouco afastado de você, podendo ser guardado em armários, prateleiras, arquivos, em pen drive ou devolvido ao almoxarifado.
  • Uso raro, mas necessário: coloque os materiais, documentos, equipamentos separados, identificando-os num local determinado.

O material desnecessário para o setor pode ser encaminhado para o Arquivo Central, Almoxarifado ou descartado corretamente.

BENEFÍCIO: Se ganha espaço físico e perde-se menos tempo em procurar objetos.

Dessa forma, eliminam-se materiais sem uso e em excesso, além de combater o desperdício e diminuir os acidentes.

Leia também: Por que pensar em planejamento é pensar no sucesso do seu negócio

2º SENSO – ORDENAÇÃO (SEITON)

O segundo senso se refere a ordenação ou organização, sendo que é uma continuação do primeiro, mas agora é a fase da simplificação.  Praticando esse senso, você perceberá que, com tudo organizado e identificado em seu devido lugar a vida se torna mais fácil.

  • Padronize os nomes e coloque etiquetas adequadas nos materiais, objetos, documentos, equipamentos, pastas, arquivos, gavetas, bancadas, etc.
  • Exponha todos os pontos críticos, como: locais perigosos, máquinas que exigem atenção especial, proibido fumar, etc.
  • Coloque cada objeto no local adequado e identificado (quadro de ferramentas, prateleiras, arquivos, etc), pois isso facilitará encontrá-lo quando for preciso.
  • Utilize faixas e placas de sinalização para delimitar os locais de trabalho e os corredores.
  • Mantenha em ordem as bancadas, mesas e a área de trabalho. Não deixe objetos espalhados durante a execução do trabalho.
  • Após o trabalho, não deixe no local objetos espalhados, restos de materiais, sucatas, etc.
  • Sinalize os extintores de incêndio, colocando em local adequado, identificado e deixando a passagem livre.
  • Mantenham limpos, organizados e fechados os armários do vestiário.
  • Não deixe papéis, cartazes, folhas, etc, coladas nas paredes. Use somente o quadro de avisos.
  • Utilizar corretamente os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

BENEFÍCIO: Ganha-se tempo, diminui-se o cansaço físico por movimentação desnecessária, possibilita-se uma evacuação rápida em caso de perigo, rapidez e facilidade para encontrar algum objeto, além de diminuir acidentes.

3º SENSO – LIMPEZA (SEISOU)

Já o senso de limpeza como o próprio nome já diz, consiste na limpeza do ambiente de trabalho, por meio de uma investigação. Ou seja, verificando aquilo que gera sujeiras e imperfeições.

Desse modo, cada Colaborador deve limpar a sua própria área de trabalho e evitar sujar.

  • Não deixe óleo, sujeira, papel, sucata, etc no chão.
  • Não deixe existir vazamento nos equipamentos.
  • Varra todos os dias seu local de trabalho.
  • Recolha lixos todos os dias.
  • Limpe os equipamentos e ferramentas após usá-los.
  • Mantenham limpos os armários do vestiário.
  • Limpe computadores, telefone, armários e demais equipamentos diariamente.
  • Devolva as ferramentas limpas para o almoxarifado, para serem usadas por outro colaborador.

BENEFÍCIO: Purificação dos locais de trabalho, boa aparência, diminuição de doenças e acidentes.

“Não arruma-se a casa só quando vai receber visitas, e sim todos os dias”.

4º SENSO – ASSEIO (SEIKETSU)

Senso de asseio ou padronização consiste na manutenção dos outros para garantir as constantes melhorias.

Refere-se ainda à preocupação com a própria saúde física, mental e emocional. O colaborador deve ter plena consciência dos aspectos que afetam a sua própria saúde.

  • Pratique os 3 sensos individualmente e diariamente.
  • O local de trabalho deve estar bem iluminado e ventilado.
  • Use o uniforme limpo e asseado (Consulto o Manual PEC).
  • Mantenha a boa aparência física, cabelos cortados, unhas aparadas, etc.
  • Mantenham limpos os vestiários, banheiros, salas, refeitórios, auditórios etc.

BENEFÍCIO: Melhora-se o ambiente de trabalho e a produtividade, previnem-se doenças, diminui-se o stress e ainda se traz segurança e boa aparência aos colaboradores.

Veja também:Entenda o que é e como funciona a estratégia Account – Based Marketing

5º SENSO – AUTO DISCIPLINA (SHITSUKE)

Ao chegar no senso de auto disciplina significa que o programa está caminhando perfeitamente.

Pois, descartamos o desnecessário, organizamos o que usamos, limpamos nosso local de trabalho, e nos mantemos limpos, então, não podemos relaxar e deixar bagunçar tudo novamente. Esse senso nos disciplina a cumprir as regras e acertos já feitos.

Se somos desorganizados, mudar é difícil e leva tempo, mas os resultados compensam.

Para praticar o 5 S, devemos ter os seguintes atributos humanos: humildade, confiança, respeito, espírito de equipe e bom humor.

  • Compartilhar visão e valores.
  • Melhorar a comunicação em geral.
  • Ter respeito com o colega de trabalho.
  • Ter criatividade e buscar melhorias para o trabalho.
  • Praticar todos os 5 S, diariamente.

BENEFÍCIO: Melhoria contínua no âmbito pessoal e organizacional, auto inspeção e auto controle.

“Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.

 

Portanto, a metodologia 5S é uma ferramenta que quando utilizada colabora para criação a cultura de disciplina. O qual ainda permite identificar problemas e gerar oportunidades de melhorias para empresas, levando à todos maior compreensão do seu papel na organização.

Devido à isso, as vantagens geral de aplicar o programa 5s são:

  • Melhor qualidade, produtividade e segurança no trabalho;
  • Trabalho diário agradável;
  • Melhoria nas relações humanas;
  • Valorização do ser humano;
  • Cumprimento dos procedimentos operacionais e administrativos;

Assim também, proporciona melhoria na qualidade de vida dos colaboradores não apenas no profissional como também no pessoal.

 

A Importância de um Organograma Para as Empresas

A saber, organograma é uma ferramenta muito utilizada nas empresas para auxiliar na estruturação dos negócios. Deixando os processos e funções desempenhadas pelos funcionários de forma mais clara e objetiva. Quer entender melhor sobre isso? leia e saiba mais no nosso artigo.

 

O que é Organograma?

Primeiro de tudo, é preciso explicar que organograma é uma representação gráfica que ilustra, de modo simplificado, a estrutura hierárquica de uma instituição, seja ela uma empresa, um órgão público, uma associação, dentre outros. Sua principal característica é demonstrar como se compõem os cargos, as funções, os setores e além disso serve também como instrumento de comunicação.

Desse modo na formação da sua estrutura é possível apresentar desde o cargo de presidente até o menor nível operacional, sendo divididos por cadeias hierárquicas. E partir disso, é delimitado as responsabilidades e limites dentro da empresa. Não é costume utilizar nele o nome de cada um dos colaboradores e sim cada cargo ocupado, ou dividir por setores.

Leia também:Planejamento e Organização do Departamento Financeiro Como Fazer?

Os Formatos de um Organograma

Primordialmente existem diferentes formatos de organogramas, mas todos possuem os mesmos componentes importantes. E com o mesmo objetivo para poder entender melhor a estrutura dentro da empresa. Vejamos a seguir quais são eles:

Linhas de Comunicação – são linhas contínuas que interligam cargos ou áreas da empresa. Essa linha indica que existe uma hierarquia direta entre esses departamentos.

Unidades de Trabalho, cargo ou área – são as caixinhas. Nelas que você vai escrever quem está sendo representado

Hierarquia – em geral a linha de hierarquia funciona de cima para baixo, da esquerda para a direita ou de dentro para fora.

Divisão Horizontal do Trabalho – Cargos ou áreas em uma mesma linha indica que tem nível hierárquico similar.

Passo a Passo para Elaboração

De conformidade, para estar facilitando a elaboração de um organograma seria de suma importância seguir alguns passos que auxiliaram neste processo.

1º Passo: Separe as funções exercidas por cada um dos funcionários da sua empresa. Isso é importante porque nas empresas menores é comum que uma única pessoa assuma diferentes cargos.

2º Passo: Assinale quem está no comando de cada setor e quem lidera o nível estratégico. Uma boa dica é separar cada nível hierárquico por uma cor diferente.

3º Passo: Depois é hora de oficializar o documento com o setor administrativo e todos os colaboradores. Para melhor absorção, é essencial que o organograma seja colado em um local visível e acessível para todos os gerentes e funcionários.

Como Montar o Organograma da Minha Empresa?

Certamente essa deve ser a dúvida de muitas pessoas sobre como estar montando a estrutura de um organograma, qual programa ou ferramenta para se utilizar.

Neste caso, pode utilizar por exemplo o Excel, inclusive é um dos programas mais usados para fazer isso. Já que o próprio possui até mesmo modelos prontos, que podem facilitar ainda mais esse processo e principalmente para quem não domina esta metodologia.  Além disso, também pode ser feito por meio de ferramentas de gestão ou online ou aplicativo.

Entretanto, lembre-se que a pessoa que for montar a estrutura e organizá-la deve conhecer muito bem cada área da empresa. Ou seja saber quem são funcionários e o departamento de cada um deles, para que não aja erros.

Vantagens:

  • Informações organizadas
  • Visão sistêmica
  • Mostra os pontos de melhoria e os pontos de qualidade
  • Envolvimento dos colaboradores
  • Processos padronizados

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

CRM o que é e porque implementar?

Já ouviu falar no termo CRM? Sabe o que o significa e a sua importância? Neste artigo estaremos explicando tudo que precisa saber sobre o CRM e ainda como estar implementando na sua empresa.

 

O que é CRM?

Antes de mais nada, CRM é um termo em inglês Customer Relationship Management que  traduzido significa Gestão de Relacionamento com Cliente. Para entender melhor, são conjunto de estratégias de negócios criadas para interação entre cliente e empresa. Que tem como objetivo entender e antecipar as necessidades dos clientes.

Dentro da gestão de relacionamento com o cliente engloba áreas como de organização, marketing, vendas e serviços de atendimento. São utilizados recursos tecnológicos a fim de organizar, automatizar e sincronizar planos de negócios. Para que possa atrair novos clientes, fidelizar os atuais clientes e trazer de volta os antigos.

Dessa forma, os sistemas de CRM são organizados em software, que são capazes de armazenar hábitos, preferências, tendências de consumo e expectativa dos clientes. Com os dados necessários é possível criar uma série de estratégias para agradar seu público-alvo de maneira personalizada.

Porém, obter essas informações não é nada fácil, mas existe algumas formas de conseguir  utilizando ferramentas como e-mail marketing, landing pages e aplicativos.

Adotando a estratégia de CRM é possível adquirir benefícios como: compreender o cliente, fidelizá-los, atrair novos e aumentar a lucratividade.

Sendo assim, segundo uma pesquisa da Salesforce as aplicações de CRM podem ajudar a aumentar as vendas em até 29% , a produtividade de vendas em até 34% e a precisão da previsão de vendas em 42%.

Assim também, ainda em uma outra pesquisa esta da Capterra 47% dos usuários de CRM identificados disseram que seu sistema teve um impacto significativo na retenção de clientes, e uma porcentagem igual diz que seu CRM teve um impacto significativo na satisfação do cliente.

Leia também: Customer Success: Entenda como realizar o sucesso do cliente

Para criar e manter um bom CRM é importantíssimo utilizar três pilares:

  • Pessoas –  Primeiramente, Todas as pessoas que trabalham na organização devem contribuir para que o resultado seja o melhor possível. Criando experiências de compra diferenciada para os clientes. É preciso manter o foco no cliente, estimular a cooperação entre setores.
  • Processos – É preciso deixar os processos alinhados para que toda a organização trabalhe em sinergia, sempre entregando o que foi prometido.
  • Tecnologia – Importante aliada para otimizar os fluxos de trabalho e para facilitar a rotina dos profissionais dentro da empresa. Quando se trata de atendimento ao cliente é imprescindível o uso de e-mail e redes sociais.

 

Passo a passo para sua implementação

Identificação

Primeiro de tudo,  é identificar seu cliente com informações do tipo onde ele mora, suas preferências, necessidades, como prefere que seja a forma de contato, interações com a empresa. Ou seja, procure obter o máximo de informações, mas cuidado para não fazer as mesmas perguntas ou perguntas evasivas.

Diferenciação

Seguidamente, com os dados coletados é hora de diferenciar os clientes. Essa diferenciação deve ser feita entre clientes de maior valor e clientes de maior potencial. Depois disso é buscar como cliente tem interagido, suas sugestões e reclamações, para entender quais são as suas expectativas para o negócio. Essas manifestações que irão orientar as ações.

Incentivo a interação

Depois de conhecer o público é hora de influencia-lo a interagir com a empresa. Personalize brindes, produtos e serviços oferecidos para o consumidor, fazendo com que ele continue interessado em seu negócio.

Personalização

Por fim, com todas essas informações reunidas sobre as necessidades dos seus clientes, agora é personalizar os produtos de acordo com as necessidades de cada um. O importante é fazer que essa experiência seja única para ele. Faça como um ciclo de retroalimentação, para que sejam oferecidos aos clientes benefícios que eles desejam e na hora que ele quiser.

 

Os Tipos de CRM

Operacional

Primordialmente, é a aplicação da tecnologia de informação para melhorar a eficiência do relacionamento entre clientes e a empresa. Estão entre os produtos de CRM operacional as aplicações de automação de força de vendas (SFA), automação de canais de venda (SCA), sistemas de e-commerce e call centers. O operacional prevê a integração de todos os produtos de tecnologia para proporcionar o melhor atendimento ao cliente.

Analítico

Sobretudo permite identificar e acompanhar diferentes tipos de clientes (entre CMV’s, CMP’s e mesmo BZ’s) dentro da carteira de clientes de uma empresa e de posse destas informações. Ainda também, determina qual estratégia seguir para atender as diferentes necessidades dos clientes identificados. Normalmente utiliza recursos de datamining para localizar os padrões de diferenciação entre os clientes.

Colaborativo

É a aplicação da tecnologia de informação que permite a automação e a integração entre todos os pontos de contato do cliente com a empresa. Esses pontos de contato devem estar preparados para interagir com o cliente e disseminar as informações levantadas para os sistemas do CRM Operacional.

Veja mais:A importância da inteligência competitiva para a sua empresa

Áreas de atuação do CRM

Marketing

Nada mais é que cadastrar os clientes, segmentá-los por tipos e ajudar a conhecer seus históricos de interação com a empresa. A partir disso, é possível conhecer melhor os clientes e saber exatamente o que desejam. E assim, poder customizar as ofertas de acordo com os tipos de clientes.

Vendas

A saber, permite analisar o pipeline de vendas, quantas transações entraram e estão fluindo pelo funil de conversão e até fazer previsões de fechamento. Além de gerenciar a força de vendas, direcionar esforços, tomar decisões e ainda, verificar quais etapas da jornada de vendas sua equipe é melhor ou pior.

Atendimento e Pós-vendas

Permite ter um módulo para atendimento de chamadas de suporte ou reclamações e contactar o cliente para pedir feedback.

 

Cases de sucesso – Benefícios do CRM

Alliate Seguros

Eusébio Garcia, sócio da Alliate conta que, “A personalização para o nosso negócio contribui muito para as ações e decisões estratégicas. O prospect percebe que você tem 100% do controle da negociação. Demonstra organização e respeito ao futuro do cliente. Internamente, facilita o dia a dia de nosso time, além de motivá-lo, já que permite melhores resultados”

Grupo PZM

Um dos executivos da marca fala que, “Com a globalização da economia, temos que ser mais eficientes em nossas estratégias. Para isso, devemos ter um controle e acompanhamento mais próximos de nossos prospects. O sistema nos ajuda a acompanhar de perto as necessidades de nossos clientes, possibilitando assim, estratégias de marketing mais adequadas”.

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Branding

Branding a Gestão das Marcas Veja Como Fazer

Você costuma fazer a gestão da sua marca? Veja e entenda o qual isso é importante.  E ainda o que é Branding e como fazer.

O que é Branding?

Branding ou brand management são conjunto de ações que trabalham a gestão da marca, com estratégias que envolvem alinhar o posicionamento, valores e o propósito da marca. Sendo que, o principal objetivo com tudo isso é buscar mais reconhecimento e tornar-se mais forte no mercado. Com intuito de que o público-alvo admire e deseje ainda mais aquela marca.

Já dizia Seth Godin: “Uma marca é um conjunto de expectativas, memórias, histórias e relacionamentos que, juntos, são responsáveis por fazer o consumidor escolher um produto ou serviço em vez de outro.”

Em outras palavras, a sua marca pode certamente ser um dos fatores que influenciam o consumidor no processo de decisão de compra. Por isso, é muito importante que se trabalhe muito bem a construção de uma marca. Certamente isso vai desde o logotipo na escolha das fontes, cores, formato, etc, até a construções das ações aonde fazer, como fazer, etc.

 

Porque o Branding é Importante?

Primeiramente, você já parou para pensar quantas vezes comprou algo por causa da marca? Ou viu alguém fazer isso?

Ou ainda quando se fala de algum produto ou serviço, já se tem em mente alguma marca que represente aquilo. E também que esta marca será a primeira fonte de pesquisa.

Por exemplo Refrigerante: Coca-Cola, Tênis: Nike ou Adidas, Lanche: Mc Donalds, Tecnologia: Apple ou Samsung, Cartão de crédito: Mastercard ou Visa, dentre outros.

Além disso, dados também comprovam o quanto é importante fazer a gestão de uma marca.

Segundo uma pesquisa realizada por Ana Couto Branding, 67% dos entrevistados disseram que estão dispostos a comprar um produto que a marca se conecte com eles por meio de um propósito comum, mesmo que para isso tenha que pagar mais caro.

Entendeu o tanto que se faz importante o Branding na sua empresa.

Leia também:Customer Success: Entenda como realizar o sucesso do cliente

E como fazer a gestão da marca?

Antes de mais nada, você sabe exatamente o que é uma marca? Saiba que a marca não é apenas o logotipo da empresa ou ainda identidade visual, e sim tudo que envolve aquilo que venha representar o que é a empresa.

Como por exemplo o Slogan, os sons que possuem durante uma peça publicitária, jiggles, cores, formas tipografia etc, ou seja, é tudo aquilo que te faz único e que justamente faz lembrar a marca.

Mas e agora como fazer a gestão da marca?

Primeiramente, construa ou ainda reformule a sua marca se necessário. O logotipo, as cores, slogan, identidade de visual (manual), tipografia e outros devem estar interligados e serem criados a partir de estudo e planejamento.

Crie um posicionamento ou o reformule, a partir dos valores criados. Dessa forma, poderá estabelecer uma linguagem padrão e quais os canais serão os melhores para estar sendo utilizado. Sem esquecer de um bom conteúdo que atenda todas as necessidades, valores e repasse o posicionamento.

Desenvolva o ponto de venda do seu produto (PDV) também fará parte do Branding. Ele deve ter uma boa exposição tanto em loja física ou virtual. Busque gerar uma conexão entre produto e consumidor, sem esquecer claro da identidade visual e seu posicionamento.

Utilize a estratégia do Marketing de Conteúdo é efetivo e envolve o público-alvo e ainda reforça os valores. Isso pode ser feito por meio de textos, artigos, e-books, infográficos, webinários, estudo de caso, guias, depoimentos, White papers, releases, newsletter, dentre outros. Geralmente postados em blogs, sites ou redes sociais.

Use também as redes sociais, atualmente não dá para se pensar em ações de marketing sem que aja pelo menos uma rede social como parte da estratégia. É um dos mais importantes canais de interação, faça posts, responda comentários, aproveite para usar sua identidade visual (cores, conteúdos). E lembre-se do posicionamento da sua marca.

Branding

Outras estratégias interessantes é o marketing promocional como aqueles que oferecem algo em troca de uma relação com o cliente e de quebra ainda é possível que ele esteja divulgando sua marca, como exemplo os brindes principalmente os copos.

O marketing de experiência que promove uma conexão maior entre produto e consumidor, um exemplo é o test drive que as concessionárias de carro promovem, para que o cliente possa se sentir como é o carro.

Veja também:Entenda o porquê fazer Publicidade Online

Benefícios do Branding

  • Tornar a empresa mais efetiva
  • Cria posicionamento da marca
  • Diferencia a marca da concorrência
  • Assegura valor ao negócio
  • Direciona as ações
  • Conquista clientes mais qualificados
  • Facilita o trabalho da área de marketing

 

Cases de Sucesso

Nike

Para conquistar o patamar em que se encontra atualmente, a Nike investiu (e continua investindo) muito no patrocínio de eventos esportivos.

Além disso, também desenvolve comerciais para a televisão, como o mais recente, que tem como estrela o atleta Michael Jordan dando saltos em câmera lenta, mostrando como os tênis da marca são confortáveis para as práticas esportivas.

 

Coca – Cola

Além de uma identidade visual consistente há mais de um século, a mensagem pregada pela marca também é a mesma: felicidade. Essa palavra está sempre presente nas campanhas em frases como “momentos felizes”, “abra a felicidade”, “fábrica de felicidade”, etc.

A Coca-Cola também está ligada a causas sociais, principalmente em datas como o Natal e eventos esportivos.

No Natal, suas embalagens assumem uma decoração especial, mas o principal destaque vai para o caminhão que leva mais do espírito natalino às ruas.

 

Apple

A sua estratégia de branding está o “Think Different”, transparecendo que a inovação é e sempre será um dos seus principais valores. E um dos destaques da sua estratégia de branding é que a Apple entrega o que o consumidor deseja.

E cada ano, sua legião de admiradores aguarda os lançamentos.

Em Colônia, no oeste da Alemanha, a fila dobrou a esquina desta loja da Apple na manhã desta sexta-feira, 3. Os consumidores esperavam para comprar o novo iPhone X, lançado em 50 países incluindo a Alemanha, onde o aparelho chega pelo equivalente a R$ 4.400.

Também como parte da sua estratégia, cada item apresentado leva a letra “i” em seu início: iPhone, iPod, iPad, iWatch.

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Como utilizar os gatilhos mentais na sua estratégia

Gatilhos mentais são estímulos recebidos no cérebro que influenciam diretamente na tomada de decisão. Você já utiliza nas suas estratégias? Se ainda não, leia este artigo e veja como está incluindo esta importante ferramenta.

O que são gatilhos mentais?

Como já foi dito anteriormente são estímulos recebidos pelo cérebro que por meio de eventos e ações produzem sintomas emocionais como alegria ou necessidade por exemplo. E com isso fazem as pessoas tomarem alguma atitude.

Ou seja, isso quer dizer que o cérebro é um influenciador nas tomadas de decisões. Sendo assim, o marketing utiliza dos gatilhos mentais como armas psicológicas para criar uma necessidade em quem recebe uma mensagem.

Esses gatilhos são ótimas estratégias para engajamento de pessoas para sua empresa. E ainda, pode acabar de vez com aqueles questionamentos que surgem advindo da parte racional do consumidor.

São vários os tipos de gatilhos mentais que podem serem utilizados, veja quais deles pode ajudar na sua estratégia, mas tome cuidado use com ética e cautela.

Veja também: A importância da inteligência competitiva para a sua empresa

Os tipos de gatilhos

Escassez

Muito utilizado principalmente por grandes empresas com o objetivo de produzir necessidade, a partir de promoções com o tempo limite, promovendo a urgência de compra.

Com frases de efeitos como “vai acabar amanhã …, só existe x número de vagas …, são as últimas peças …, não perca essa oportunidade …”, e dentre muitos outros.

Reciprocidade

Ótimo gatilho para quem utiliza Inbound Marketing, pois o objetivo é que o consumidor tenha em mente que a empresa se importa com ela. E desta forma ela vai querer “retribuir” isso de volta pra empresa.

Urgência

Muito parecido com o da escassez, porém o objetivo deste se refere ao tempo. Como por exemplo produtos com edições limitadas, a Black Friday, ofertas com datas para terminar, entre outros. Assim, dessa forma estará gerando uma certa urgência na mente do consumidor para que ele adquira determinado produto ou serviço.

Urgência e escassez são bons gatilhos para serem utilizados juntos.

Autoridade

Importante para quem deseja criar um bom gerenciamento de marca, e cria isso a partir de frases, slogans, etc que demonstram que a empresa é a maior nesse ramo ou autoridade no assunto por exemplo.

Prova Social

Esse se trata de provar, demonstrar ou mostrar que o produto ou serviço é bom, de qualidade e confiável, e ainda que é utilizado e recomendado por muitas pessoas.

Pode ser feito principalmente por meio de depoimentos de clientes, pessoas que sejam influência na área, especialistas no assunto, dentre outros.

Novidade

O novo certamente desperta curiosidade, além de gerar muita expectativa. Empresas de tecnologias como as de celulares utilizam bastante deste gatilho.

O prazer é a principal sensação liberada quando se está à frente de uma novidade, aumentando assim também o desejo de possuir aquilo.

História

Uma boa história sempre chama atenção, devido a isso permite que se crie uma identificação e aproximação do seu público. Mexe com as emoções e ainda ativa partes do cérebro que são associadas com os sentidos.

Converse com seu público para que ele tenha mais vontade de interagir com a sua empresa e consequentemente adquirir seus produtos ou serviços. A técnica de Storyteling é mais recomendada.

Curiosidade

Muito bom gatilho para quem deseja visitas no site e aumentar seu tráfego. Isso porque despertar a curiosidade é o início para chamar a atenção do seu público, principalmente para algo novo no mercado.

Simplicidade

Tem como objetivo mostrar que o produto ou serviço não é algo tão difícil. Esse é um gatilho muito utilizado para quem trabalha com o marketing de conteúdo.

Frases ou títulos de efeitos que podem ajudar são: Passo a passo, x passos, veja o caminho mais fácil ou mais curto, a maneira mais simples ou descomplicada, dentre outros.

Antecipação

Este gatilho é para criar expectativas futuras, como por exemplo trailer de filmes, lançamento de produtos, a chegada de uma nova tendência, etc. Com isso, gera no público uma necessidade e desejo de espera por aquilo.

Segurança

Qualquer pessoa gosta de se sentir segura, com a questão de aquisição de produto ou serviço não é diferente. O gatilho de segurança é utilizado para criar a sensação de confiança e realização. Sendo feito por meio principalmente de propagandas que falem da segurança, referente a tomada de atitude com alguma decisão que traga segurança ao consumidor.

Razão

Não apenas as emoções podem ser trabalhadas como gatilho a razão também. Neste caso são usados quando se busca a parte racional como justificativa, e também para falar dos benefícios, ou até mesmo gerando uma solução de algum problema.

Afinidade

Em geral as pessoas gostam de manter relações com quem pensa de maneira parecida. E a relação consumidor x empresa não poderia ser diferente.

Com esse gatilho você se coloca no lugar do consumidor quando for criar ações de marketing, dessa maneira ele se sente mais confortável e confiante em relação a sua empresa.

Exclusividade

A sensação de ser exclusivo é o desejo de muitos. Com esse gatilho é permitido fazer com que seu cliente se sinta importante, estrelas, VIP, Premium. Oferecer algo que não seja facilmente conseguindo por qualquer um, é a principal estratégia deste gatilho.

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

 

A importância da inteligência competitiva para a sua empresa

Antes de mais nada, você sabe o que é inteligência competitiva? E porque é importante para as empresas? Confira e entenda neste artigo que iremos explicar o que é essa inteligência e porque é importante nas empresas.

 

O que é Inteligência competitiva – IC?

A inteligência competitiva é uma importante ferramenta estratégica que tem como objetivo captar e analisar às necessidades e exigências de mercado o qual a empresa atua.

Em outras palavras,  é possível estar ampliando a competitividade da empresa, se preciso for reorienta metas, planejamento, foco, clientes, produtos, entre outros. Sendo que, sua obtenção de dados é voltada principalmente para consumidores, concorrência e também fornecedores.

Embora, muitos são os estudiosos que descrevem a inteligência competitiva como uma área estratégica focada na concorrência, por conta de toda análise feita no segmento. Além disso, por meio dela a empresa estar se antecipando a qualquer exigência que surja no mercado.

 

Ciclo da IC
  • Planejamento – Estudo do problema e as medidas que vem ser tomadas;
  • Coleta – Procura das informações necessárias para transformar em dados a serem analisados;
  • Análise – Etapa muito importante, pois aqui é aonde geralmente a inteligência deve ser gerada;
  • Divulgação – Com a inteligência aprovada é hora da demonstração.
Leia também: Por que pensar em planejamento é pensar no sucesso do seu negócio

Como coletar dados?

Certamente, há diversas formas de se coletar dados, podendo ser aplicadas mais de 80 técnicas, porém este é um serviço minucioso e deve-se tomar bastante cuidado com a coleta e análise. Mais importante, é que utilize técnicas de acordo com o problema imposto.

Primeiramente, a pesquisa de mercado por exemplo, é uma coleta importante para quem deseja vantagem competitiva e assim conhecer a concorrência. Faça busca de mercado, análise benchmarking, pesquise relatórios e dados oficiais, para obter boas e diversa informações.

Pesquisa entre consumidores é um outro exemplo tanto para vantagem competitiva como para a busca de satisfação dos consumidores. Questionários pós-compras, avaliação do serviço, pesquisas online, etc, podem servir para tirar informações importantes.

Big data, esta é uma ferramenta que necessita de profissional especializado, mas que fornece informações diversas com dados estruturados e não estruturados. E que podem ser captados e analisados como histórico da empresa, comportamento do consumidor, índices macroeconômicos, dentre outros.

Dados do Marketing, este também pode ser um aliado para coletar e analisar dados. Advindos do Google Analytics; relatórios e desempenhos de mídias pagas, redes sociais, e-mail marketing, CRM, inbound marketing e outras ferramentas do marketing digital.

Estratégias utilizadas para gerar inteligência Competitiva

Análise Swot – É uma matriz, método para analisar fatores internos e externos importantes para o sucesso da empresa. Praticamente está em todos os planejamentos estratégicos e nas tomadas de decisão.

Cinco forças de Porter – É um quadro o qual possui uma lista de verificação para analisar o nível de competitividade de uma indústria com base no equilíbrio do poder.

Avaliação e estimativa de mercado – Técnica que permite calcular o tamanho do mercado mesmo se não existir estudos publicados. Auxilia em pontos cegos da empresa.

Analise da cadeia de valor – Abordagem sistêmica que analisa sua cadeia de valor identificando onde se pode criar maior valor para o cliente.

Escada de crescimento – Método para mapear possíveis caminhos de crescimento da empresa ao combinar habilidades e opções continuamente. Pode ser utilizada para mapear escadas de concorrentes e ainda como ferramenta de brainstorm

Árvore ROCE – Método simples para comparação e entender as diferenças estruturais.

Estrutura de poder – Método para quem são os tomadores de decisão em situação de poder. Muito utilizado em vendas.

Teoria dos jogos – Modelo que fornece caminho de análise para antecipar movimentos futuros.

Pontos cegos estratégicos – Análise que auxilia a identificar se a equipe ou está propensa a pontos cegos e como corrigir.

Estrutura 3 C – Importante estratégia de marketing formada por um triângulo que corresponde a Companhia, Clientes e Concorrentes.

Veja também: Endomarketing porque importante para as empresas?

Como utilizar a inteligência competitiva na empresa?

  • Para Identificar questões relevantes para a empresa
  • Na criação das melhores condições de competividade
  • No detalhamento de dados e informações
  • Nas estratégias existentes e na construção de novas
  • Na Elaboração de decisões eficientes
  • Para a construção da matriz Swot
  • Para gerar valor compartilhado
  • Na geração de ações da empresa
  • Na estruturação do negócio

Vantagens de se utilizar a IC

  • Minimizar surpresas advindas dos concorrentes;
  • Identificar oportunidades e ameaças (SWOT);
  • Obter conhecimento relevante para formular o planejamento.
  • Aprender com os erros, acertos e apostas da concorrência;
  • Compreender que tipo de impacto nossas ações estratégicas terão sobre os concorrentes;
  • Compreender a repercussão das ações no mercado;
  • Rever e realinhar estratégia;
  • Garantir meios para uma maior sustentabilidade do negócio.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.