Posts

Plano de Marketing Digital Porque é Importante e como Elaborar

Já não é novidade que o planejamento é algo extremamente importante para o âmbito dos negócios. Além de ajudar a organizar, definir objetivos e metas, também contribui para evitar e minimizar riscos na execução de um projeto.

Desse modo, nas ações de marketing digital não seria diferente. Por isso, este artigo irá explicar a importância de um plano de marketing digital e a sua execução.

O que é um Plano de Marketing Digital?

Antes de tudo sabes o que é exatamente um plano de marketing digital?

Então, ele é um desdobramento do planejamento estratégico da empresa composto por objetivos, metas e ações. Voltadas para comunicação entre a empresa e o seu público alvo nos meios online. Esse planejamento pode ser de curto, médio ou a longo prazo.

Sendo mais específicos o marketing digital serve para:

  • Elevar a consciência da marca e sua autoridade junto ao mercado.
  • Atrair novos clientes, fidelizar os atuais e recuperar os antigos.
  • Aumentar as vendas, o faturamento e a lucratividade do negócio.
  • Divulgar ou apresentar produtos e serviços novos.

Leia Também: 4 estratégias de marketing atuais que sua empresa deve fazer

Quem deve Utilizar do Marketing Digital? E como Fazer?

O marketing digital é uma atividade crucialmente importante para qualquer empresa, certamente já ouviste falar que propaganda é a alma do negócio, certo. Por esse motivo recomendamos que todas as empresas devem separar uma verba mensal para investir no marketing digital.  Tendo consciência que no marketing não existe fórmula de bolo, mas sim ingredientes.

Contudo, às vezes poderá ter a sensação que estas jogando dinheiro fora, porque os resultados normalmente demoram aparecer. É aí que está o segredo do marketing digital, a persistência, consistência e paciência.

Sendo que no ambiente digital não há necessidade de investir enormes quantias, além de poder mensurar de forma fácil e exata o resultado do investimento. Dependendo de o resultado diminuir, mudar de estratégia ou aumentar o investimento.

Assim também, com a inovação tecnológica que vem acontecendo, o ambiente online apresenta maior potencial para os estrategistas de marketing digital.  A criação e execução de um plano de marketing digital é o ideal para se tornar uma referência no seu setor.

São diversos canais que podem ser utilizados como por exemplo, redes socias, blog, site, email marketing, links patrocinados, youtube, chats, entre outros. Em uma estratégia você pode utilizar vários canais, pois cada um irá agregar nas ações de diferentes formas. Podendo até mesmo transmitir a mesma mensagem em canais diferentes para impactar diversos públicos.

Vantagens de um plano de marketing digital

  • Ajuda a escolher os melhores meios de comunicação para cada público.
  • Possibilita promover ações mais eficazes, com melhores resultados e menores custos.
  • Permite tomar decisões antecipadas.
  • Gera resultados a curto, médio ou longo prazo.
  • Torna mais fácil definir  as métricas para análise dos resultados.
  • Melhora a compreensão do share do mercado da empresa.

Veja Também: Entenda o que é e como funciona a estratégia Account – Based Marketing

Passo a Passo para Criação do Plano                        

Para que entenda melhor como fazer um plano de marketing digital, acompanhe este passo a passo. Ele é ideal para implementação do plano na sua empresa.

 1 – Defina e conheça seu público alvo

Primeiramente, é importantíssimo conhecer muito bem seu público alvo, já que a comunicação será destinada para eles. Logo deve-se estudar e pesquisar quem é o seu público, onde ele está, seus desejos, necessidades, influências, motivações, dentre outros. Procure por todas as informações possíveis, porque o plano precisa ter o enfoque certo, para que possa atingir o seu público ideal.

2 – Análise Swot 

Faça uma análise dos ambientes externos e internos da empresa. Verifique quais são suas forças e fraquezas, as suas oportunidades e as ameaças. Trata-se de fazer uma auditoria abrangente que ajuda a identificar os fatores que estão afetando o desempenho da empresa.

3 – Defina objetivos e Métricas

Estabeleça objetivos claros que consiga alcançar. Lembre-se que o objetivo deve ser pautado para trazer melhorias. O que você quer na sua empresa ? O que os clientes procuram ? Faça algumas perguntas e entenda o que precisa ser respondido nesse plano.

As métricas irão avaliar como cada ação está sendo realizada e se está alcançando ou não os objetivos definidos.

4 – Defina os canais 

Com a vasta opções de divulgação, defina qual melhor se encaixa na sua estratégia. Se precisar usar vários como já foi falado não tem problema. Mas não jogue as ações lá e deixe, faça o monitoramento de todas as campanhas realizadas.

 5 – Elabore um cronograma de ações 

O cronograma irá ajudar para que as ações sejam realizadas dentro de um prazo estabelecido e que nenhuma possa se perder. Dessa forma, mantém a organização analisando também o que deve ser feito primeiro, quais são as tarefas mais importantes, etc.

6 – Orçamento 

Faça o orçamento, veja no que, como e para que o dinheiro será investido. Entenda o que está te dando retorno e também o que não está.

7 – Monitoramento 

Faça a monitoração de todas as ações que estão no plano e que devem ser executadas. Acompanhando o antes, o durante e o depois.

Cases de sucesso

Viva Oftalmologia

A Viva Oftalmologia é uma clínica com uma estrutura montada para atender a necessidade de pacientes que buscam o cuidado com a saúde visual e também com a saúde ocular.

Precisando investir para divulgar a clínica, fez uma análise minuciosa de tudo o que poderia ser feito. Como o principal objetivo era divulgar uma técnica específica, tudo foi colocado na ponta do lápis para garantir o melhor ROI para o cliente.
Sendo assim, o resultado foi:

  • 328% de aumento nos visitantes do site;
  • Primeira posição no Google com a palavra-chave da técnica;
  • +55% de vendas no período pelo canal orgânico.
Dove: Retratos da Real Beleza

A campanha global da Unilever para a Dove mostra várias mulheres sendo retratadas por um desenhista forense, baseado nas descrições das próprias mulheres e de outras pessoas.

A campanha está entre as maiores audiências entre vídeos publicitários da história do YouTube. E, segundo o publicitário Paulo Castro, o segredo está na característica de enaltecer a beleza real, o que é emocional, e o direcionamento das campanhas para as redes sociais. Afinal, não dá para fazer uma peça de três, quatro minutos, para a TV.

Gostou do artigo ? Comente suas experiências, e se ainda não fez um plano de marketing digital da sua empresa, tente fazer, conte com a Daexe para realização do seu plano.

Contabilidade gerencial: o que é e como começar a fazer na sua empresa

Contabilidade Gerencial: Veja o que é e como fazer

Diferente da contabilidade financeira, a contabilidade gerencial produz relatórios para gerentes, diretores e demais públicos internos. Quando bem realizada, ela se torna uma ferramenta contábil que pode refletir em melhores resultados.

Além de ser importante para ajudar a criar ações futuras, a contabilidade gerencial oferece uma visão completa da empresa. Se você ainda não implantou essa ferramenta na sua gestão, conheça mais sobre ela a seguir:

O que é a contabilidade gerencial?

A contabilidade gerencial é considerada uma ferramenta contábil. Com uso estratégico, ela reúne dados da empresa que possam ser relevantes aos gestores. A sua principal função é orientar a tomada de decisões.

Os relatórios gerados são estratégicos porque se concentram naquilo que é necessário se ter conhecimento. Eles podem incluir detalhes dos recursos financeiros disponíveis, fluxo de vendas, contas a vencer, etc.

  • Para entendê-la melhor conheça os seus principais benefícios:
  • Aumenta a eficiência dos gestores;
  • Auxilia na tomada de decisões;
  • Auxilia na fixação de preços;
  • Atua na previsão financeira;
  • Otimiza o controle de desperdícios;
  • Aumenta a comunicação entre os diferentes níveis de gestão;
  • Aumenta o lucro;
  • Norteia decisões estratégicas.

Como aplicar

contabilidade gerencialPara aplicar a contabilidade gerencial, é preciso integrá-la com toda a contabilidade da sua empresa. Isso acontece porque para gerar os relatórios deve-se ter acesso a todo orçamento e custos.

Além do desenvolvimento dos relatórios, a estratégia pode ser aplicada ainda com outras ações. Aproximar a contabilidade de todos os departamentos é uma dessas ações. Assim, é possível que todos participem da construção de estratégias aprofundadas.

O acesso a toda e qualquer informação da empresa também é fundamental para aplicar a contabilidade gerencial. Somente assim é possível a precisão dos resultados. Além disso, contar com softwares de dados fiscais também ajuda a reduzir os erros.

Veja Também: Gestão Financeira por fluxo de caixa e por fluxo de competência

Contabilidade gerencial versus contabilidade financeira

Entender a diferença entre essas duas formas de contabilidade é simples. Basicamente, elas dividem-se em externa e interna. A contabilidade gerencial é considerada interna. A diferença é que ela apresenta as informações para os próprios gestores, sócios e empregados da empresa.

Por outro lado, a Contabilidade Financeira é focada em apresentar as informações para o público externo. No caso, esse público pode ser fornecedores, investidores ou até o governo.

O grande benefício da Contabilidade Gerencial é que os seus dados são pensados em benefício da própria administração da empresa. É importante destacar que uma não é mais importante do que a outra, já que possuem focos distintos. Para traçar estratégias de crescimento, por exemplo, a Contabilidade Gerencial pode ser muito mais efetiva.

Plano de Conta Personalizado

Mesmo não possuindo nenhuma validade legal, o Plano de Contas Personalizado pode ser um diferencial na construção da Contabilidade Gerencial. A sua função é auxiliar na análise das informações da empresa. Com ele é possível visualizar inúmeros dados:

  • Valor de vendas;
  • Vendas em cartão/cheque/dinheiro;
  • Compra de mercadorias;
  • Material de consumo;
  • Contas como luz e água.

Em suma, tudo o que acontece na empresa relacionado à contabilidade poderá constar no plano. Para utilizá-lo, contudo, é necessário contar com um software de gestão que possua a função. 

O Plano de Contas Personalizado destaca-se pelo alto detalhamento das informações. Normalmente em planilhas, ele as apresenta de forma clara e separadas por atividades dentro da empresa. O plano pode conter ainda as contas e suas descrições para facilitar a interpretação de quem receber o relatório.

A contabilidade gerencial, de fato, não acontece sozinha. Como se salientou, ela depende tanto de recursos como o Plano de Contas como de pessoas que formam a empresa. Unindo informações e métodos, ela pode ser decisiva para uma empresa que busca crescer.

contabilidade gerencial

 

Qual a sua estratégia para fechar negócios na crise?

Fechar negócios na crise

Há alguns meses atrás, a Revista Exame publicou um artigo super interessante com 20 estratégias utilizadas por empresas reais para sobreviver em meio à crise. Na nossa avaliação, a grande lição do artigo foi SAIA DA INÉRCIA. E para te ajudar a sair dela, nós separamos e resumimos as 3 melhores estratégias voltadas para vendas, entre as 20. Confira:

1) Repense os preços que você já pratica

A empresa Agendor oferecia um aplicativo cobrado por números aproximados de funcionários na empresa (5,10 e 20 pessoas, por exemplo). Com a crise e a redução do quadro de funcionários de seus clientes, começou a receber reclamações porque um empresa com seis funcionários pagaria o mesmo de quem tinha 10. O Agendor passou a cobrar exatamente pelo número de membros da equipe.

Resultado: Fizeram a mudança em 4 meses e conseguiram recuperar a taxa de crescimento que tinham no primeiro semestre de 2015.

2) Monte competições para sua equipe de vendas
A rede de franquias Outer Shoes passou a dar mais feedback para os vendedores e a criar ações divertidas para estimular a equipe, como corridas de vendas e gincanas, com metas e premiações atreladas.
Resultado: O faturamento tem crescido em média 10% por mês, em cada uma das unidades.

3) Recompense quem paga em dia
Com a crise, os ciclos de venda da Big Data Corp ficaram mais longos, e os clientes começaram a atrasar os pagamentos por um mês ou mais. Por isso, a empresa criou um desconto especial por pagamento em dia, na proporção da velocidade do pagamento.
Resultado: Conseguiram reduzir a inadimplência dos clientes existentes em 50% e mantiveram o ritmo de vendas semelhante ao anterior à crise: cerca de 100% ao ano.

E você? Qual a sua estratégia pra fechar negócios na crise? Já pensou em utilizar alguma dessas três?

Se estiver precisando de orientações para pensar novas estratégias, marque uma reunião com seu assessor executivo de marketing do Daexe.

Você sabe a diferença entre métricas e indicadores?

Pode parecer um assunto difícil à primeira vista, mas não há grandes mistérios na hora de definir e entender o que são métricas e indicadores. Ambos são termos muito utilizados que servem como base para quantificar resultados e conduzir a avaliação das análises da organização. Ou seja, as métricas e os indicadores são uma forma de medir a performance da sua empresa. Mas você sabe qual a diferença entre eles? A primeira diferença entre métricas e indicadores está no conceito. Veja:

Métricas

As métricas são dados brutos, que podem ser representados por números precisos ou não. Elas estão ligadas ao nível tático e operacional da empresa, revelando o desempenho de processos. São sistemas de medida que avaliam tendências, comportamentos ou variáveis do negócio. As métricas ajudam na tomada de decisão, detectam oportunidades, mantêm o foco produtivo, identificam pontos fortes e fracos, definem necessidades de investimentos, apontam falhas operacionais e até diminuem o grau de incerteza quanto ao futuro.

Em resumo, as métricas são a base para identificar os indicadores e o passo seguinte a ser dado após a definição das metas.

Leia também: 5 indicadores de desempenho para medir seu sucesso

Indicadores

Os indicadores são as medidas calculadas a partir das métricas e servem para avaliar o desempenho da empresa. São informações estratégicas que auxiliam na análise de tendência, na melhoria contínua, na atuação proativa e dão transparência à empresa, sendo geralmente expressos de forma clara por percentuais e probabilidades.

As métricas estão ligadas às atividades e os indicadores abrangem os processos e as atividades. Os indicadores dependem de um conjunto de métricas específicas. Veja abaixo alguns exemplos dentro de quatro perspectivas: financeira, cliente, processos internos e pessoas.

FINANCEIRA

Exemplo de métrica: Faturamento; Despesas.
Exemplo de indicador: Lucro = Faturamento – Despesas.

CLIENTE
Métrica: Quantidade de clientes atendidos; Número de visitantes no site.
Indicador: NPS ou Índice de Satisfação dos clientes.

PROCESSOS INTERNOS
Métrica: Tempo de conclusão do procedimento ou tempo de entrega.
Indicador: Índice de conformidade ou Índice de eficiência de produção.

PESSOAS
Métrica: Quantidade de treinamento.
Indicador: Clima Organizacional.

Leia também: 3 métricas de vendas que sua empresa sempre deve acompanhar

Estudiosos investigaram o desempenho de 84 empresas no período entre 1984 e 1997 que adotaram um sistema de mensuração de desempenho.

O estudo concluiu que essas empresas aumentaram significativamente seu lucro residual ajustado e que a melhora persistiu durante cinco anos após o período de estudo.

Tanto indicadores como métricas devem fornecer aos executivos informações significativas para tomar melhores decisões, que impactam na meta ou nos objetivos do planejamento estratégico da empresa. De nada vale colocar em prática seu planejamento para consolidação das metas se não houver maneiras de avaliar o seu desempenho e ajustar as ações através do uso de métricas e indicadores. Fale conosco e saiba como aplicar na sua empresa e obter o sucesso que procura!

Um abraço,
Dekker Jordão Baptista.

Saiba por que clientes que reclamam são um presente

Existem dois tipos de clientes: os que reclamam e os que não reclamam.

Os que reclamam são os melhores clientes. Parece loucura, mas é isso mesmo.

Clientes que reclamam são um grande presente. Porque quando eles apontam as falhas do seu negócio, estão na verdade te prestando uma consultoria gratuita. Com reclamações pontuais, eles conseguem apontar exatamente aonde estamos errando e nos dão a grande oportunidade de imediatamente corrigirmos os rumos, seja reparando o erro diretamente com ele, seja modificando algum processo ou atividade da empresa. Por isso, temos que tratar muito bem o cliente crítico e estimulá-lo a comentar sobre a sua experiência com a nossa empresa.

Os clientes que não reclamam ou aqueles que só observam são os mais perigosos. São aqueles que facilmente podem deixar de comprar com a gente e começarem a comprar do nosso concorrente, e nós jamais saberemos o motivo nem teremos a oportunidade de melhorar, por não saber aonde estamos errando.

Pense nisso quando receber uma crítica. Crítica é a sua oportunidade de melhoria. Lembre-se que o marketing mais eficiente que existe é o boca a boca, seja para mal, seja para bem da empresa.

Você concordar? Continuamos essa conversa nos comentários abaixo.

Venda mais com estas três dicas

Aumentar o valor médio gasto com seus produtos ou serviços é um dos caminhos para aumentar o faturamento que mais depende de você e da sua equipe. Aqui vamos focar em 3 formas:

Aumente a variedade de produtos

Muitas vezes, o cliente pergunta por um produto ou serviço que você não fornece, não é verdade? Observe estes sinais. Peça para sua equipe registrar sempre que o cliente mencionar um produto ou serviço que gostaria de acessar e, quando perceber um certo volume de pedidos destinado a um deles, faça os caminho necessário: se é um produto, adquira, e se é um serviço, aprenda como ofertá-lo ou contrate quem o possa fazer.

Reformule o produto ou serviço atual

Porque um churros comum custa R$ 5,00 e um churros com Nutela e granulado custa R$ 10,00? Isso se chama agregar valor a um produto já existente! O consumidor percebe estas melhorias e está disposto a pagar por isso. Portanto, busque uma forma de diferenciar mais o produto ou serviço que está disponibilizando no mercado. Esta diferença te permite faturar mais e também é forte aliada na atração e fidelização de clientes!

Crie produtos ou serviços adicionais

Esta também é uma medida que agrega valor aos produtos e serviços já existentes. Vamos dar exemplos simples: um petshop que oferece “banho de chocolate” para os animaizinhos (ou seja, é um banho e tosa que utiliza produtos especiais) ou ainda o serviço de taxidog (buscar os cães na casa dos clientes e os leva de volta). Estes são produtos e serviços adicionais pelos quais se podem cobrar taxas que aumentam o faturamento da empresa e atraem mais clientes.

Então, qual dessas estratégias te serve HOJE? Mãos à obra, FAÇA ACONTECER!

Aproveite o pique de EXECUÇÃO para conhecer uma das metodologias de execução estratégica mais utilizadas por empresas de sucesso no mundo: Balanced Scorecard (BSC), clicando aqui>>>

4 dicas arrasadoras para vender mais em meio à crise!

Em momentos de crise na economia, a queda do movimento nos estabelecimentos de vendas reativas se torna um relato recorrente. De fato, quando há uma recessão no mercado, quem trabalha com vendas reativas fica muito vulnerável. Mas não adianta se lamentar, é necessário reagir. Os grandes empreendedores da história utilizaram os momentos de crise e adversidade para inovar, aprimorar o negócio e criar estratégias de superação. Neste artigo, apresentamos 4 dicas arrasadoras para aprimorar o seu processo de vendas e vender mais em meio à crise!

Ultrapasse a barreira das perguntas fechadas

Quando um cliente entra no seu estabelecimento, qual a primeira pergunta que você faz? Bom, muitas perguntas podem vir à sua cabeça, mas a nossa dica é: Fuja das perguntas fechadas! Perguntas fechadas são aquelas que podem ser respondidas com SIM ou NÃO. Estas perguntas diminuem as possibilidades de continuidade do diálogo e, muitas vezes, acabam sendo redundantes.
Substitua perguntas fechadas por perguntas abertas. Por exemplo, ao invés de perguntar “Posso te ajudar?” e receber um “Não, só estou dando uma olhadinha”, diga “Me conte o que você está procurando e eu te mostrarei todas as possibilidades que podemos te oferecer”. Bem melhor, não?! Assim você conseguirá encaminhar o diálogo para uma esfera mais profunda, que envolverá o cliente e aumentará a sua possibilidade de fechar a venda. Comece agora mesmo, elaborando pelo menos 6 perguntas abertas que podem ser úteis para o seu negócio!

Faça um atendimento personalizado

O primeiro passo para um atendimento personalizado em vendas é saber o nome do cliente. Por isto, quando iniciar uma abordagem de vendas, assim que houver uma oportunidade, pergunte naturalmente o nome do cliente e repita o nome, ao longo do seu diálogo com ele, sempre que for oportuno. Quando você diz o nome da pessoa, abre um canal de comunicação diferente, mais próximo, mais amigável, que desperta maior confiança. Procure memorizar o nome e as preferências dos clientes que frequentam o seu negócio com regularidade.

Ouça o cliente com atenção e se desdobre para satisfazer os seus desejos

Nada pior do que entrar em um estabelecimento, pedir uma coisa e te trazerem outra. Atenção, ninguém gosta de perder tempo e de ter de repetir várias vezes a mesma coisa. Ouça bem o que o cliente diz e, melhor ainda, procure também ouvir o que ele não diz. Muitas vezes o cliente entra em sua empresa com algo em mente, não muito bem definido, e é você quem vai conseguir clarear para ele o que ele necessita. Se esforce, faça uma boa sondagem. Se você não fizer, pode ter certeza que alguém de outro estabelecimento fará. Por outro lado, se você se dedicar, a probabilidade de que aquele cliente fique satisfeito, retorne e indique outras pessoas será enorme.

Invista em uma rede de relacionamentos

Quando Joe Girard, o melhor vendedor do mundo segundo o livro dos recordes, foi questionado a respeito de seu resultado nas vendas, ele disse que seu segredo estava em não ter compradores, mas sim amigos. Ao longo de sua carreira, Joe construiu uma rede de clientes/amigos que sempre compravam com ele e que o recomendavam para amigos e parentes. No seu processo de vendas, pense a longo prazo. Preste o melhor atendimento que for capaz, independentemente do resultado em vendas. Se você não fechar a venda naquele momento, no mínimo terá construído uma relação que pode ter resultados muito mais duradouros e rentáveis do que você imagina.

Você já tinha uma lista de perguntas abertas para o seu negócio? Coloque em prática esta lista e depois venha contar pra gente, nos comentários abaixo, se esta dica facilitou o seu processo de vendas e trouxe os resultados que você esperava.