Posts

Os Diferentes Modelo de Organograma

Sua empresa já possui algum modelo de organograma?  Qual o tipo e porque escolheu esse?

Antes de tudo, existem diferentes modelos de organogramas e cada empresa pode escolher aquele que mais se adequar à sua realidade quanto a divisão de funções e cargos. Saiba que não existe um tipo certo ou errado e sim aquele que representa a realidade dos departamento e como eles estão divididos. Quer entender melhor? Leia este artigo e veja quais são esses organogramas e como cada um funciona.

 

Organograma Clássico ou Vertical

Geralmente este é o modelo de organograma mais conhecido, utilizado e tradicional para representar as posições hierárquicas dentro das empresas. Em seu formato possui as caixas de cargos distribuídos por grau de importância, do topo até a base. Nele são apresentadas informações relacionadas a hierarquias e suas funções, fluxo de comunicação entre os cargos e estrutura de atividades de cada setor.

A saber, as vantagens do vertical são de possibilitar maior clareza na hierarquia e na definição de funções, melhora a compreensão do fluxo de trabalho, contribui para plano de carreira, facilita a gestão e capacitação.

Modelo de organograma vertical

Organograma Horizontal

A diferença deste modelo para o vertical é justamente como as informações estão organizadas, porque segue o mesmo padrão mas de forma horizontal, como o próprio nome já diz. Os cargos mais importantes hierarquicamente falando, estão mais para a esquerda e conforme cresce para a direita vai se chegando aos cargos e áreas mais operacionais.

Sendo assim as vantagens de se fazer um organograma horizontal são agilidades na gestão, menos burocracia, ambiente informal, colaboradores engajados e mais focos em projetos.

Modelo de organograma horizontal

Leia também: A Importância de um Organograma Para as Empresas

Circular ou Radial

É um modelo de organograma considerado mais moderno, as informações setorizadas estão num gráfico circular, cada área, cargo e função são separadas por cores específicas. Sendo que os responsáveis ficam no centro e os demais ao redor.

A principal característica do circular não é relacionada a representar hierarquia. E sim, para quem deseja ressaltar o trabalho em equipe, a unicidade entre as divisões e proximidade das áreas. Dessa forma, se este é o objetivo da sua empresa esta com certeza é a melhor representação. Além disso, demonstra a capacidade decisória do líder, por isso ele fica no centro.

Modelo de organograma circular

Organograma Linear de Responsabilidade (ORL)

Já este, é o modelo de organograma que apresenta cada atividade de determinada área e identificando quem é o responsável por cada uma delas. O objetivo é demonstrar as relações entre as diversas atividades, como uma comunicação de linhas cruzadas.

Ou seja, o organograma linear tem uma função diferente dos outros, o qual é de organizar as tarefas e demonstrar a obrigação de cada um dos colaboradores.

Dessa forma, ele gera benefícios como facilitar e identificar de forma mais rápida as atribuições e responsabilidades de cada função. E ainda como é a interações entre as equipes e as respectivas atividades.

Modelo de organograma linear

Organograma Em Barras

Considerado um modelo de organograma menos popular entre as empresas, por meio dele cada coluna é elaborada dentro de um retângulo posicionado na vertical e conforme a hierarquia.  Quanto mais elevado for o nível hierárquico do cargo, maior será a barra a ele destinada.

Não costuma ser muito usado pelas empresas, pois não é possível fazer a ligação entre os cargos. Porém é considerado de fácil compreensão já que as informações são entrepostas de forma direta.

Entretanto, ela possui benefícios como por exemplo auxiliar no momento que precisar reportar problemas e na identificação de responsabilidades. Assim também, permite melhor compreensão como já citado e ainda pode ser aproveitado como ferramenta estratégica.

Modelo de organograma em barras

 

Organograma Matricial

Modelo muito útil para representar estruturas temporárias, que serão formadas por uma ou mais unidade de trabalho e que atuarão juntas no projeto. Também é utilizada por consultores para ilustrar parte de um trabalho. Costuma ser bastante utilizado pelas empresas por conta da sua flexibilidade e adaptação para execução de tarefas.

Dentre suas vantagens estão a ligação entre os departamentos, auxilia no controle de resultados, proporciona um quadro flexível, colabora para o ambiente ter mais fluidez, todos funcionários podem participar das tomadas de decisões.

Modelo de organograma matricial

Veja também:Como bons processos de gestão ajudam a engajar a equipe?

Organograma Funcional

Muito utilizado atualmente e bem semelhante ao vertical, porém esse modelo de organograma, representa as relações funcionais e não hierárquicas. É o mais racional de todos os modelos.

Desse modo seus benefícios são permitir que todos conheçam a estrutura organizacional da empresa, colabora e facilita o trabalho em equipe, mais flexibilidade na execução das atividades, processos mais estruturados e informações centralizadas.

Modelo de organograma funcional

Portanto, o organograma de uma empresa é uma ferramenta essencial para representar a gestão administrativa de cada organização. Esse é um artifício importante para que seus colaboradores, fornecedores, clientes e parceiros tenham consciência da estrutura administrativa da sua empresa.

Além disso, facilita o entendimento para execução de tarefas e como cada departamento e cargos funcionam.

Uma dica é que na elaboração dos organogramas é importante determinar os cargos e funções, depois organizá-los. Assim facilita para quem for fazer a distribuição.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nos comentários suas experiências.

 

Rafaela de Souza Batista

Bacharela em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Redatora e Produtora de Conteúdo para Web. Ama escrever e criar coisas novas. Uma estudiosa sobre o comportamento do consumidor e as novidades da área do marketing.

Metodologia 5S – Veja a sua importância e porque implementar na sua empresa

Já conhece a metodologia 5S ? E como ela é utilizada? Leia este artigo e entenda porque ela é importante dentro de uma organização.

 

O que é o 5S ?

Primeiramente, é preciso explicar que 5S são cinco palavras que vem do japonês os quais formam as iniciais desta metodologia. Elas são: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke, que traduzidas para o português significa senso de utilização, senso de ordenação, senso de limpeza, senso de asseio e senso de auto disciplina.

Sendo assim, foram desenvolvidas com o objetivo de que as empresas pudessem de forma eficaz compreender, capacitar e apresentar bons resultados. Sua aplicação é baseada em ideias simples e que pode estar trazendo diversos benefícios.

Diante disso, este é um programa que pode ser implementado no planejamento estratégico para que alguns aspectos relacionados possam apresentar a melhoria necessária.

1º SENSO – UTILIZAÇÃO (SEIRI)

Primordialmente, o primeiro 5S vem do senso de utilização, este tem como objetivo tornar o trabalho mais útil e menos poluído. Isso se refere tanto ao visual como ao espaço.

Assim sendo, separe tudo que é indispensável ao serviço, eliminando o desnecessário. Veja como fazer:

  • De uso constante: coloque os materiais e equipamentos que você usa freqüentemente bem próximo de você (mesa, bancada, máquina, etc) de forma organizada e de fácil acesso.
  • Ocasional: o que não for usado diariamente coloque um pouco afastado de você, podendo ser guardado em armários, prateleiras, arquivos, em pen drive ou devolvido ao almoxarifado.
  • Uso raro, mas necessário: coloque os materiais, documentos, equipamentos separados, identificando-os num local determinado.

O material desnecessário para o setor pode ser encaminhado para o Arquivo Central, Almoxarifado ou descartado corretamente.

BENEFÍCIO: Se ganha espaço físico e perde-se menos tempo em procurar objetos.

Dessa forma, eliminam-se materiais sem uso e em excesso, além de combater o desperdício e diminuir os acidentes.

Leia também: Por que pensar em planejamento é pensar no sucesso do seu negócio

2º SENSO – ORDENAÇÃO (SEITON)

O segundo senso se refere a ordenação ou organização, sendo que é uma continuação do primeiro, mas agora é a fase da simplificação.  Praticando esse senso, você perceberá que, com tudo organizado e identificado em seu devido lugar a vida se torna mais fácil.

  • Padronize os nomes e coloque etiquetas adequadas nos materiais, objetos, documentos, equipamentos, pastas, arquivos, gavetas, bancadas, etc.
  • Exponha todos os pontos críticos, como: locais perigosos, máquinas que exigem atenção especial, proibido fumar, etc.
  • Coloque cada objeto no local adequado e identificado (quadro de ferramentas, prateleiras, arquivos, etc), pois isso facilitará encontrá-lo quando for preciso.
  • Utilize faixas e placas de sinalização para delimitar os locais de trabalho e os corredores.
  • Mantenha em ordem as bancadas, mesas e a área de trabalho. Não deixe objetos espalhados durante a execução do trabalho.
  • Após o trabalho, não deixe no local objetos espalhados, restos de materiais, sucatas, etc.
  • Sinalize os extintores de incêndio, colocando em local adequado, identificado e deixando a passagem livre.
  • Mantenham limpos, organizados e fechados os armários do vestiário.
  • Não deixe papéis, cartazes, folhas, etc, coladas nas paredes. Use somente o quadro de avisos.
  • Utilizar corretamente os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

BENEFÍCIO: Ganha-se tempo, diminui-se o cansaço físico por movimentação desnecessária, possibilita-se uma evacuação rápida em caso de perigo, rapidez e facilidade para encontrar algum objeto, além de diminuir acidentes.

3º SENSO – LIMPEZA (SEISOU)

Já o senso de limpeza como o próprio nome já diz, consiste na limpeza do ambiente de trabalho, por meio de uma investigação. Ou seja, verificando aquilo que gera sujeiras e imperfeições.

Desse modo, cada Colaborador deve limpar a sua própria área de trabalho e evitar sujar.

  • Não deixe óleo, sujeira, papel, sucata, etc no chão.
  • Não deixe existir vazamento nos equipamentos.
  • Varra todos os dias seu local de trabalho.
  • Recolha lixos todos os dias.
  • Limpe os equipamentos e ferramentas após usá-los.
  • Mantenham limpos os armários do vestiário.
  • Limpe computadores, telefone, armários e demais equipamentos diariamente.
  • Devolva as ferramentas limpas para o almoxarifado, para serem usadas por outro colaborador.

BENEFÍCIO: Purificação dos locais de trabalho, boa aparência, diminuição de doenças e acidentes.

“Não arruma-se a casa só quando vai receber visitas, e sim todos os dias”.

4º SENSO – ASSEIO (SEIKETSU)

Senso de asseio ou padronização consiste na manutenção dos outros para garantir as constantes melhorias.

Refere-se ainda à preocupação com a própria saúde física, mental e emocional. O colaborador deve ter plena consciência dos aspectos que afetam a sua própria saúde.

  • Pratique os 3 sensos individualmente e diariamente.
  • O local de trabalho deve estar bem iluminado e ventilado.
  • Use o uniforme limpo e asseado (Consulto o Manual PEC).
  • Mantenha a boa aparência física, cabelos cortados, unhas aparadas, etc.
  • Mantenham limpos os vestiários, banheiros, salas, refeitórios, auditórios etc.

BENEFÍCIO: Melhora-se o ambiente de trabalho e a produtividade, previnem-se doenças, diminui-se o stress e ainda se traz segurança e boa aparência aos colaboradores.

Veja também:Entenda o que é e como funciona a estratégia Account – Based Marketing

5º SENSO – AUTO DISCIPLINA (SHITSUKE)

Ao chegar no senso de auto disciplina significa que o programa está caminhando perfeitamente.

Pois, descartamos o desnecessário, organizamos o que usamos, limpamos nosso local de trabalho, e nos mantemos limpos, então, não podemos relaxar e deixar bagunçar tudo novamente. Esse senso nos disciplina a cumprir as regras e acertos já feitos.

Se somos desorganizados, mudar é difícil e leva tempo, mas os resultados compensam.

Para praticar o 5 S, devemos ter os seguintes atributos humanos: humildade, confiança, respeito, espírito de equipe e bom humor.

  • Compartilhar visão e valores.
  • Melhorar a comunicação em geral.
  • Ter respeito com o colega de trabalho.
  • Ter criatividade e buscar melhorias para o trabalho.
  • Praticar todos os 5 S, diariamente.

BENEFÍCIO: Melhoria contínua no âmbito pessoal e organizacional, auto inspeção e auto controle.

“Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.

 

Portanto, a metodologia 5S é uma ferramenta que quando utilizada colabora para criação a cultura de disciplina. O qual ainda permite identificar problemas e gerar oportunidades de melhorias para empresas, levando à todos maior compreensão do seu papel na organização.

Devido à isso, as vantagens geral de aplicar o programa 5s são:

  • Melhor qualidade, produtividade e segurança no trabalho;
  • Trabalho diário agradável;
  • Melhoria nas relações humanas;
  • Valorização do ser humano;
  • Cumprimento dos procedimentos operacionais e administrativos;

Assim também, proporciona melhoria na qualidade de vida dos colaboradores não apenas no profissional como também no pessoal.

 

Perguntas & Respostas sobre o Balanced Scorecard

Balanced Scorecard: Confira perguntas e respostas sobre essa importante ferramenta de gestão.

Este artigo foi escrito por Aleksey Savkin e gentilmente cedido para os leitores do blog da Daexe.

Se você perguntar a um profissional de negócios sobre o Balanced Scorecard, em 95% dos casos, você ouvirá que se trata de “equilibrar” os Principais Indicadores de Desempenho dentro de quatro perspectivas. Com essas ideias enganosas, as pessoas começam a implementar a estrutura, não conseguem faze-lo e chegam à conclusão de que o Balanced Scorecard não é para elas.

Segue uma compilação das perguntas mais frequentes sobre o Balanced Scorecard e os KPIs. Esperamos que as nossas respostas o(a) ajudem a trilhar o caminho certo com a estrutura.

O que é um Balanced Scorecard?

Uma resposta curta seria: trata-se de uma estrutura de execução de estratégias. Tendo dito isso, precisamos entender que não há um acordo universal sobre o que é estratégia, ou sobre as formas de rastrear sua execução.

Por vezes, o Balanced Scorecard é definido como um meio de articular a estratégia, traduzi-la para os funcionários de atendimento e garantir que essas ideias sejam executadas com sucesso.

Se escreve “Balanced Scorecard” ou “Balanced score card”?

O termo correto é “Balanced Scorecard” ou “BSC.” Seria errado escrever conjunto de indicadores de desempenho (em letras minúsculas), Conjunto de Indicadores de Performance, BSc, bsc etc.

Quem são os autores do Balanced Scorecard?

A ideia foi sugerida pela primeira vez no início dos anos 90, pelos drs. Robert Kaplan e David Norton. O site do Instituto do Balanced Scorecard é um ponto de referência obrigatória para informações históricas, bem como para conselhos práticos sobre o BSC.

Quem o utiliza?

Qualquer organização tem uma estratégia, mesmo pequenas empresas e pessoas físicas; portanto, com algumas modificações, o Balanced Scorecard pode ser usado por qualquer organização, incluindo organizações sem fins lucrativos. Segundo um estudo do Grupo Gartner, mais de 50% das grandes organizações adotaram o Balanced Scorecard.

Leia também:O poder da análise SWOT para as empresas

Por que as empresas o usam?

A raiz do problema é que o quadro estratégico nas mentes dos gestores de alto escalão não é o mesmo que uma imagem nas mentes dos funcionários de nível de atendimento. Os estudos do Relatório do Conjunto de Indicadores de Colaboração mostram que mais de 95% dos funcionários não entendem a estratégia de uma organização. Isso leva as organizações a uma execução menos eficiente e eficaz.

O Balanced Scorecard supostamente ajuda a resolver esse problema, alinhando metas de nível superior com ações de nível de atendimento e, assim, tornando o processo de execução da estratégia mais rastreável.

Aqui temos mais fatos sobre o Balanced Scorecard, os quais esclarecem o quanto ele é usado e quais problemas ele resolve.

Tem a ver com os principais indicadores de desempenho?

Em suas versões anteriores, parecia mais uma estrutura de medição de desempenho, na qual as medidas (não necessariamente os principais indicadores de desempenho) desempenhavam um papel significativo. Atualmente, as medidas são responsáveis pelo acompanhamento da execução da estratégia, mas eu diria que a parte principal é um mapa estratégico com metas comerciais conectadas por links de causa e efeito. As métricas ainda estão lá, mas elas não são o principal objetivo do jogo.

Quais são os princípios-chave do Balanced Scorecard?

Vou simplificar, mas, ao meu ver, esses são os três princípios mais importantes:

  1. Relação de causa e efeito entre objetivos
  2. Mostrar como o valor do cliente é criado e como ele está vinculado aos objetivos da organização
  3. Alinhamento de medidas e iniciativas com objetivos

Qual é o processo do Balanced Scorecard?

Varia de empresa para empresa e de consultor para consultor. Isso é o que recomendamos para a execução da estratégia, no geral, e para o Balanced Scorecard, em particular.

E se uma empresa tiver um Balanced Scorecard com muitos KPIs, mas sem uma estratégia?

O Balanced Scorecard é um termo que está na moda. Como acontece com qualquer termo que pegou, algumas confusões são inevitáveis. Um conjunto de mais de 100 KPIs não é um Balanced Scorecard, é um indicador de KPI. Seria mais correto chamar essas ferramentas comerciais de um painel ou simplesmente de um indicador de desempenho. Assim, a diferença entre um painel e um indicador de desempenho fica bem clara.

As abordagens são similares às do Balanced Scorecard?

Os executivos de negócios sempre usam uma combinação de várias ferramentas. Existem estruturas que abordam o problema do planejamento estratégico e de execução: Hoshin Kanri, 7-S, OKRs, Geração de Modelos Comerciais (vide o livro de Yves Pigneur e Alexander Osterwald). E, com certeza, existem muitas outras ferramentas de suporte como o SWOT, análise de lacunas, avaliação de riscos etc. Na prática, há sempre uma mistura de diferentes ferramentas de negócios.

Preciso de um software para trabalhar com o Balanced Scorecard?

Na minha opinião, a resposta é “sim”. Caso contrário, corre-se o risco de gastar mais tempo no projeto e ainda enfrentar problemas de motivação. Confira nosso guia de compras para o software de execução de estratégias.

Uma nota de bom senso: antes de acessar as ferramentas de automação, você precisa ter certeza sobre sua estratégia e metas comerciais.

Qual é o maior desafio do Balanced Scorecard? Como resolvê-lo?

De acordo com nossas pesquisas informais, o maior desafio é a motivação para começar a usar e continuar usando o Balanced Scorecard. Neste artigo, discutimos como resolver o problema. Outro grande desafio é encontrar medidas de desempenho adequadas (vide a próxima pergunta).

Como encontrar os KPIs certos para o indicador de desempenho?

Primeiramente, seria recomendável entender a diferença entre métricas, medidas e KPIs. O maior erro seria pegar indicadores de desempenho de alguma lista na Internet. Em vez disso, concentre-se primeiro nas metas de negócios e os indicadores aparecerão naturalmente. Aqui está o processo para os KPIs que recomendamos.

Leia também: Inovação organizacional: Como aplicar na sua empresa

O que é um Balanced Scorecard em cascata?

A ideia de cascata (no caso do Balanced Scorecard também é chamado de “alinhamento”) tem a ver com a tradução dos objetivos do alto escalão para os níveis mais baixos (e vice-versa). A ideia-chave é que o cascateamento é feito por metas comerciais, e não por KPIs. Aqui você encontrará exemplos de algumas abordagens típicas para o cascateamento.

Como usar o Balanced Scorecard para…?

Não há regras específicas para nichos de negócios específicos. As ideias orientadoras que os estrategistas usam para uma empresa de varejo são semelhantes às ideias que se usarão para uma empresa hoteleira. Ainda assim, ter alguns exemplos é sempre uma boa ideia.

Você tem mais perguntas? Sinta-se à vontade para fazê-las nos comentários. E os especialistas da Daexe estão à disposição para tirar qualquer dúvida. 

Método de gestão empresarial: 3 motivos para utilizar um agora!

Em tempo de crise ou não, o mercado vem se tornando cada vez mais competitivo, com o avanço da tecnologia à velocidade da luz e informações disponíveis gratuitamente. Tudo isso proporciona um cenário de oportunidade aparentemente igual para todos. Hoje, porém, já podemos observar que existem empresas que conseguem ter um resultado consistente independente do cenário econômico. Os responsáveis por 75% da consistência desse resultado são os métodos de gestão de negócio eficiente. Normalmente, as empresas que fracassam não têm metas bem definidas, têm dificuldade de identificar um modelo de gestão claro e não possuem a disciplina de seguir uma rotina do método PDCA.

Para esclarecer melhor a importância de ter um método é crucial entender a etimologia das palavras Método e Gestão. A palavra MÉTODO vem do Grego METHODOS, MET- significa em português “META” e -HODOS significa “caminho”. Ou seja, o método é o caminho para alcançar um objetivo ou meta. Na palavra GESTÃO vale observar a definição do guru de gestão brasileiro, Vicente Falconi: gestão é correr atrás da META e alcançá-la de forma consistente e de forma ética. Segundo ele, se você não tem meta, você não está fazendo gestão na sua empresa. Pode estar fazendo qualquer outra coisa, menos gestão.

Sendo assim, podemos conceituar que método de gestão é um caminho, organizado em etapas sequenciadas, para alcançar os objetivos e metas da sua empresa de forma consistente.

Se você ainda não está convencido da eficácia e das vantagens de utilizar um método de gestão, aqui vão três ótimos motivos que lhe farão mudar de ideia:

  1. Melhor desempenho

O método de gestão bem implantado ajuda o empreendedor a alcançar as metas estabelecidas para o seu negócio e um constante crescimento. Todas as nuances da empresa serão analisadas e melhoradas ao seu máximo, buscando a versatilidade e os melhores resultados possíveis em todas as áreas empresariais, como: processos, colaboradores, clientes, finanças, comunicação e etc.

  1. Não precisa reinventar a roda

Não é um tiro no escuro ou um método de tentativa e erro. É um modelo comprovado e eficaz. Com um método de gestão adequado, você tem menos chances de errar, pois todos os cenários possíveis já foram estudados, analisados e testados anteriormente.

  1. Garantia de resultados

Utilizando um método de gestão, as chances de alcançar o resultado pretendido são de 95%. Por serem métodos testados, as chances de alcançar suas metas para a empresa são muito maiores do que deixar ao acaso. Os resultados e benefícios da utilização de uma metodologia na gestão vão desde o primeiro setor da empresa até o destino final: o cliente, garantindo a eficácia do negócio potencializando cada setor individualmente, sempre visando o sucesso total e completo do empreendimento.

O método de gestão utilizado pela Daexe é o BSC (Balanced Scorecard), que foi desenvolvido pelos professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton, em 1992. O BSC é um método de planejamento estratégico que consiste na definição muito clara das metas e estratégias da empresa, com a intenção de  materializar tudo que foi idealizado, ou seja a visão estratégica do negócio e de avaliar o desempenho empresarial por meio de indicadores quantificáveis e verificáveis. A metodologia de gestão BSC leva em consideração os aspectos financeiros, os processos internos, os clientes, e o aprendizado e o crescimento organizacional. Sua forma de aplicação, em relação aos processos internos, procura a satisfação final dos clientes, assim como aprendizado e desenvolvimento constantes.

Agora que você sabe a importância de um método de gestão eficaz aplicado à sua empresa, conte para nós a sua experiência nos negócios e inovações que implementou ou ainda deseja implementar. Estamos à disposição para ajudá-lo em busca do sucesso no seu empreendimento!

Um abraço,

Dekker Jordão F. Baptista

Você sabe a diferença entre métricas e indicadores?

Pode parecer um assunto difícil à primeira vista, mas não há grandes mistérios na hora de definir e entender o que são métricas e indicadores. Ambos são termos muito utilizados que servem como base para quantificar resultados e conduzir a avaliação das análises da organização. Ou seja, as métricas e os indicadores são uma forma de medir a performance da sua empresa. Mas você sabe qual a diferença entre eles? A primeira diferença entre métricas e indicadores está no conceito. Veja:

Métricas

As métricas são dados brutos, que podem ser representados por números precisos ou não. Elas estão ligadas ao nível tático e operacional da empresa, revelando o desempenho de processos. São sistemas de medida que avaliam tendências, comportamentos ou variáveis do negócio. As métricas ajudam na tomada de decisão, detectam oportunidades, mantêm o foco produtivo, identificam pontos fortes e fracos, definem necessidades de investimentos, apontam falhas operacionais e até diminuem o grau de incerteza quanto ao futuro.

Em resumo, as métricas são a base para identificar os indicadores e o passo seguinte a ser dado após a definição das metas.

Leia também: 5 indicadores de desempenho para medir seu sucesso

Indicadores

Os indicadores são as medidas calculadas a partir das métricas e servem para avaliar o desempenho da empresa. São informações estratégicas que auxiliam na análise de tendência, na melhoria contínua, na atuação proativa e dão transparência à empresa, sendo geralmente expressos de forma clara por percentuais e probabilidades.

As métricas estão ligadas às atividades e os indicadores abrangem os processos e as atividades. Os indicadores dependem de um conjunto de métricas específicas. Veja abaixo alguns exemplos dentro de quatro perspectivas: financeira, cliente, processos internos e pessoas.

FINANCEIRA

Exemplo de métrica: Faturamento; Despesas.
Exemplo de indicador: Lucro = Faturamento – Despesas.

CLIENTE
Métrica: Quantidade de clientes atendidos; Número de visitantes no site.
Indicador: NPS ou Índice de Satisfação dos clientes.

PROCESSOS INTERNOS
Métrica: Tempo de conclusão do procedimento ou tempo de entrega.
Indicador: Índice de conformidade ou Índice de eficiência de produção.

PESSOAS
Métrica: Quantidade de treinamento.
Indicador: Clima Organizacional.

Leia também: 3 métricas de vendas que sua empresa sempre deve acompanhar

Estudiosos investigaram o desempenho de 84 empresas no período entre 1984 e 1997 que adotaram um sistema de mensuração de desempenho.

O estudo concluiu que essas empresas aumentaram significativamente seu lucro residual ajustado e que a melhora persistiu durante cinco anos após o período de estudo.

Tanto indicadores como métricas devem fornecer aos executivos informações significativas para tomar melhores decisões, que impactam na meta ou nos objetivos do planejamento estratégico da empresa. De nada vale colocar em prática seu planejamento para consolidação das metas se não houver maneiras de avaliar o seu desempenho e ajustar as ações através do uso de métricas e indicadores. Fale conosco e saiba como aplicar na sua empresa e obter o sucesso que procura!

Um abraço,
Dekker Jordão Baptista.

5 passos para resolver todos problemas na empresa

A quantidade de dinheiro que você ganha na vida está condicionada à complexidade do problema que você é capaz de resolver.” Você concorda? Essa é uma frase relativamente conhecida e, pensando bem, salvo exceções como ganhar na loteria.

A afirmação não está equivocada. Independentemente das profissões ou funções que exercemos para o nosso ganha-pão, podemos afirmar que “somos pagos para resolver problemas”. E também entendemos que a complexidade do problema dirá se vamos receber mais ou menos para resolvê-lo.

Nossos colaboradores, da mesma forma, são contratados para resolverem problemas: os nossos e os de nossos clientes. Apesar disso, um erro que vemos muitos empresários cometerem é concentrar demais a resolução dos problemas em si mesmo. Com o acúmulo de funções, o empreendedor acaba perdendo a capacidade de focar no crucialmente importante e de pensar o futuro do empreendimento de forma mais estratégica. Isso também reduz seus rendimentos, pois seus esforços deviam ser dedicados a resolver problemas de maior complexidade e melhor remuneração.

Neste artigo, apresentamos uma solução simples e didática para resolver essa questão. São 5 perguntas para resolver problemas, que todo empresário deve ensinar a sua equipe. Teste esse método nas reuniões de solução de problemas da sua empresa. E veja como seus colaboradores são capazes de superar suas expectativas.

Veja também Planejamento Estratégico: O que é?

Passo 1: Qual problema vamos resolver na reunião?

Já apresentamos, no artigo “As 3 regras de ouro das reuniões estratégicas de sucesso“, que reuniões de sucesso tem uma pauta enxuta, para evitar dispersões e assuntos que não resolvem o problema. A pergunta “qual problema vamos resolver na reunião” é excelente para garantir uma objetividade.

Pode ser que sua equipe não esteja ainda madura para responder a essa pergunta. E neste caso, o chefe definirá qual o problema, deixando que a equipe foque mais nos próximos passos. Com o tempo e a experiência, ficará mais fácil que a equipe consiga definir qual o problema. E o chefe poderá delimitar que problemas exigem sua presença ou não. Essa é uma excelente forma de delegar tarefas e de treinar a proatividade de seus colaboradores para encontrar soluções quando você não estiver disponível.

Passo 2: Quais as causas do problema?

Na pergunta dois, já estamos pensando mais objetivamente na solução. Nesse momento, cada um dos presentes deverá apontar as causas que provocaram o surgimento daquele problema em específico. A quantidade de causas a serem apontadas dependerá do tamanho da equipe e da complexidade do problema. Por exemplo, se sua equipe for pequena, defina que cada membro levantará até 3 causas. Se for uma equipe maior, limite a 1 causa.
Feita a lista de possíveis causas, perceberão que algumas se repetem com frequência e geram maior consenso entre os reunidos. Escolham 3 causas para trabalhar objetivamente na solução do problema.

Passo 3: Quais são as possíveis soluções?

Com as causas do problema em mente, a equipe presente na reunião deve sugerir soluções. Novamente, cada membro da equipe deverá propor de 1 a 3 soluções para cada causa. A depender do tamanho da equipe e da complexidade do problema.

Passo 4: Qual a melhor solução, entre as apresentadas?

Nesse momento, é a hora de a equipe decidir conjuntamente quais soluções apresentadas na reunião tem maior capacidade de solucionar as causas apontadas para o problema.

Passo 5: Vamos ao Plano de Ação!

Com as soluções de maior adesão em mãos, é a hora de traçar um Plano de Ação. Uma forma de organizar a ação solucionadora é através de uma ferramenta bastante conhecida no mundo empresarial, os 5W2H. Para utilizá-la, a equipe terá de ser capaz de responder 7 perguntas, que são:


1) O quê? (What?) – que solução vamos executar;
2) Por quê? (Why?) – por que adotamos essa solução;
3) Onde? (Where?) – onde ela será aplicada;
4) Quando? (When?) – quando começa e quando termina a ação;
5) Quem? (Who?) – quem implementará a solução;
6) Como? (How?) – qual método utilizaremos para implementá-la;
7) Quando custa? (How much?) – qual o custo da solução que adotamos.

Aplique essa metodologia na sua próxima reunião com seus colaboradores, incentivando que ela se torne uma rotina na sua empresa. Recomende aos seus colaboradores, quando surgir um problema, que antes de entrarem em contato contigo. Eles tentem exercitar esses passos para te apresentarem também uma possível solução.

Se esse sistema de resolução de problemas se tornar uma cultura na sua empresa. Certamente você terá colaboradores mais seguros e proativos, além de mais tempo para focar na estratégia. Depois venha compartilhar conosco os resultados, deixando seu testemunho nos comentários abaixo!

Continue seus estudos sobre Estratégia aqui no Blog Daexe, com a leitura dos dois artigos abaixo.

Para saber como uma das metodologias de gestão estratégica mais utilizadas do mundo (Balanced Scorecard – BSC) pode te ajudar a focar no crucialmente importante, clique aqui>>>BSC: 4 armadilhas que estão tirando o seu foco do crucialmente importante

Para saber qual o segredo que as maiores empresas do mundo utilizam para que suas reuniões estratégicas sejam um sucesso, clique aqui>>> As 3 regras de ouro das reuniões estratégicas de sucesso.

As 6 estratégias infalíveis da persuasão

Há quem diga que em todas as nossas conversas empregamos técnicas de persuasão. De fato, se pararmos para pensar, todo diálogo é um exercício de convencimento. Você já tinha se dado conta disso? Aprenda agora mesmo 6 estratégias infalíveis de persuasão e em seguida nos conte, nos comentários abaixo, se você já se viu utilizando alguma delas!

Autoridade: “Eu estudei isso…eu li aquilo… eu sou formado em tal curso…eu trabalho há x anos nesta área”. Estas são expressões clássicas de quem argumenta que é autoridade em algum assunto, e quando invocamos essas expressões e comprovamos o conhecimento, a persuasão é infalível. Seja autoridade no seu negócio e demonstre isso.

expert

Reciprocidade: Já reparou na quantidade de produtos e serviços que são lançados no mercado a partir da estratégia da “amostra grátis”? O princípio por detrás dessa estratégia é a reciprocidade. Receber algo gera em nosso inconsciente a vontade de retribuir. Essa atmosfera nos deixa muito mais propensos a adquirir e/ou contratar produtos e serviços.

reciprocidade

Coerência: O famoso “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” é um verdadeiro atestado de INCOERÊNCIA, tanto para vendedores quanto para clientes. Os estrategistas da persuasão sabem disso e fisgam o cliente na sua própria vontade de ser coerente em suas falas e ações.

incoerência

Afinidade: É natural do ser humano estar mais propenso a aceitar influência de coisas ou pessoas pelas quais tem empatia. Nos sentimos atraídos quando nos sentimos representados. As empresas de maior sucesso em fidelização de clientes, como a Apple, costumam ter justamente essa filosofia: seus clientes se sentem parte de uma comunidade, com valores e identidades em comum.

apple

Aprovação social: Quanto mais requisitado um produto, serviço ou profissional é, mais atraente se torna. Por exemplo, por que escolhemos Whats App e não Telegram? Você provavelmente vai concordar que o motivo é a aprovação social (a maior parte do público escolheu o primeiro).

Aprovação Social

Escassez: Se a agenda de um profissional está cheia, além da aprovação social, a vantagem da escassez também está a seu favor. Da mesma forma, as expressões “exclusivo” e “últimas unidades” despertam os mesmos sentimentos de aprovação e escassez, chamando nossa atenção. Tudo que é requisitado e difícil de encontrar (precioso e raro) tem “valor de diamante”.

diamante

Agora nos conte se você concorda e já se percebeu usando essas estratégias, nos comentários abaixo!

O que fazer quando o faturamento do negócio está inelástico?

Se você está mesmo levando seu negócio a sério, já sabe qual a média de clientes que atende e de vendas que fecha por dia, semana, mês e ano. Mas o que fazer quando estes números estão um tanto inelásticos? Se você tem recursos para investir, provavelmente está na hora aumentar os pontos de vendas. Te dizemos como.

FILIAIS

Avalie os dados que você tem do seu público. Qual o perfil socioeconômico do seu cliente? De onde eles vem e que lugares eles frequentam? Em quais pontos você pode encontrar mais clientes com este mesmo perfil? Há concorrentes diretos nestes lugares? Faça uma pesquisa de mercado e jogue pra ganhar!

FRANQUIAS

Se a sua marca e produto deram tão certo que ter mais filiais já se tornou uma possibilidade humanamente inviável de você mesmo administrar, está na hora de pensar em se tornar uma franquia. Ser uma franquia é ver a marca idealizada se fortalecer e ganhar espaço no mercado, com a vantagem da diluição dos riscos. Quem acredita na sua ideia tem a oportunidade de investir nela e também faturar com isso, visto que poderá também usufruir das vantagens de iniciar um negócio com uma marca já consolidada no mercado, com clientes fidelizados.

Se o seu caso não for nenhum dos dois, e o volume de vendas não tem sido estimulante, considere mudar de endereço! Às vezes, o aumento do faturamento reside em uma decisão difícil como esta, mas bola frente!
Conte com o seu Assessor Executivo do DAEXE para materializar as novas estratégias e tomar as soluções mais desafiadoras.

Aproveite o pique de EXECUÇÃO para conhecer uma das metodologias de execução estratégica mais utilizadas por empresas de sucesso no mundo: Balanced Scorecard (BSC), clicando aqui>>>

Todos os executivos de sucesso refletiram sobre estas perguntas

Quando um empreendedor contrata um serviço de consultoria ou assessoria empresarial, é comum que a primeira atividade desempenhada por seu assessor executivo seja um diagnóstico. O qual é executado por meio de perguntas direcionados às diversas áreas da empresa.

Neste artigo, apresentamos perguntas estratégicas que com certeza todos os executivos de sucesso já tiveram de refletir sobre. Provavelmente, você mesmo já deve ter sido apresentado a muitas delas. Estas perguntas não saem de moda e são uma boa pedida, a qualquer tempo. Para quem está em busca de aperfeiçoar o seu negócio. Vamos conferir?!

Produtos/Serviços

• Sua linha de produtos atende às necessidades do mercado ou deixa brechas para a concorrência?
• Como está a qualidade dos seus produtos/serviços em comparação com a da concorrência?
• O que pode ser melhorado de imediato sem necessidade de grandes mudanças e investimentos?
• O que precisará ser melhorado que exigirá mudanças e investimentos?
• Sua equipe de profissionais está preparada para enfrentar essas mudanças?

Inovação

• Sua empresa está alinhada com a concorrência no que diz respeito a tecnologia?
• A tecnologia está disseminada na sua empresa ou ainda existem resistências de algumas pessoas?
• Os vendedores usam Internet para comunicar com clientes e dar apoio às campanhas de marketing?
• De que forma a inovação está sendo utilizada para atender à conveniência dos clientes?
• A tecnologia na sua empresa é considerada um mal necessário ou um meio para atingir objetivos?

Ambiente de trabalho

• A motivação faz parte natural do ambiente ou o pessoal só reage quando estimulado?
• A mentalidade dos profissionais está mais para trabalho em equipe ou atuação individual?
• Existe integração entre os setores no sentido de resultados ou cada um defende o seu?
• O ambiente interno é leve e informal ou pesado e estressante?
• Os profissionais reagem bem aos estímulos normais ou aprecem anestesiados e não reagem?

Governança – (maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada)

• Os gestores mostram segurança nas ações ou percebe-se certa indecisão e até mesmo medo?
• Os controles da empresa adotam moderna tecnologia para facilitar a vida dos profissionais?
• Os gestores são abertos e dispostos a ouvir ideias e críticas ou são fechados para novas ideias?
• Existe verdadeira preocupação com o bem estar dos profissionais?
• As ações dos gestores demonstram preocupação com o futuro da empresa e seus profissionais?

Atendimento ao cliente

• As ações da empresa têm como único objetivo a satisfação dos desejos e necessidades dos clientes?
• As reclamações de clientes são usadas para correções ou consideradas problemas indesejáveis?
• Existe uma verdadeira cultura de satisfação do cliente disseminada na empresa?
• Existem esforços para redução de problemas e reclamações ou ninguém na empresa pensa nisso?
• Os profissionais têm autoridade para resolver problemas de clientes ou tudo é muito burocrático?

Liderança

• É perceptível que os profissionais estão satisfeitos e dispostos a seguir os seus líderes?
• Os profissionais que chegam a cargos de liderança são treinados para lidar com pessoas?
• A liderança adotada está mais para democracia ou autocracia?
• As pessoas sentem-se livres para fazer comentários diante dos líderes ou existe constrangimento?
• Existe algum sistema formal de avaliação de desempenho ou tudo é informal e de cunho pessoal?

Desempenho financeiro

• A empresa tem projetos claros e muito bem definidos de redução de custos?
• Os projetos de redução de custos têm como objetivo o melhor atendimento ao cliente?
• Os vendedores e compradores são treinados para negociar de forma a aumentar a produtividade?
• A empresa tem uma estratégia muito bem definida sobre o público alvo que deseja atingir?
• Os profissionais são premiados quando os objetivos de lucratividade são alcançados?

Imagem no mercado

• A empresa tem uma metodologia para medir sua imagem no mercado ou é algo muito informal?
• A empresa tem preocupação de pesquisar periodicamente sua imagem perante os clientes?
• Como esta a imagem da empresa em comparação com os principais concorrentes?
• Existe alguma política de proteção da imagem da empresa a ser seguida pelos profissionais?
• Existe sistema de incentivo para profissionais que se destacam na defesa da imagem da empresa?

Relacionamento com a mídia

• A empresa tem algum setor responsável por fazer divulgação perante a mídia?
• Existe alguma forma de interceptar a opinião de clientes insatisfeitos antes que causem estragos?
• Como a empresa mantém contato com os diferentes tipos de mídia para divulgar seus eventos?
• Alguém na empresa está capacitado para escrever artigos técnicos que fortaleçam a sua imagem?
• De que forma a empresa está utilizando a internet para ampliar o relacionamento com a mídia?

Ufa! Depois destas 45 perguntas (SIM, 45!), provavelmente você:
1) Respirou aliviado a respeito de boa parte delas, mais familiares.
2) Ficou com a pulga atrás da orelha em relação a algumas, não é verdade?

Quais áreas e perguntas te parecem mais problemáticas em uma empresa? E na sua empresa, o que você acha que merece maior atenção para aprimorar? Vamos acompanhar as suas respostas, nos comentários abaixo!

Se depois destas perguntas, você percebeu que precisa investir urgentemente em algum desses setores estratégico da empresa, conte com os seus assessores executivos do DAEXE. Temos uma equipe de profissionais com especialidades diversas, prontos para atenderem a sua demanda.

3 razões pelas quais nossos clientes recomendam o BSC!

Com qualquer busca no google, você pode confirmar que o Balanced Scorecard (BSC) é uma das metodologias de gestão estratégica mais aderidas pelas grandes empresas, no Brasil e no mundo: Gerdau, Suzano, Siemens, Oxiteno, Visanet, etc. Mas neste artigo, queremos trazer para você uma percepção que veio da nossa experiência com os nossos clientes. Desde que nos especializamos na metodologia BSC, começamos a observar e a perguntar quais as vantagens mais percebidas por eles, a partir da implantação do BSC em suas empresas. CONFIANÇA foi sem dúvidas a palavra que mais se repetiu. Vamos conferir!

“Agora conheço minha empresa em números!”

A gestão por meio de indicadores precisos de desempenho é marca registrada da implementação do BSC nas empresas. A soma destes indicadores, que remetem às finanças, ao sucesso com clientes e acionistas, à eficácia e eficiência dos processos e à capacidade de aprendizado e inovação, permitem uma produção de dados tangíveis sobre os ativos intangíveis da empresa. É por isto que nossos clientes relatam que ficam maravilhados quando passam a conhecer suas empresas em números. Esta particularidade do BSC explica as outras duas vantagens percebidas, que abordamos a seguir.

“ Me sinto muito mais confiante para tomar decisões.”

A diária tomada de decisões é parte comum da rotina de todo empreendedor. Mas as decisões estratégicas (aquelas que são claramente determinantes para os rumos futuros da empresa) não seguem a mesma lógica das decisões corriqueiras: elas demandam um respaldo em informações consistentes. As métricas de desempenho que são desenvolvidas a partir da implementação do BSC geram exatamente esta confiança que o empreendedor precisa. Com informações precisas em mãos sobre o passado e o presente da empresa, mesmo no que diz respeito aos ativos intangíveis, nosso clientes relatam que se sentem confiantes para tomar as decisões necessárias e corrigir os rumos da empresa, sempre que necessário.

“Sinto uma confiança estrondosa para investir, mesmo em contextos de crise.”

Na mesma linha da vantagem anterior, nossos clientes relatam que se sentem confiantes para investir mais em suas empresas, mesmo em contextos em que os discursos sobre recessão e crise são massantemente veiculado pelas mídias e pelos concorrentes.

Quer conhecer esta ferramenta que a cada dia ganhas mais adeptos, seja entre as grandes corporações, seja entre as micro, pequenas e médias empresas? Aqui no Blog você encontrará outros artigos com informações relevantes sobre BSC. Aproveite o embalo para entrar em contato com seu assessor executivo do DAEXE que vamos lhe dizer por que esta ferramenta é um investimento estratégico poderoso para as empresas.