MEI pode participar de licitação

MEI pode participar de licitação? E pessoa física? Descubra agora

Micrempreendedores Individuais (MEIs) são empresas formadas por uma única pessoa e paga tributos específicos e pode exercer diversas atividades. Mas quando e assunto é compras públicas fica uma pergunta: Mei pode participar de licitação?

A criação desta modalidade proporcionou que, pequenos empreendedores, que antes trabalhavam sozinhos e concentravam neles mesmos todas as tarefas da empresa, como a fabricação, venda, reposição, etc., agora sejam caracterizados como uma empresa.

Isto foi importante para a normatização de diversos empreendedores, que antes trabalhavam na informalidade.

MEI pode participar de licitação

Precisa de uma solução efetiva e profissional para a gestão da sua empresa? Agende uma ligação com um assessor e descubra tudo que a Daexe pode fazer por você!

 

Atualmente, existem cerca de 10 milhões de microempreendedores individuais no Brasil e este enquadramento é a maioria entre os tipos de empresa no país.

Diante deste quadro, seria injusto pensar que este tipo de empresa não possa participar de licitações.

E, neste artigo, adiantamos para você, leitor, que sim, é possível que MEI e até pessoa física possa se habilitar em uma licitação!

Como MEI pode participar de uma licitação

Aqui não há segredo: um MEI pode participar em uma licitação da mesma forma em que uma empresa de médio e de grande porte podem participar.

A única ressalva é que, como o regime do MEI permite que ele tenha receita bruta anual de até R$81.000,00, é necessário que a sua participação em uma licitação não ultrapasse esse valor ou que seja até inferior, já que é possível que o MEI ainda lucre com outros serviços.

Para isso, o MEI deve se concentrar nas licitações de menor valor, geralmente encontradas nas licitações de municípios.

Um aspecto positivo da participação dos microempreendedores individuais nas licitações é que eles possuem vantagens na contração, podendo ser até ser um critério de desempate.

Outro ponto importante é que, caso sua empresa intencione crescer no mercado, fornecer produtos e serviços à Administração Pública é um meio de fomentar o crescimento, afinal, os contratos podem ser em longo prazo e os valores podem ser interessantes para as empresas.

Documentos necessários para o MEI participar de uma licitação

Os documentos que o MEI deve apresentar em um processo licitatório não se diferenciam muito dos que uma empresa de médio ou grande porte deve apresentar.

No geral, é necessário que o MEI apresente os seguintes documentos:

  • Documentos pessoais do MEI e também os documentos da empresa;
  • Documentos que demonstrem a regularidade fiscal da empresa, como a prova que quitação com a Fazenda Federal e as certidões negativas de INSS e FGTS;
  • Prova de regularidade fiscal estadual e municipal;
  • Qualificação técnica;
  • Demais documentos que o edital possa exigir.

Uma dica importante para o MEI é que ele esteja alinhado com seu contador, e manifestando o interesse de participar de uma licitação, desde já inicie a regularização do seu negócio e deixe de fácil acesso os documentos que comprovem esta regularidade.

Como uma Pessoa Física pode participar de uma licitação

Um aspecto que pode parecer curioso é quanto à possibilidade de uma pessoa física participar de uma licitação, afinal, presume-se que caso o negócio dela fosse confiável, ela estaria funcionando em forma de pessoa jurídica.

Mas engana-se quem pensa assim.

Na verdade, em termos de tributos, é muito mais vantajoso um autônomo trabalhar como uma pessoa jurídica do que como pessoa física. A alíquota cobrada de quem presta serviços e não tem CNPJ são superiores aos cobrados de quem possui este cadastro.

No entanto, em alguns casos, é possível que a pessoa preste aquele serviço de forma esporádica e, por isso, não seja vantajoso obter um CNPJ. Um exemplo é um artesão, que pode desenvolver sua arte somente quando há uma demanda específica.

De antemão, é possível que uma pessoa física participe de uma licitação em qualquer esfera, seja ela municipal, estadual ou federal.

Porém, vale ressaltar que a pessoa física não poderá participar de todas as licitações, afinal, um dos requisitos é a demonstração de capacidade para fornecimento do serviço.

Por exemplo, é plenamente possível que uma pessoa física consiga demonstrar que pode fornecer, semanalmente, 10 bolos para uma escola. No entanto, já não se pode dizer o mesmo de uma licitação que visa contratar o asfaltamento de um bairro, por exemplo.

O que ficar de olho

Por isso, o que deve ser verificado é o objeto da licitação. A partir daí será possível extrair se o serviço contratado irá requerer um capital social mínimo, o emprego de funcionários ou se será necessário apresentar um documento próprio das pessoas jurídicas.

Uma dica preciosa para a pessoa física é o planejamento financeiro. Planejar suas finanças antes de se arriscar em uma licitação é essencial.

Os órgãos públicos tendem a demorar mais tempo a repassar o dinheiro dos serviços ou produtos, em comparação aos demais tipos de clientes.

Para uma empresa, receber em dois meses após a prestação do serviço tem um impacto. Já para a pessoa física, que depende diretamente do salário para sobrevivência, a repercussão é outra. Por isso, é preciso planejamento!

Documentos necessários para a Pessoa Física

Para a Pessoa Física os documentos necessários para a habilitação são em número menor do que os requisitados para uma pessoa jurídica.

No geral, serão requisitados os documentos pessoais, um documento que comprove a qualificação técnica, além dos demais que possam ser solicitados pelo órgão.

Além disso, a depender da atividade contratada, poderá ser solicitado algum outro tipo de documento.

Mas neste ponto, antecipamos que não há motivo de pânico para o interessado, afinal, pela dimensão do prestador do serviço, os órgãos costumam requisitar documentos menos complexos.

A pessoa física se tornará empregada do órgão?

Ainda que a Pessoa Física seja contratada pela Administração Pública, ela não se tornará empregada do órgão.

Para a caracterização da relação de emprego, um dos requisitos dispostos pela lei é a subordinação da pessoa. Em fornecimento de serviço ou produto não existe subordinação entre as partes, mas sim uma livre disposição entre elas para que haja uma compra e venda

Por isso, não existe relação de emprego quando um órgão público contrata uma pessoa física.

 

Independente se você for pessoa física ou MEI, busque sempre auxílio de um especialista antes de participar de uma licitação!

Organize sua empresa em 7 dias

eBook Repensando o Planejamento Estratégico

4 Motivos para contratar assessoria executiva para sua empresa

Muitos trabalhadores com visão empreendedora e empreendedores apaixonados percebem rápido que a empresa precisa de um novo fôlego. Mas nem sempre conseguem implementar uma solução para atingir seus objetivos. Uma assessoria executiva como a que a Daexe oferta pode auxiliar nesse processo.

Mas nem todos têm cabeça aberta para assumir problemas, ou não percebem os benefícios. Por isso, vamos tratar aqui alguns dos principais pontos para convencer sócios, chefes e empresários a contratarem uma assessoria técnica.

 

Foto: Tumisu/Pixabay

Que tal fazer um raio-x da saúde da sua empresa com um diagnóstico gratuito da Daexe? Agende seu horário com um assessor.

O que é e o que faz uma assessoria executiva

Uma assessoria executiva como a Daexe é uma empresa que tem como missão cuidar de outros negócios e os ajudarem a aumentarem seu potencial de vendas e valor entregue para seus clientes e colaboradores.

Portanto suas funções podem ser divididas em duas etapas, a primeira consiste em diagnosticar e criar um plano de ação. Mas tudo com base científica, analisando relatórios, dados, processos operacionais e produzindo conhecimento e estatísticas para embasar o melhor plano de ação para sua empresa.

E a segunda etapa é a mais interessante e o grande diferencial de modelos de consultoria: o assessor executivo executa o planejamento e as ações pensadas e aprovadas na primeira etapa utilizando metodologias como Balanced Scorecard, Objectives and Key Results (OKR) e outros métodos de ponta.

 

Quando contratar uma assessoria executiva?

Uma assessoria executiva é uma empresa que vai entender e executar, como vimos até agora. E ela pode ser contratada a qualquer momento, seja para auxiliar a superação de crises ou para melhorar os processos operacionais.

Se existem dificuldades, atrasos recorrentes em algum setor da empresa e qualquer outro probleminha, uma assessoria executiva pode auxiliar a resolver o problema.

4 motivos que convencem qualquer gestor a contratar uma assessoria:

 

1. Impacto Financeiro da assessoria executiva

A primeira coisa é saber qual o problema que existe atualmente e conversar com um assessor para ter um parâmetro de como a consultoria poderia auxiliar a poupar dinheiro ou aumentar a receita.

Além disso, é bom olhar os cases da empresa e perceber os retornos entregues, em especial os que dizem respeito a aumento de receita. Afinal, esse é o argumento que convence qualquer gestor.

No mundo empresarial o que importa no fim das contas são duas coisas: quanto vai ganhar e quanto vai economizar.

 

2. Experiência e resultado

De novo, olhar os cases da empresa vai ser um diferencial! Apresentar os resultados de trabalhos semelhantes com o que sua empresa precisa pode ser um diferencial e um argumento importante para garantir a contratação.

A experiência posta em prática em uma empresa vai apresentar resultados, mas é preciso delimitar melhor quais são os resultados esperados.

O plano de ação precisa ser voltado para o objetivo específico, seja ele mais agilidade na linha de produção, maior qualidade do produto, otimização da relação com fornecedores, otimização da equipe administrativa ou uma organização financeira mais apurada que vai reduzir riscos de problemas financeiros.

 

3. Concorrência

Ninguém quer ficar para trás. Mas muitas vezes as pessoas não sabem como ir pra frente, sequer como reproduzir algumas coisas que a concorrência faz. Uma assessoria executiva inteligente como a Daexe pode te auxiliar a entender a fundo as estratégias dos concorrentes.

E conhecimento é poder: se você sabe como é feito, o próximo passo é como conseguir competir. E isso a uma assessoria focada em resultados como a Daexe pode te auxiliar a conquistar.

 

4. Tempo

Com efeito rápido na rotina da empresa, o primeiro impacto e um dos mais importantes de uma assessoria executiva é o tempo! Com ela você não tem apenas uma visão experiente e crítica do seu negócio para criar soluções e ações estratégicas para sua equipe implantar.

Mas você tem a capacidade técnica e experiência para encontrar as soluções ideias acrescida das mãos e atuação desses profissionais para implementar as ações. E esse é um ótimo jeito de desafogar a sua equipe, treiná-la, absorver experiência e ganhar tempo.

Ao final, é possível ganhar de diversas formas com uma assessoria executiva:

 

Resultados: O tempo entre você e a melhora dos resultados da sua empresa diminui.

Concorrência: Sua empresa ganha tempo frente a concorrência! Alcance padrões de excelência mais rapidamente.

Troca de experiência: Um assessor com ampla experiência estará na sua empresa, você e seus colaboradores podem aproveitar este tempo para trocar experiências, técnicas e aumentar o seu desenvolvimento.

Educação: O tempo ganho com uma assessoria executiva na sua empresa pode ser investido também em qualificação pessoal ou qualificação da sua equipe com treinos e cursos.

Liberdade: Ter um tempinho extra para aproveitar como quiser, coordenando esforços no que importa!

Lazer: Por quê não aproveitar o tempo extra que a assessoria executiva vai proporcionar com sua família, festas, atividades físicas e culturais?

 

Independente de onde os empresários gastam suas horas a mais, uma coisa é certa: com uma boa assessoria executiva sua empresa economiza dinheiro, tempo e ganha qualidade e melhores resultados.

 

 

Balanced Scorecard

Metodologia 5S – Veja a sua importância e porque implementar na sua empresa

Já conhece a metodologia 5S ? E como ela é utilizada? Leia este artigo e entenda porque ela é importante dentro de uma organização.

 

O que é o 5S ?

Primeiramente, é preciso explicar que 5S são cinco palavras que vem do japonês os quais formam as iniciais desta metodologia. Elas são: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke, que traduzidas para o português significa senso de utilização, senso de ordenação, senso de limpeza, senso de asseio e senso de auto disciplina.

Sendo assim, foram desenvolvidas com o objetivo de que as empresas pudessem de forma eficaz compreender, capacitar e apresentar bons resultados. Sua aplicação é baseada em ideias simples e que pode estar trazendo diversos benefícios.

Diante disso, este é um programa que pode ser implementado no planejamento estratégico para que alguns aspectos relacionados possam apresentar a melhoria necessária.

1º SENSO – UTILIZAÇÃO (SEIRI)

Primordialmente, o primeiro 5S vem do senso de utilização, este tem como objetivo tornar o trabalho mais útil e menos poluído. Isso se refere tanto ao visual como ao espaço.

Assim sendo, separe tudo que é indispensável ao serviço, eliminando o desnecessário. Veja como fazer:

  • De uso constante: coloque os materiais e equipamentos que você usa freqüentemente bem próximo de você (mesa, bancada, máquina, etc) de forma organizada e de fácil acesso.
  • Ocasional: o que não for usado diariamente coloque um pouco afastado de você, podendo ser guardado em armários, prateleiras, arquivos, em pen drive ou devolvido ao almoxarifado.
  • Uso raro, mas necessário: coloque os materiais, documentos, equipamentos separados, identificando-os num local determinado.

O material desnecessário para o setor pode ser encaminhado para o Arquivo Central, Almoxarifado ou descartado corretamente.

BENEFÍCIO: Se ganha espaço físico e perde-se menos tempo em procurar objetos.

Dessa forma, eliminam-se materiais sem uso e em excesso, além de combater o desperdício e diminuir os acidentes.

Leia também: Por que pensar em planejamento é pensar no sucesso do seu negócio

2º SENSO – ORDENAÇÃO (SEITON)

O segundo senso se refere a ordenação ou organização, sendo que é uma continuação do primeiro, mas agora é a fase da simplificação.  Praticando esse senso, você perceberá que, com tudo organizado e identificado em seu devido lugar a vida se torna mais fácil.

  • Padronize os nomes e coloque etiquetas adequadas nos materiais, objetos, documentos, equipamentos, pastas, arquivos, gavetas, bancadas, etc.
  • Exponha todos os pontos críticos, como: locais perigosos, máquinas que exigem atenção especial, proibido fumar, etc.
  • Coloque cada objeto no local adequado e identificado (quadro de ferramentas, prateleiras, arquivos, etc), pois isso facilitará encontrá-lo quando for preciso.
  • Utilize faixas e placas de sinalização para delimitar os locais de trabalho e os corredores.
  • Mantenha em ordem as bancadas, mesas e a área de trabalho. Não deixe objetos espalhados durante a execução do trabalho.
  • Após o trabalho, não deixe no local objetos espalhados, restos de materiais, sucatas, etc.
  • Sinalize os extintores de incêndio, colocando em local adequado, identificado e deixando a passagem livre.
  • Mantenham limpos, organizados e fechados os armários do vestiário.
  • Não deixe papéis, cartazes, folhas, etc, coladas nas paredes. Use somente o quadro de avisos.
  • Utilizar corretamente os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

BENEFÍCIO: Ganha-se tempo, diminui-se o cansaço físico por movimentação desnecessária, possibilita-se uma evacuação rápida em caso de perigo, rapidez e facilidade para encontrar algum objeto, além de diminuir acidentes.

3º SENSO – LIMPEZA (SEISOU)

Já o senso de limpeza como o próprio nome já diz, consiste na limpeza do ambiente de trabalho, por meio de uma investigação. Ou seja, verificando aquilo que gera sujeiras e imperfeições.

Desse modo, cada Colaborador deve limpar a sua própria área de trabalho e evitar sujar.

  • Não deixe óleo, sujeira, papel, sucata, etc no chão.
  • Não deixe existir vazamento nos equipamentos.
  • Varra todos os dias seu local de trabalho.
  • Recolha lixos todos os dias.
  • Limpe os equipamentos e ferramentas após usá-los.
  • Mantenham limpos os armários do vestiário.
  • Limpe computadores, telefone, armários e demais equipamentos diariamente.
  • Devolva as ferramentas limpas para o almoxarifado, para serem usadas por outro colaborador.

BENEFÍCIO: Purificação dos locais de trabalho, boa aparência, diminuição de doenças e acidentes.

“Não arruma-se a casa só quando vai receber visitas, e sim todos os dias”.

4º SENSO – ASSEIO (SEIKETSU)

Senso de asseio ou padronização consiste na manutenção dos outros para garantir as constantes melhorias.

Refere-se ainda à preocupação com a própria saúde física, mental e emocional. O colaborador deve ter plena consciência dos aspectos que afetam a sua própria saúde.

  • Pratique os 3 sensos individualmente e diariamente.
  • O local de trabalho deve estar bem iluminado e ventilado.
  • Use o uniforme limpo e asseado (Consulto o Manual PEC).
  • Mantenha a boa aparência física, cabelos cortados, unhas aparadas, etc.
  • Mantenham limpos os vestiários, banheiros, salas, refeitórios, auditórios etc.

BENEFÍCIO: Melhora-se o ambiente de trabalho e a produtividade, previnem-se doenças, diminui-se o stress e ainda se traz segurança e boa aparência aos colaboradores.

Veja também:Entenda o que é e como funciona a estratégia Account – Based Marketing

5º SENSO – AUTO DISCIPLINA (SHITSUKE)

Ao chegar no senso de auto disciplina significa que o programa está caminhando perfeitamente.

Pois, descartamos o desnecessário, organizamos o que usamos, limpamos nosso local de trabalho, e nos mantemos limpos, então, não podemos relaxar e deixar bagunçar tudo novamente. Esse senso nos disciplina a cumprir as regras e acertos já feitos.

Se somos desorganizados, mudar é difícil e leva tempo, mas os resultados compensam.

Para praticar o 5 S, devemos ter os seguintes atributos humanos: humildade, confiança, respeito, espírito de equipe e bom humor.

  • Compartilhar visão e valores.
  • Melhorar a comunicação em geral.
  • Ter respeito com o colega de trabalho.
  • Ter criatividade e buscar melhorias para o trabalho.
  • Praticar todos os 5 S, diariamente.

BENEFÍCIO: Melhoria contínua no âmbito pessoal e organizacional, auto inspeção e auto controle.

“Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.

 

Portanto, a metodologia 5S é uma ferramenta que quando utilizada colabora para criação a cultura de disciplina. O qual ainda permite identificar problemas e gerar oportunidades de melhorias para empresas, levando à todos maior compreensão do seu papel na organização.

Devido à isso, as vantagens geral de aplicar o programa 5s são:

  • Melhor qualidade, produtividade e segurança no trabalho;
  • Trabalho diário agradável;
  • Melhoria nas relações humanas;
  • Valorização do ser humano;
  • Cumprimento dos procedimentos operacionais e administrativos;

Assim também, proporciona melhoria na qualidade de vida dos colaboradores não apenas no profissional como também no pessoal.

 

A importância da Ergonomia nas Empresas

A sua empresa segue as regras da ergonomia? Veja e entenda porque ela é importante para as empresas.

O que é ergonomia?

A ergonomia é a ciência que estuda a relação entre homem e máquina, ou seja, o trabalho que executa. O objetivo é desenvolver uma integração perfeita, possibilitando melhores condições de trabalho com mais segurança, eficiência, garantindo a saúde e o conforto.

Portanto, é importante entender que quem busca o uso da ergonomia previne acidentes, corrige erros e diminui riscos em geral.

Além disso as análises de estudo da ergonomia são feitas a partir da postura adotada pelos trabalhadores, os movimentos corporais, os fatores físicos e os equipamentos utilizados. E com isso otimiza as condições de trabalho, com métodos utilizados da tecnologia e desenho industrial.

Quais os tipos de ergonomia?

Primeiramente é preciso saber que existem três tipos de ergonomia a física, a organizacional e a cognitiva. A diferença entre elas está basicamente no objeto de estudo e forma como será sua intervenção.

Ergonomia Física – A ergonomia física trata especificamente da relação entre as atividades físicas executadas e as características que a pessoa possui. Como a anatomia, a fisiologia, antropometria e a biomecânica.

Assim sendo, são analisados a postura no trabalho, movimentos repetitivos, como manuseiam os equipamentos, além de pontos relacionados a saúde, principalmente voltados para os músculos.

Com isso, são feitos estudos antropométricos os quais irão analisar as medidas do corpo humano do trabalhador. Para poderem dimensionar os equipamentos de acordo com quem for manuseia-lo.

Ergonomia Organizacional – A ergonomia organizacional trata das estruturas de processos e políticas para incluir os colaboradores como parte inerente do sistema.

Por isso, estão relacionados as comunicações, projetos, trabalhos em grupo, gestão de qualidade, organização temporal do trabalho, trabalhos cooperativos e organização em rede. Propondo intervir no clima organizacional da empresa, para preservar a saúde e bem-estar.

Ergonomia Cognitiva – Enquanto, a ergonomia cognitiva é relacionada aos processos mentais utilizados pelo ser humano na realização de seus trabalhos. Como o raciocínio, a resposta motora, percepção e memória.

Sendo assim, ela avalia e intervém nas questões que influenciam no nível mental de cada trabalhador. O principal objetivo é diminuir fatores que venham estressar o colaborador.

Leia também:Universidade Corporativa: Custo ou Investimento?

Vantagens

  • aumento na produtividade;
  • clima organizacional favorável;
  • trabalhadores satisfeitos;
  • menos riscos de acidentes e doenças ocupacionais;
  • redução no número de atrasos e faltas;
  • redução no número de pedidos de demissão;
  • menos riscos de problemas emocionais (ansiedade, estresse e depressão).

Riscos no ambiente de trabalho sem ergonomia

  • Postura inadequada;
  • Repetição nos movimentos;
  • Iluminação deficiente;
  • Ritmo acelerado do trabalho;
  • Monotonia de atividades;
  • Grandes jornadas de trabalho;
  • Levantamento de cargas pesadas.

O que a NR- 17?

A saber, é a norma regulamentadora da ergonomia. A qual visa estabelecer parâmetros permitindo a adaptação das condições de trabalho ás características psicofisiológicas dos trabalhadores, com o objetivo de proporcionar um ótimo conforto, segurança e desempenho eficiente.

Ergonomia é aplicada somente no trabalho? E como ela pode ser aplicada?

Certamente, essa pode ser dúvida de algumas pessoas, e a resposta é não. Ou seja, a ergonomia não é aplicada somente no trabalho, mas também em casa, nas embalagens de produtos, nas escolas, transportes, dentre outros.

Só para exemplificar, nas escola é recomendado que o aluno carregue até 10% do peso nas mochilas, em veículos os ombros do motorista devem ficar relaxados e na mesma altura.

Já em empresas a ergonomia é inserida não apenas nos equipamentos, mas também quando se coloca atividades como intervalos e ginástica laboral, por exemplo.

Veja também:A Evolução do Empreendedorismo e o Porquê se Tornar um Empreendedor

Mudanças que melhoram o ambiente de trabalho por meio da ergonomia

Dessa forma, depois de avaliar as possíveis intervenções que podem ser feitas no trabalho são as mais diversas, porém as mais comuns são:

  • Monitor bem posicionado;
  • Apoio – Para manter os pés em posição confortável caso a mesa não tenha regulagem de altura;
  • Implementação de novos postos de trabalho;
  • Técnicas e métodos mais adequados;
  • Teclado ideal – Modelos com teclas que amorteçam os dedos evitam lesões como a tendinite
  • Encosto ajustável;
  • Mola amortecedora;
  • Altura regulável

 

Cases de sucesso

Terra Viva

Em 2011 a médica em conjunto com a Agente de RH e a Fisioterapeuta da empresa, se depararam com um caso onde a colaboradora há meses estava passado por diversos médicos e constantes afastamentos de suas atividades laborais e suas queixas piorando. Foram então quando decidiram procurar por métodos ergonômicos , onde através das inovadoras metodologias de precisão foi possível gerar o diagnóstico cinesiológico e consequentemente encaminhar a mesma para o tratamento adequado (Neste caso a Osteopatia), associado a avaliação de risco da atividade laboral avaliada, foi possível determinar se o risco ergonômico seria capaz de produzir ou agravar a disfunção que apresenta e com isso direcionar a funcionária para tratamento especializado. Após 3 meses de tratamento a colaboradora foi reabilitada e inserida em funções compatíveis com a sua capacidade física e funcional, não mais gerando afastamentos e voltando a trabalhar com satisfação.

 

JBT Food Tech

Em 2008 a JBT iniciou os trabalhos de gerenciamento dos riscos ergonômicos, foram executadas todas as Análises Ergonômicas do Trabalho, conforme disposto pela NR17. Após realizar todos os diagnósticos de risco, o departamento de SSMA (Segurança, Saúde e Meio Ambiente) da empresa, iniciou as implementações das recomendações adequando seus postos de trabalho e tornando-os mais seguros, confortáveis e eficientes.
Segundo Silvio C. Bergamaschi – Gerente de Qualidade, Segurança e Meio Ambiente da JBT, “A prontidão e experiência da Ergocorp na busca de ações eficazes e de baixo custo proporcionaram a possibilidade de implantação de ações de alto valor agregado que minimizaram ou eliminaram o risco em vários processos da empresa, sejam eles fabris ou administrativos”.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.