5 problemas que afetam o crescimento empresarial

5 problemas que afetam o crescimento empresarial

O começo de um novo ano sempre reserva muitas reflexões e questionamentos sobre o futuro. Em meio a rápidas transformações, manter um crescimento empresarial é um dos desafios que tirar o sono de muitos gestores. 

Ainda assim, uma forma de controlar essa situação é começar a olhar para dentro da sua empresa e avaliar quais os possíveis problemas que estão atrasando o crescimento empresarial. A partir disso, será possível pensar em novas formas de melhorias para o futuro. 

Pensando nisso, listamos abaixo cinco problemas muito comuns que afetam o crescimento empresarial para você refletir e começar 2020 evoluindo sua gestão!

1. Baixa produtividade

 

Inegavelmente, a baixa produtividade é um dos grandes dilemas de qualquer empresa. Seus impactos negativos são grandes, podendo afetar desde o faturamento até o bem-estar dos profissionais. 

Porém, nem sempre é fácil entender os motivos do problema. Dependendo do setor da sua empresa, ela podem ter diversas causas, como por exemplo:

  • desmotivação da equipe; 
  • falta de foco;
  • talentos mal desenvolvidos;
  • processos difíceis;
  • organização interna; 
  • falhas de comunicação. 

Mas uma coisa é certa, empresas que possuem baixa produtividade tendem a crescer menos. Afinal, se a produtividade pode ser definida como a capacidade de fazer mais em menos tempo com os recursos disponíveis, se não estamos sendo produtivos, a capacidade em atender o mercado de uma empresa acaba sendo reduzida. E nem precisamos falar que, com isso, as vendas e o crescimento diminuem junto! 

Em resumo, se a sua empresa não está crescendo, é importante dar uma investigada nos índices de produtividade de todos os setores envolvidos. Tente entender os possíveis motivos desta queda para propor soluções práticas e trazer melhorias para a rotina da sua empresa e voltar a crescer! 

2. Ausência de planejamento estratégico

 

Como anda o planejamento estratégico da sua empresa? Se você não sabe nem responder, acredite, temos um problema sério! Afinal, o planejamento estratégico é um processo que tem como objetivo traçar um plano de ações para que uma empresa atinja seus objetivos.

Ou seja, se você não está planejando, dificilmente está alcançando seus objetivos. A ausência do planejamento nas empresas faz com que o trabalho seja feito de forma reativa, sem um foco a seguir. Isso representa um problema grave ao crescimento empresarial!

Empresas que planejam possuem um conhecimento maior sobre suas necessidades, sobre seu propósito no mercado e na sociedade e sobre onde quer chegar. Quando elas deixam de lado essa parte importante da gestão, acabam não priorizando as ações que podem gerar o crescimento desejado. 

Por isso, se sua empresa ainda não planeja, não perca tempo! E caso já tenha esboçado ele em algum momento, lembre-se: mais importante do que planejar, é executar as ações que foram planejadas. Só assim elas se tornarão realidade e trarão impactos positivos. 

Quer ajuda para construir o planejamento estratégico da sua empresa? Converse com um Assessor Daexe e atinja a excelência administrativa!

3. Má gestão financeira

 

Falar de gestão financeira é um assunto delicado, porém muito necessário! Ter o controle total de tudo que entra e sai da sua empresa, dos investimentos, faturamento e lucros, é fundamental para garantir a saúde dos negócios. 

Isto é, para que o crescimento aconteça, investimentos são necessários. E se você não sabe quanto tempo, não sabe o quanto pode investir! Lançar um novo produto, iniciar um novo setor interno, investir em mídia, construir uma nova sede, tudo isso demanda de investimentos. 

Entendeu por que é tão importante ter uma gestão financeira na sua empresa? Sem contar que, com um controle de caixa seguro, fica muito mais fácil enfrentar possíveis crises e lidar com as adversidades sem sentir tanto os efeitos negativos. 

pessoa analisando gráfico financeiros

4. Processos burocráticos demais

 

Sabe quando você possui algum problema pessoal com uma empresa e passa horas e horas tentando resolver? Bom, isso acontece por causa de processos internos muito burocráticos. E da mesma forma que eles podem atrapalhar a sua vida, quando existentes dentro da sua empresa, podem atrapalhar a vida dos seus clientes e impactar negativamente na imagem da sua marca no mercado. 

Além disso, processos internos muito burocráticos e cheios de etapas minam a motivação dos seus colaboradores, tornando qualquer projeto muito trabalhoso. Sem contar no impacto que isso tem na produtividade empresarial, na qualidade das entregas e no impacto no faturamento. 

Por isso, se você deseja que sua empresa cresça, revise e simplifique seus processos. Temos certeza que muitas ações internas passam por etapas que são desnecessárias e acredite, quanto mais antigos forem os processos, maiores as chances de oportunidades de melhorias. 

Os impactos dessa mudança irão refletir no aumento da produtividade, melhor aproveitamento do tempo dos seus colaboradores, melhor qualidade de entrega e consequentemente num crescimento maior.

5. Falta de liderança 

 

Por fim, um fator que pode impedir sua empresa de crescer é a falta de liderança estratégica. Imagine todas essas mudanças e sugestões que listamos ao longo do artigo sendo implantadas na sua empresa… Consegue imaginar as pessoas colocando-as em prática por conta própria? Seria um caos! 

A liderança estratégica é importante para que sua empresa tenha um time de líderes que irão promover as mudanças necessárias para fomentar o crescimento. Eles irão engajar seus colaboradores, reforçar o propósito da empresa sempre que necessário e o mais importante: manter todos no caminho certo. 

Sem eles, seu colaboradores tendem a se sentirem perdidos, trabalhando de forma aleatória e quando se sentirem desmotivados, não terão aquela figura inspiradora capaz de engajar a todos. Por isso, se você quer que sua empresa cresça, encontre os líderes dentro dela e invista neles. 

Mesa vazia sem líder

Depois de conhecer alguns dos problemas que afetam o crescimento das empresas, você consegue perceber quais melhorias podem ser feitas no seu negócio para impulsionar o crescimento? 

A partir de agora, analise seus processos de forma consciente e proponha as melhorias necessárias para crescer a cada dia. Se precisar de auxílio nessa jornada, converse com um Assessor Daexe aqui.

Como-fomentar-a-cultura-de-resultados-na-sua-empresa

Como fomentar a cultura de resultados na sua empresa

É provável que você já tenha quebrado a cabeça pensando em formas de engajar seus colaboradores a alcançarem os resultados desejados para sua empresa. Mas nós sabemos que nem sempre é fácil criar uma cultura de resultados! 

Porém, acreditamos que com os incentivos e as atitudes certas é possível tornar a busca por melhores resultados parte da rotina de qualquer empresa. Pensando nisso, vamos listar ao longo deste artigo algumas melhorias e ações que você pode implementar hoje mesmo na sua organização para começar a fomentar a cultura de resultados! 

Ficou curioso? Então acompanhe a gente nesta leitura! 

Ações práticas para fomentar a cultura de resultados

A fim de auxiliar você no desafio de fomentar a cultura de resultados, listamos abaixo seis atitudes que você e seus gestores podem tomar para começar a mudar o pensamento dos seus colaboradores e motivá-los a alcançar melhores resultados.

1. Conheça a essência da sua empresa

Em primeiro é lugar, é importante que você conheça a essência da sua empresa, sua missão, visão e seus valores. Procure entender qual seu propósito, o que deseja entregar aos seus consumidores e como quer ser vista pelo mercado. 

Dessa forma, ao entender aonde quer chegar, fica mais claro quais são os resultados que devem ser atingidos e que fazem sentido para a organização. Afinal, de nada adianta ler sobre metodologias utilizadas por outras empresas, fórmulas de sucesso ou cases inacreditáveis e tentar aplicá-las no seu negócio. 

Cada empresa tem uma cultura, uma essência. Esse autoconhecimento é fundamental para investir em ações, métodos ou ferramentas que fazem sentido no dia a dia empresarial e irão auxiliar de fato a busca pelos melhores resultados. 

Além disso, se sua empresa possui um comportamento x, e a gestão decide implantar um método y, espere por uma resistência maior de seus colaboradores e por um retorno muito mais lento. 

2. Invista em liderança estratégica 

Se você quer que seus colaboradores sejam engajados, motivados e entreguem bons resultados, você precisa investir em liderança estratégica! Monte um time de líderes com um representante para cada setor da sua empresa e veja a magia acontecer!

Só pra exemplificar, imagine seus colaboradores com diversos projetos e ações em andamento, uma rotina atarefada e resultados a serem alcançados. É fácil imaginar que em algum momento eles irão se desmotivar e acabar perdendo o foco, não é mesmo?

líder apresentando gráficos de resultados

Por isso a importância de líderes estratégicos. Eles serão como técnicos dos seus times, guiando, motivando e lembrando-os sempre de como suas ações estão conectadas com o propósito da empresa, trazendo mais valor e aumentando o senso de pertencimento.

Além disso, a comunicação entre C-levels, líderes e equipes fica mais organizada, evitando reuniões com muitas pessoas, que quase sempre acabam com todo mundo falando ao mesmo tempo e poucas resoluções. 

3. Tenha uma comunicação clara

Aliás, voltando ao tema comunicação, a clareza é fundamental para que os resultados sejam alcançados. E não, não estamos falando apenas de comunicação interpessoal. Fatores como filosofia empresarial, objetivos estratégicos, indicadores de sucesso, canais de comunicação interna, entre outros, devem ser definidos com clareza para facilitar o entendimento do todo. 

Por exemplo, a essência da empresa deve ser comunicada de forma clara, para que todos entendam qual o propósito das ações da empresa. Os objetivos estratégicos devem estar acessíveis a todos os colaboradores, para que não sejam esquecidos. 

Bem como os indicadores de sucesso devem ser comunicados a todos os setores de acordo com suas áreas de atuação e entregas. E por fim, tenha canais de comunicação internos que facilitem a comunicação entre setores, líderes, diretores e todos os envolvidos. 

Em resumo, é preciso que a empresa tenha uma comunicação fluída, que estimule qualquer colaborador a expressar sua opinião, sugerir melhorias ou comunicar possíveis erros. Dessa forma, todos se sentirão ouvidos, proporcionando bem-estar e relacionamentos baseados em confiança. 

4. Capacite seus colaboradores

Incentivar o desenvolvimento e a capacitação contínua de seus colaboradores é uma forma de ter no seu time pessoas sempre atualizadas e capazes de executar seus projetos da melhor forma. 

Por isso, capacite as pessoas da sua empresa, crie programas de auxílio à educação, oferecendo contribuição no investimento em cursos, trazendo palestras e workshops para dentro da organização ou convidando para participar de eventos. 

equipe em curso de capacitação

Como resultado, sua empresa terá profissionais altamente capacitados para entregar as melhores soluções. Ao mesmo tempo que eles se sentirão valorizados pela empresa e partes do processo. Ou seja, todos saem ganhando. 

5. Acompanhe constantemente os resultados

Para que a cultura de resultados faça parte da rotina da sua empresa, é preciso que as ações sejam acompanhadas constantemente. Para isso, crie uma rotina de reuniões com seus líderes e estimule que eles tenham reuniões com seus times também. 

Dessa forma, será possível mensurar ao longo da execução como as ações estão indo, identificar possíveis problemas, promover melhorias contínuas, reorganizar processos e buscar sempre os melhores resultados. 

Ao tornar a análise de resultados parte da rotina semanal dos colaboradores, eles irão começar a perceber sua importância e, junto ao incentivo dos líderes estratégicos, eles irão se sentir muito mais motivados no trabalho. 

Imagine que a cada semana eles irão entender os impactos de suas atividades nos objetivos centrais da empresa. Consegue imaginar o resultado positivo que isso terá na auto-estima e no bem-estar profissional de cada um deles? Será recompensador para ambos!

Em resumo, defina uma data e horário para reuniões de diretores e líderes e também para reuniões entre líderes e times. Nestas reuniões, analise relatórios, discutam melhorias e vejam a cultura de resultados prosperar na sua empresa. 

6. Reconheça e valorize as pessoas

 

Por fim, aprenda a reconhecer as pessoas que ajudam sua empresa a alcançar os resultados desejados. Se seus colaboradores entendem a essência da sua marca, se capacitam para entregar sempre o melhor, são motivados e engajados nas reuniões, por que não valorizar essas atitudes? 

Como resultado, você irá reter os talentos da sua empresa e terá um time de pessoas que entendem sua marca e estão dispostos a tudo para alcançar os melhores resultados junto com você. Como falamos antes, tornar a comunicação clara e mostrar o quanto cada um tem um papel fundamental dentro de uma organização, ajuda a aumentar o senso de pertencimento e bem-estar, e isso não tem valor que pague! 

No entanto, vale estudar formas de recompensar financeiramente seus colaboradores pelos resultados alcançados. Programas como PPR e PLR são comumente utilizados pelas empresas para reconhecer os profissionais e ainda estimular o trabalho em equipe. Pesquise e invista! 

Agora que você já conheceu algumas formas de auxiliar no fomento à cultura de resultados, é hora de rever seus processos internos e começar a colocá-las em prática para ver as melhorias acontecerem. Caso precise de ajuda nesse processo, agende uma conversa com um Assessor Daexe e saiba como podemos ajudar sua empresa. Clique aqui para agendar uma reunião. 

Inventário de Estoque

O que é Inventário de Estoque e Porque deves Começar a Fazer já!

Você consegue mensurar o estoque da sua empresa? Ele é bem organizado? Se a resposta é não, é porque você ainda não possui um controle do seu estoque. Pois saiba que estoque é dinheiro e deves controlar o seu estoque como controlas o dinheiro da sua empresa.

Desse modo este artigo irá explicar tudo que precisa saber sobre o seu estoque e entender como estar o organizando e mensurando-o.

Mas o que é o Inventário de Estoque?

Primeiro de tudo, inventário de estoque é uma prática utilizada por meio da identificação, classificação e contagem de produtos armazenados. O objetivo desta prática é conferir se todas as informações estão de acordo com a realidade do que foi dado como saída e entrada de mercadorias.

A partir disso, é possível manter uma organização que irá constatar quais são os produtos que possui maior importância. E ainda, quais são os que trazem mais lucros para a empresa. Por outro lado, também é possível saber exatamente que produtos estão encalhados, danificados ou vencidos.

Dessa maneira, o inventário de estoque deve ser o mais completo possível com máximo de informações de cada mercadoria.

Quem deve Utilizar do Inventário de Estoque?

De conformidade, o inventário é recomendado para todo tipo de empresa que precisa fazer um gerenciamento de estoque. Principalmente as empresas do ramo de comércio e varejo como supermercados, farmácias, padarias, lojas e dentre outros.

Este é um recurso para identificar possíveis erros e evitá-los, além de buscar garantir que a armazenagem esteja funcionando como se deve. A realização deste controle não é algo difícil, mas é muito trabalhoso. Já que terá que contar todos os itens.

Leia Também: O que é um Plano de ação, e como fazer ?

Quais os Tipos de Inventários?

A saber, existem cinco tipos principais de inventários, sendo que cada empresa deve utilizar daquele que melhor se adequa às suas expectativas.

Inventário Geral – É o mais completo e demorado, pois abrange a contagem e identificação de todos os bens do almoxarifado, insumos, mercadorias, maquinários, entre outros. Em geral é utilizado pela área contábil da empresa para avaliar e atualizar o patrimônio.

Rotativo – tipo de inventário o qual processo exige que o estoque seja submetido à uma contagem predeterminada (semanal, quinzenal, mensal ou até diariamente). Dessa forma, os dados devem ser atualizados em intervalos de tempos predefinidos. É muito usado por empresas com alto giros de mercadorias.

Periódico – É realizado no final de um período determinado pela empresa. Com o objetivo de atualizar dados do sistema de estoque, corrigindo possíveis falhas e elaborar demonstrativos mais detalhados.

Cíclico – Parecido com o rotativo, porém busca fazer ajustes periódicos entre a quantidade de bens e as informações utilizadas em lançamentos contábeis. Este é para dá segurança a base de dados das empresas, atendendo as necessidades da gestão, evita possíveis extravios e controla os níveis de estoques.

Parcial ou dinâmico – A contagem acontece apenas com uma parte específica dos bens das empresas. Por exemplo, armazém que o foco do controle de estoque é um conjunto predeterminado de mercadorias.

Anual – Refere-se a contagem de bens e mercadorias de uma empresa ao final do ano fiscal. O qual corresponde janeiro a dezembro, que serve para realizar o balanço anual.

Qual a importância do Inventário de Estoque?

O inventário de estoque é importante por diversos fatores, porém entre eles a otimização dos clientes é o mais fundamental.

E o que isso significa? É que com a organização do estoque, catalogado, classificado e com prateleiras ordenadas, o cliente encontrará mais rápido o que ele deseja.

Além disso, a organização das mercadorias reduz perdas, evita desperdícios e diminui custos. Outro ponto importante é que com estoque bem organizado e corretamente monitorado colabora para que a empresa possa ficar em dias com a legislação.

Veja também: A Importância de um Organograma Para as Empresas

Então, Como Fazer um inventário?

Certamente, agora quer saber como estar fazendo o inventário de estoque da sua empresa. Veja esses tópicos que separamos que podem te auxiliar nesse processo:

  • Primordialmente organize os tipos de mercadorias que estão no estoque e faça uma lista separando cada tipo de produto.
  • Coloque um código em cada tipo de produto, inserindo um número para cada mercadoria.
  • Faça uma classificação dos produtos e seus preços. Anote na lista de inventário quanto cada mercadoria pesa, qual o tamanho, cor, preços e outras informações.
  • Registre no relatório de inventário possíveis perdas, roubos ou devoluções.
  • Reserve dia e horário para este processo. Agende um dia tranquilo de preferência que não tenha movimento na empresa.
  • Por fim, utilize software de gestão. Pois ele irá ajudar a manter todas as informações do inventário atualizadas sempre que uma compra for efetuada.

Entendeu como é importante que se faça o inventário de estoque? Pois a partir dele você não será terá apenas o controle de cada mercadoria, mas também evitará custos desnecessários. Verá quais produtos trazem mais retornos e os que não tem essa mesma rentabilidade. E ainda ajudará seus clientes a encontrar de maneira mais rápida o que procura.

Gostou do nosso artigo? Faça um inventário de estoque e compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

excelência-operacional

Como Buscar Melhorias no Departamento Operacional de uma Empresa

Como anda o setor operacional da sua empresa? Está 100% ou necessita de alguma melhoria? Saiba que este assim como qualquer outro departamento, além de ser muito importante merece atenção devida e não pode ser abandonado.

Por isso, neste artigo iremos abordar como funciona o departamento operacional e que melhorias deve estar buscando constantemente.

 

Departamento Operacional o que é? E Como Funciona?

Primeiro de tudo, o departamento ou setor operacional também é conhecido por setor técnico ou de produção. O qual tem como função administrar os processos de transformação dos insumos em produto final.

É de sua responsabilidade o controle da entrada e saída do que se refere a matéria-prima. Além também de dá o suporte logístico, fazer a gerenciamento do uso de máquinas e equipamentos e ainda acompanhar o nível de produtividade da empresa.

Para entender melhor, veja os principais pontos que este setor é responsável

  • Administrar a rotina do dia a dia das operações de entrega de um produto e/ou serviço;
  • Analisar se as atividades do dia a dia estão sendo realizadas dentro do prazo;
  • Verificar se as atividades estão cumprindo um índice mínimo de qualidade;
  • Observar se as atividades estão sendo realizadas sem desperdício;
  • Identificar gargalos e travas que impedem a realização das atividades do dia a dia;
  • Averiguar melhorias nos processos de entrega das atividades do dia a dia.

Portanto, ele visa principalmente garantir que todas as operações e procedimentos ocorra como o estipulado e buscando evitar imprevistos.

Desse modo, três pontos importantíssimos deste departamento devem ser avaliados e   acompanhados criteriosamente. São eles: processos, qualidade e logística, pois compõe toda função exercida de quem trabalha na parte de operações.

Leia também: Metodologia 5S – Veja a sua importância e porque implementar na sua empresa

Processos

Antes de mais nada, sua empresa compreende seus processos de negócios e busca registrá-lo?

Se a resposta desta pergunta é não, o primeiro passo será mapear os processos, principalmente quanto aos pontos mais críticos aqueles que afetam diretamente seus lucros.

Para isso, reveja seus objetivos estratégicos pois eles devem ser o ponto de partida do seu trabalho para criação do seu mapeamento.

Agora, como controlar esses processos? Na sua execução busque ter um padrão de execução e um controle nos seus cumprimentos, utilize se necessário indicadores de desempenho e auditoria. Lembrando que tudo deve estar de acordo segundo os objetivos, metas e estratégias e que deve haver um monitoramento constante.

Assim também, pode estar fazendo o uso de tecnologia nos processos como por exemplo serviços de compartilhamento de dados ou software de gestão.

Em relação o gerenciamento de compras deve-se ter uma base a partir de cotações de preços de vários fornecedores, assim avalia-se custos x benefícios. Verifique ainda forma de pagamento e prazos de entrega.

Uma dica interessante é ter um gestor de processos ou até mesmo vários gestores um para cada grupo de processo. Porque assim, consegue um controle maior e mais rígido.

Qualidade

Quando falamos de qualidade no setor operacional de uma empresa é um ponto crucial e de extrema importância. Por isso, já coloque como fundamental ter um rígido controle, mas e como fazer isso?

Primeiro de tudo, conheça e siga todas as regulamentações da área que sua empresa pertence. Confira exatamente como funciona as regras dos órgãos regulamentadores. Saiba que o não cumprimento das regras leva até mesmo a punições.

Outro fator importantíssimo para se manter o rígido controle de qualidade nas operações é entregar todos seus produtos ou serviços no prazo. Assim facilita a retenção de clientes, já que eles costumam ser bem criteriosos quanto a isso.

Além disso, tenha um serviço de feedback ou de atendimento pós compra para o cliente.  Podendo por meio dele utilizar as informações para melhorar ainda mais os serviços prestados. E ainda servirá para passar uma certa segurança quando o cliente for realizar outras compras.

Logística

Quanto a logística o primeiro ponto a se analisar são as políticas para escolha de fornecedores e o seu relacionamento com os mesmos.

Sendo assim, é preciso estabelecer critérios na hora de escolher seus fornecedores, como por exemplo verificar qualidade, quantidade, prazo e entrega. E mesmo após escolher seu fornecedor pode qualifica-lo e avalia-lo a partir dos pós compra e não precisa ser apenas uma vez, pode ser feito em períodos periódicos. Comunique como eles estão sendo avaliados dentro da empresa, isso é bom até mesmo para se manter o relacionamento.

Costuma realizar o controle de estoque? Saiba que isto é necessário principalmente para ter uma base de levantamento dos produtos existentes.

Dessa maneira, o controle de estoque pode ser feito por meio de um inventário de forma periódica para que sempre esteja atualizado.  Assim, é possível calcular recompras de produtos evitar faltas ou excessos de itens.

E a entrega dos produtos é feito pela empresa? Se este serviço for terceirizado é aconselhado que o mesmo venha ser feito pela própria empresa. Isso porque quando terceirizado torna-se complicado fazer o gerenciamento desta área.

E quanto a taxa de perdas de produtos? Caso se mantenha alta isso pode trazer sérios problemas. Por isso, uma medida a ser tomada é controlar entregas e alterar formas de prazos e pagamentos se for necessário.

 

Diante disso, tente aplicar essas melhorias no departamento operacional da sua empresa e aos poucos sentirá a diferença.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Data-Science-vs.-Big-Data

BIG DATA e DATA SCIENCE NA MINHA EMPRESA

Na era da informação todo dia surge uma coisa novas não é mesmo? Por isso é preciso estar sempre atualizado, e é a tecnologia quem nos auxilia para não ficarmos para trás. Sendo assim já ouviu falar em Big Data e no Data Science?

São programas de armazenamento e organização de dados, que podem estar auxiliando sua empresa em atividades do dia a dia. Como por exemplo, para que dados não se percam e que seja processado de forma rápida.

Quer saber como? Este artigo estará explicando sobre estes programas, a sua importância e como estar utilizando dentro do seu negócio.

O que é Big Data

Primeiramente você sabe o que é Big Data?

Ele é um sistema de banco de dados que serve para analisar grandes volumes de informações estruturados e não estruturados. Sabe aquela imensa quantidade de informações que são processados pelos softwares que sobrecarregam os sites? Então, o Big Data é o Insight para organiza-las de maneira estratégica.

Além disso, também processa aqueles dados que possuem complexidade e que normalmente processadores tradicionais não conseguem fazer ou demoram bastante.

Os 5V´S

A base do Big Data é formada por meio do chamado 5 V’S: velocidade, volume, variedade, veracidade e valor.

  • Velocidade – diz a respeito aos dados que devem ser transmitidos sem precedentes e de forma hábia.
  • Volume – é referente as organizações que coletam dados de fontes variadas, como por exemplo as transações financeiras.
  • Variedade – se trata de dados produzidos com diversos formatos.
  • Veracidade – é relacionado a fontes e qualidade dos dados.
  • Valor – é o benefício que as soluções vão trazer para empresa.

Leia também: O Que é Design Thinking e Como Aplicar

Passo a Passo do seu Processo

Para que possa entender melhor como funciona o Big Data este passo a passo explica como é realizado o seu processo.

 

1 – Coleta de dados: Pode ser utilizada diversas fontes como Datawarehouses, por exemplo.

 

2 – Armazenamento de dados: É a distribuição em sistemas e servidores diferentes. A partir disso, é garantido que cada informação exista um backup. Para o armazenamento é necessário que aja uma boa estrutura física ou uma contratação em nuvem.

3 – Organização: Cada categoria será organizada de acordo com a sua estrutura. Sendo estruturada, semi-estruturada e não-estruturada. Para que facilite o acesso e a análise das informações.

4 – Análise dos dados: É aonde ocorre a extração das informações e a interpretação baseadas em conceitos de negócios e estatísticas para verificar quais dados serão úteis.

O que é Data Science

Já o Data Science também conhecido como ciências dos dados, é o estudo das informações, do processo de captura, transformação, geração e análise dos dados. A partir disso, tira-se o conhecimento necessário dos dados em diversas formas que são fornecidos pelo Big Data ou qualquer outro sistema.

Desse modo, são responsáveis por essa atividade os cientistas de dados que por meio das disciplinas como computação, estatísticas, programação e matemática, procuram por formas novas para realizar atividades relacionadas a limpeza, preparação e organização de dados.

Passo a Passo

Para entender como funciona o Data Science vamos alguns pontos cruciais que são utilizados no processo deste trabalho. E que o mesmo venha a ser realizado obtendo resultado satisfatório.

Assim sendo, a ciência de dados juntamente com auxílio do Big Data retira as informações que são remodeladas e organizadas. Abaixo tem um passo a passo do que é feito no Data Science.

1 – Obtenha mais informações: Pegue toda e qualquer informação que conseguir como ações, horários, preços, produtos, etc.

2 – Faça perguntas inteligentes: As perguntas devem ser precisas para que receba respostas satisfatórias.

3 – Coloque os dados em uma tabela: A maioria dos algoritmos de aprendizado de máquina pressupõe que os seus dados estejam em uma tabela. Cada linha será um evento ou item ou instância.

4 – Verifique a qualidade: Confira os dados nos mínimos detalhes, pois caso encontre erros possa estar fazendo as devidas correções e em casos de dados desnecessários possam ser excluído. E ainda se ambientar com cada linha e coluna.

5 – Transforme as características: Antes de entrar na aprendizagem da máquina há uma etapa que é a engenharia das características. Nesta etapa irá pegar características que já possua e combinar de maneira criativa para que realize a melhor previsão do seu objetivo.

6 – Responda as perguntas: Esta é a etapa que chega na aprendizagem da máquina. Agora é a hora de decidir a qual família de algoritmos a sua pergunta pertence. Escolher um ou mais algoritmos dentro dessa família para usar e, em seguida, girar a manivela, usando as técnicas de aprendizagem de máquina tradicionais de dividir os dados em treinamento, adaptação e teste de conjuntos de dados e otimizar os parâmetros em qualquer modelo de sua escolha.

7 – Use as respostas: Coloque os dados em um formulário para que as pessoas possam usar seja para uma tomada de decisão ou para aprender algo que ainda não saibam.

Veja também: CRM o que é e porque implementar?

Então, porque deve-se usá-los e seus benefícios

É preciso entender que a importância de se usar o Big Data é relacionada ao que se faz com os dados, não com a sua quantidade. Já que com ele é possível obter várias fontes e analisa-las. E dentre seus benefícios é possível reduzir custos, economizar tempo, dentre outros.

O Data Science é como uma pesquisa em que participa da formulação do problema, da hipótese e da análise de resultados. Os benefícios gerados pelo Data Science são diversos dentre alguns listáveis estão a personalização no atendimento, aumento do retorno sobre investimentos, criações de estratégias para o meio digital, agilidade nos processos e tomadas de decisões, melhoria na prestação de serviços, etc.

Mas assim como no Big Data, com o Data Science a quantidade de informações não é tão relevante, e sim o que irá fazer para impulsiona-las. Por isso, é capaz de ajudar por meio dos estudos destas informações e trabalhando sobre elas, fazendo-as fluírem melhor dentro de uma empresa.

Portanto, tanto o Data Science quanto o Big Data são sistemas de inteligência artificial. O Big Data para analisar os grandes volumes de dados e o Data Science para estudar esses dados e buscar organizá-los.

brainstorming

Brainstorming na minha empresa como fazer?

Você conhece a técnica do Brainstorming? E entende a sua importância?

Toda empresa necessita de ideias novas e criativas no seu dia a dia independente da área que atua. Dessa forma, fazer reuniões para buscar reunir ideias é essencial, por isso elaboramos este artigo para te ajudar a organizar o Brainstorming e entender porque é importante.

O que é Brainstorming?

O Brainstorming também conhecido por chuva ou tempestade de ideias é uma técnica utilizada para propor ideias ou soluções. Em geral é uma reunião de atividade feita em grupo com o objetivo de explorar a criatividade em equipe. Os quais os participantes tem total liberdade de debater sugestões e sem julgamento de estar certo ou errado.

Sendo assim, o objetivo é partir para associação e análise dessas ideias e chegar a uma solução original para o problema em questão.

Leia também:Como fazer revisão de um planejamento estratégico

Princípios 

Primeiramente é não julgar ideias imediatamente, ou seja, neste momento da reunião inicialmente todas as ideias são iguais. É o momento apenas de geração e interação para encontrar uma solução boa, inovadora e/ou criativa.

Outro ponto se trata da criatividade em quantidade e qualidade, porque disso? Quanto mais ideias forem geradas, mais provável que se encontre uma boa.

Além disso, a vantagem das associações se desenvolve quando se consideram muitas delas. Uma ideia pode levar a outra. Ideias más podem levar a boas ideias. E acima de tudo, não se consegue pensar num problema enquanto não houver algumas respostas.

Sugestões 

Antes de mais nada, algo que no Brainstorming que deve ser completamente descartado são as críticas negativas. Lembre-se que toda ideia é bem-vinda, mesmo que ache tão boa, mas em algum momento ela pode vim a ser importante por meio da associação com outra ideia.

Desse modo, encoraja os participantes a sugerir qualquer ideia que lhe venha à mente, sem preconceitos e sem medo que isso o vá avaliar imediatamente. Pois, acredite ou não as soluções mais desejáveis são aquelas que inicialmente parecem ser muito longe do que poderá resolver o problema. É necessário deixar as inibições para trás enquanto a criatividade venha surgir.

Quantidade, nesse caso, gera qualidade. Sim, já que quanto mais ideias forem geradas, mais hipóteses serão criadas e há de encontrar uma solução ideal. Dessa forma, entende-se que quantidade é necessário.

Combinação e aperfeiçoamento é essencial. Com isso, o objetivo desta regra é o encorajamento a geração de ideias adicionais para a construção e reconstrução sobre as ideias já existentes.

Passo a Passo como Fazer o Brainstorming

Conhecimento – Deve haver total familiaridade com os fatos, com a situação e as mais recentes informações sobre o assunto. Faça perguntas e mais perguntas. A respostas pode vir de pesquisas, clientes, mercado. Nesta fase, não omita opiniões nem se deixe envolver por elas.

Seleção – Logo após todas as ideias reunidas é preciso selecionar algumas. Neste momento por exemplo, pode-se descartar ideias duplicadas. Sendo assim, quando for descartando explique o motivo de forma gentil e dê a oportunidade do criador falar, caso ele queira.

Definição – É preciso definir os objetivos a serem alcançados. Mostre a todos do grupo quais ideias se destacaram e explique exatamente o porquê estas são as escolhidas. Será o momento de aprofundar um pouco mais nestas ideias escolhidas. Não é necessário manter toda a equipe para participar deste momento. Assim, duas ou três pessoas podem ser o suficiente.

Veja também:A importância da Ergonomia nas Empresas

Dicas para uma Reunião Produtiva

Primeiro de tudo, tenha um objetivo e certifique-se de que todos os participantes o conheçam. Pois, evita-se a perca de foco conforme as ideias forem surgindo.

Controle o tempo. É até recomendado colocar um relógio visível em algum lugar da sala para que todos os participantes saibam como está o andamento da reunião.

Crie um ambiente favorável. Com o objetivo de que as ideias fluam, sendo que o ideal é levar a sua equipe para um ambiente que estimule a criatividade. Como por exemplo, fazer as reuniões de Brainstorming fora do local de trabalho.

Evite os conflitos. Pontos de vista diferentes sempre acontece, então podem vir a conflitar e gerar situações mais tensas. Por isso, deve-se ter muito cuidado e evitar principalmente que elas se tornem brigas de egos. O brainstorming tem como objetivo ser algo construtivo e não gerar problemas nos relacionamentos interpessoais da sua equipe.

Tenha um líder. A reunião de brainstorming deve ter um responsável, que vai garantir que ela ocorra sem problemas e mantenha a organização, cuidando de cada ideia.

 

Gostou do nosso artigo? Realize o Brainstorming e compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Os Diferentes Modelo de Organograma

Sua empresa já possui algum modelo de organograma?  Qual o tipo e porque escolheu esse?

Antes de tudo, existem diferentes modelos de organogramas e cada empresa pode escolher aquele que mais se adequar à sua realidade quanto a divisão de funções e cargos. Saiba que não existe um tipo certo ou errado e sim aquele que representa a realidade dos departamento e como eles estão divididos. Quer entender melhor? Leia este artigo e veja quais são esses organogramas e como cada um funciona.

 

Organograma Clássico ou Vertical

Geralmente este é o modelo de organograma mais conhecido, utilizado e tradicional para representar as posições hierárquicas dentro das empresas. Em seu formato possui as caixas de cargos distribuídos por grau de importância, do topo até a base. Nele são apresentadas informações relacionadas a hierarquias e suas funções, fluxo de comunicação entre os cargos e estrutura de atividades de cada setor.

A saber, as vantagens do vertical são de possibilitar maior clareza na hierarquia e na definição de funções, melhora a compreensão do fluxo de trabalho, contribui para plano de carreira, facilita a gestão e capacitação.

Modelo de organograma vertical

Organograma Horizontal

A diferença deste modelo para o vertical é justamente como as informações estão organizadas, porque segue o mesmo padrão mas de forma horizontal, como o próprio nome já diz. Os cargos mais importantes hierarquicamente falando, estão mais para a esquerda e conforme cresce para a direita vai se chegando aos cargos e áreas mais operacionais.

Sendo assim as vantagens de se fazer um organograma horizontal são agilidades na gestão, menos burocracia, ambiente informal, colaboradores engajados e mais focos em projetos.

Modelo de organograma horizontal

Leia também: A Importância de um Organograma Para as Empresas

Circular ou Radial

É um modelo de organograma considerado mais moderno, as informações setorizadas estão num gráfico circular, cada área, cargo e função são separadas por cores específicas. Sendo que os responsáveis ficam no centro e os demais ao redor.

A principal característica do circular não é relacionada a representar hierarquia. E sim, para quem deseja ressaltar o trabalho em equipe, a unicidade entre as divisões e proximidade das áreas. Dessa forma, se este é o objetivo da sua empresa esta com certeza é a melhor representação. Além disso, demonstra a capacidade decisória do líder, por isso ele fica no centro.

Modelo de organograma circular

Organograma Linear de Responsabilidade (ORL)

Já este, é o modelo de organograma que apresenta cada atividade de determinada área e identificando quem é o responsável por cada uma delas. O objetivo é demonstrar as relações entre as diversas atividades, como uma comunicação de linhas cruzadas.

Ou seja, o organograma linear tem uma função diferente dos outros, o qual é de organizar as tarefas e demonstrar a obrigação de cada um dos colaboradores.

Dessa forma, ele gera benefícios como facilitar e identificar de forma mais rápida as atribuições e responsabilidades de cada função. E ainda como é a interações entre as equipes e as respectivas atividades.

Modelo de organograma linear

Organograma Em Barras

Considerado um modelo de organograma menos popular entre as empresas, por meio dele cada coluna é elaborada dentro de um retângulo posicionado na vertical e conforme a hierarquia.  Quanto mais elevado for o nível hierárquico do cargo, maior será a barra a ele destinada.

Não costuma ser muito usado pelas empresas, pois não é possível fazer a ligação entre os cargos. Porém é considerado de fácil compreensão já que as informações são entrepostas de forma direta.

Entretanto, ela possui benefícios como por exemplo auxiliar no momento que precisar reportar problemas e na identificação de responsabilidades. Assim também, permite melhor compreensão como já citado e ainda pode ser aproveitado como ferramenta estratégica.

Modelo de organograma em barras

 

Organograma Matricial

Modelo muito útil para representar estruturas temporárias, que serão formadas por uma ou mais unidade de trabalho e que atuarão juntas no projeto. Também é utilizada por consultores para ilustrar parte de um trabalho. Costuma ser bastante utilizado pelas empresas por conta da sua flexibilidade e adaptação para execução de tarefas.

Dentre suas vantagens estão a ligação entre os departamentos, auxilia no controle de resultados, proporciona um quadro flexível, colabora para o ambiente ter mais fluidez, todos funcionários podem participar das tomadas de decisões.

Modelo de organograma matricial

Veja também:Como bons processos de gestão ajudam a engajar a equipe?

Organograma Funcional

Muito utilizado atualmente e bem semelhante ao vertical, porém esse modelo de organograma, representa as relações funcionais e não hierárquicas. É o mais racional de todos os modelos.

Desse modo seus benefícios são permitir que todos conheçam a estrutura organizacional da empresa, colabora e facilita o trabalho em equipe, mais flexibilidade na execução das atividades, processos mais estruturados e informações centralizadas.

Modelo de organograma funcional

Portanto, o organograma de uma empresa é uma ferramenta essencial para representar a gestão administrativa de cada organização. Esse é um artifício importante para que seus colaboradores, fornecedores, clientes e parceiros tenham consciência da estrutura administrativa da sua empresa.

Além disso, facilita o entendimento para execução de tarefas e como cada departamento e cargos funcionam.

Uma dica é que na elaboração dos organogramas é importante determinar os cargos e funções, depois organizá-los. Assim facilita para quem for fazer a distribuição.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

A Importância de um Organograma Para as Empresas

A saber, organograma é uma ferramenta muito utilizada nas empresas para auxiliar na estruturação dos negócios. Deixando os processos e funções desempenhadas pelos funcionários de forma mais clara e objetiva. Quer entender melhor sobre isso? leia e saiba mais no nosso artigo.

 

O que é Organograma?

Primeiro de tudo, é preciso explicar que organograma é uma representação gráfica que ilustra, de modo simplificado, a estrutura hierárquica de uma instituição, seja ela uma empresa, um órgão público, uma associação, dentre outros. Sua principal característica é demonstrar como se compõem os cargos, as funções, os setores e além disso serve também como instrumento de comunicação.

Desse modo na formação da sua estrutura é possível apresentar desde o cargo de presidente até o menor nível operacional, sendo divididos por cadeias hierárquicas. E partir disso, é delimitado as responsabilidades e limites dentro da empresa. Não é costume utilizar nele o nome de cada um dos colaboradores e sim cada cargo ocupado, ou dividir por setores.

Leia também:Planejamento e Organização do Departamento Financeiro Como Fazer?

Os Formatos de um Organograma

Primordialmente existem diferentes formatos de organogramas, mas todos possuem os mesmos componentes importantes. E com o mesmo objetivo para poder entender melhor a estrutura dentro da empresa. Vejamos a seguir quais são eles:

Linhas de Comunicação – são linhas contínuas que interligam cargos ou áreas da empresa. Essa linha indica que existe uma hierarquia direta entre esses departamentos.

Unidades de Trabalho, cargo ou área – são as caixinhas. Nelas que você vai escrever quem está sendo representado

Hierarquia – em geral a linha de hierarquia funciona de cima para baixo, da esquerda para a direita ou de dentro para fora.

Divisão Horizontal do Trabalho – Cargos ou áreas em uma mesma linha indica que tem nível hierárquico similar.

Passo a Passo para Elaboração

De conformidade, para estar facilitando a elaboração de um organograma seria de suma importância seguir alguns passos que auxiliaram neste processo.

1º Passo: Separe as funções exercidas por cada um dos funcionários da sua empresa. Isso é importante porque nas empresas menores é comum que uma única pessoa assuma diferentes cargos.

2º Passo: Assinale quem está no comando de cada setor e quem lidera o nível estratégico. Uma boa dica é separar cada nível hierárquico por uma cor diferente.

3º Passo: Depois é hora de oficializar o documento com o setor administrativo e todos os colaboradores. Para melhor absorção, é essencial que o organograma seja colado em um local visível e acessível para todos os gerentes e funcionários.

Como Montar o Organograma da Minha Empresa?

Certamente essa deve ser a dúvida de muitas pessoas sobre como estar montando a estrutura de um organograma, qual programa ou ferramenta para se utilizar.

Neste caso, pode utilizar por exemplo o Excel, inclusive é um dos programas mais usados para fazer isso. Já que o próprio possui até mesmo modelos prontos, que podem facilitar ainda mais esse processo e principalmente para quem não domina esta metodologia.  Além disso, também pode ser feito por meio de ferramentas de gestão ou online ou aplicativo.

Entretanto, lembre-se que a pessoa que for montar a estrutura e organizá-la deve conhecer muito bem cada área da empresa. Ou seja saber quem são funcionários e o departamento de cada um deles, para que não aja erros.

Vantagens:

  • Informações organizadas
  • Visão sistêmica
  • Mostra os pontos de melhoria e os pontos de qualidade
  • Envolvimento dos colaboradores
  • Processos padronizados

 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Comunicação Organizacional porque é importante para as empresas ?

Comunicação Organizacional porque é importante para as empresas ?

Como sua empresa se comunica com o público interno e externo ? O fluxo de informações é eficaz e não há nenhum ruído? A comunicação organizacional é parte importante de uma empresa. Cuida de toda e qualquer comunicação que esteja relacionada a empresa. Diante disso, este artigo vem com o objetivo de explicar sobre a comunicação organizacional e a sua importância.

A comunicação organizacional é o tipo ou processo de comunicação que ocorre no contexto de uma organização, seja ela pública ou privada. O profissional que cuida desta área cabe a ele executar ações de interação entre a organização e seus diversos públicos (consumidores, clientes e funcionários).

Kunsch explica que, “Comunicação organizacional, como objeto de pesquisa, é a disciplina que estuda como se processa o fenômeno comunicacional dentro das organizações no âmbito da sociedade global. Ela analisa o sistema, o funcionamento e o processo de comunicação entre a organização e seus diversos públicos.”

Não há gestão de relacionamento assertivo sem que tenha uma boa comunicação organizacional. As estratégias realizadas são diferenciadas de acordo com o perfil de cada público. Para que seja alcançada a qualidade na comunicação é necessário que circule as informações por todos os setores.

A comunicação organizacional compreende uma série de ferramentas de uma empresa e melhora na produtividade dos funcionários. O papel dela envolve querer, planejar e criar objetivos para alcançar o êxito desejado. Além disso, serve também para deixar os colaboradores a par do que está acontecendo na empresa.

Ela  serve como plano para criar um clima motivador dentro de uma empresa onde educa, constrói valores e valoriza indivíduos. Ajuda a produzir comunicação para o mercado organizacional e criar valores no mercado consumidor através da propaganda institucional.

Ela é fundamental para que as empresas cumpram com a sua missão, e na realização dos objetivos estratégicos. Nutrindo a relação com os stakeholders, que são os funcionários, fornecedores, clientes, parceiros, dentre outros que tenham relação com a empresa.

A comunicação organizacional possui quatro funções básicas que são controle, motivação, expressão e informação passada.

Sendo composta por todas as formas de comunicação dentro de uma empresa:

Comunicação institucional – Compreende a comunicação com o ambiente externo.

Comunicação Interna – Abrange a comunicação dirigida ao público interno. As mensagens são enviadas dentro da organização.

Comunicação Mercadológica – São as estratégias de marketing, publicidade, eventos, dentre outros, destinados a promover a marca, produtos ou serviços.

Comunicação Integrada – É a soma de todas as atividades de comunicação realizadas pelos diversos departamentos da empresa. Para que os fluxos de informações vertical e horizontal, ocorra sem ruídos.

Dentro da empresa a comunicação organizacional terá várias funções, além de gerenciar o relacionamento com o todos os públicos. Dentre essas diversas funções estarão:

  • Promover o entendimento dos objetivos organizacionais.
  • Mobilizar e integrar o público interno.
  • Fortalecer as informações com stakeholders.
  • Visibilidade no mercado.
  • Facilitar os processos de negociação.
  • Gerenciar crises.
  • Otimizar as tomadas de decisão.
  • Melhorar relação com a imprensa.

Ainda a comunicação organizacional é apresentada em três dimensões: instrumental, estratégica e humana.

Dimensão Instrumental – canal ou meio de envio de informações, aonde é feita de maneira direta, sem pesquisa ou análise.

Dimensão Estratégica – Planeja, administra e pensa na comunicação. Auxiliando as empresas para que percebam possíveis ameaças e oportunidades no ambiente.

Dimensão Humana – objetivo é o entendimento entre as pessoas. Voltadas para as relações que são construídas e reconstruídas diariamente.

E as formas de comunicação? Que canais podem ser usados? Eles podem ser os mais diversos:

Blog – Comunicação informal, e de conteúdos para o público externo.

TV Corporativa – Para transmitir mensagens corporativas à todos os colaboradores, que estão dentro e fora da empresa.

Intranet – canal na Web para transmissão de mensagem corporativa, relacionamento. Além de atividades operacionais com o público interno.

Jonal institucional – Publicações com conteúdo interativo, informativo e entretenimento com o público interno e externo.

Newsletter – Boletim informativo periódico para os diferentes públicos da organização.

Entendeu como é importante ter uma boa comunicação organizacional dentro de uma empresa? Agora veja como anda a comunicação da sua empresa, e se precisar faça melhorias e adeque a cada público. Depois nos conte como foi essa experiência e seus resultados.

 

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário UNIEURO. Assistente Executiva de Marketing no Departamento de Assessoria Executiva – Daexe. Gosta de escrever, ler, criar peças publicitária, diagramar e executar tarefas de ações e estratégias marketing. Pesquisadora em comportamento do consumidor.