Posts

Metodologia 5S – Veja a sua importância e porque implementar na sua empresa

Já conhece a metodologia 5S ? E como ela é utilizada? Leia este artigo e entenda porque ela é importante dentro de uma organização.

 

O que é o 5S ?

Primeiramente, é preciso explicar que 5S são cinco palavras que vem do japonês os quais formam as iniciais desta metodologia. Elas são: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke, que traduzidas para o português significa senso de utilização, senso de ordenação, senso de limpeza, senso de asseio e senso de auto disciplina.

Sendo assim, foram desenvolvidas com o objetivo de que as empresas pudessem de forma eficaz compreender, capacitar e apresentar bons resultados. Sua aplicação é baseada em ideias simples e que pode estar trazendo diversos benefícios.

Diante disso, este é um programa que pode ser implementado no planejamento estratégico para que alguns aspectos relacionados possam apresentar a melhoria necessária.

1º SENSO – UTILIZAÇÃO (SEIRI)

Primordialmente, o primeiro 5S vem do senso de utilização, este tem como objetivo tornar o trabalho mais útil e menos poluído. Isso se refere tanto ao visual como ao espaço.

Assim sendo, separe tudo que é indispensável ao serviço, eliminando o desnecessário. Veja como fazer:

  • De uso constante: coloque os materiais e equipamentos que você usa freqüentemente bem próximo de você (mesa, bancada, máquina, etc) de forma organizada e de fácil acesso.
  • Ocasional: o que não for usado diariamente coloque um pouco afastado de você, podendo ser guardado em armários, prateleiras, arquivos, em pen drive ou devolvido ao almoxarifado.
  • Uso raro, mas necessário: coloque os materiais, documentos, equipamentos separados, identificando-os num local determinado.

O material desnecessário para o setor pode ser encaminhado para o Arquivo Central, Almoxarifado ou descartado corretamente.

BENEFÍCIO: Se ganha espaço físico e perde-se menos tempo em procurar objetos.

Dessa forma, eliminam-se materiais sem uso e em excesso, além de combater o desperdício e diminuir os acidentes.

Leia também: Por que pensar em planejamento é pensar no sucesso do seu negócio

2º SENSO – ORDENAÇÃO (SEITON)

O segundo senso se refere a ordenação ou organização, sendo que é uma continuação do primeiro, mas agora é a fase da simplificação.  Praticando esse senso, você perceberá que, com tudo organizado e identificado em seu devido lugar a vida se torna mais fácil.

  • Padronize os nomes e coloque etiquetas adequadas nos materiais, objetos, documentos, equipamentos, pastas, arquivos, gavetas, bancadas, etc.
  • Exponha todos os pontos críticos, como: locais perigosos, máquinas que exigem atenção especial, proibido fumar, etc.
  • Coloque cada objeto no local adequado e identificado (quadro de ferramentas, prateleiras, arquivos, etc), pois isso facilitará encontrá-lo quando for preciso.
  • Utilize faixas e placas de sinalização para delimitar os locais de trabalho e os corredores.
  • Mantenha em ordem as bancadas, mesas e a área de trabalho. Não deixe objetos espalhados durante a execução do trabalho.
  • Após o trabalho, não deixe no local objetos espalhados, restos de materiais, sucatas, etc.
  • Sinalize os extintores de incêndio, colocando em local adequado, identificado e deixando a passagem livre.
  • Mantenham limpos, organizados e fechados os armários do vestiário.
  • Não deixe papéis, cartazes, folhas, etc, coladas nas paredes. Use somente o quadro de avisos.
  • Utilizar corretamente os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

BENEFÍCIO: Ganha-se tempo, diminui-se o cansaço físico por movimentação desnecessária, possibilita-se uma evacuação rápida em caso de perigo, rapidez e facilidade para encontrar algum objeto, além de diminuir acidentes.

3º SENSO – LIMPEZA (SEISOU)

Já o senso de limpeza como o próprio nome já diz, consiste na limpeza do ambiente de trabalho, por meio de uma investigação. Ou seja, verificando aquilo que gera sujeiras e imperfeições.

Desse modo, cada Colaborador deve limpar a sua própria área de trabalho e evitar sujar.

  • Não deixe óleo, sujeira, papel, sucata, etc no chão.
  • Não deixe existir vazamento nos equipamentos.
  • Varra todos os dias seu local de trabalho.
  • Recolha lixos todos os dias.
  • Limpe os equipamentos e ferramentas após usá-los.
  • Mantenham limpos os armários do vestiário.
  • Limpe computadores, telefone, armários e demais equipamentos diariamente.
  • Devolva as ferramentas limpas para o almoxarifado, para serem usadas por outro colaborador.

BENEFÍCIO: Purificação dos locais de trabalho, boa aparência, diminuição de doenças e acidentes.

“Não arruma-se a casa só quando vai receber visitas, e sim todos os dias”.

4º SENSO – ASSEIO (SEIKETSU)

Senso de asseio ou padronização consiste na manutenção dos outros para garantir as constantes melhorias.

Refere-se ainda à preocupação com a própria saúde física, mental e emocional. O colaborador deve ter plena consciência dos aspectos que afetam a sua própria saúde.

  • Pratique os 3 sensos individualmente e diariamente.
  • O local de trabalho deve estar bem iluminado e ventilado.
  • Use o uniforme limpo e asseado (Consulto o Manual PEC).
  • Mantenha a boa aparência física, cabelos cortados, unhas aparadas, etc.
  • Mantenham limpos os vestiários, banheiros, salas, refeitórios, auditórios etc.

BENEFÍCIO: Melhora-se o ambiente de trabalho e a produtividade, previnem-se doenças, diminui-se o stress e ainda se traz segurança e boa aparência aos colaboradores.

Veja também:Entenda o que é e como funciona a estratégia Account – Based Marketing

5º SENSO – AUTO DISCIPLINA (SHITSUKE)

Ao chegar no senso de auto disciplina significa que o programa está caminhando perfeitamente.

Pois, descartamos o desnecessário, organizamos o que usamos, limpamos nosso local de trabalho, e nos mantemos limpos, então, não podemos relaxar e deixar bagunçar tudo novamente. Esse senso nos disciplina a cumprir as regras e acertos já feitos.

Se somos desorganizados, mudar é difícil e leva tempo, mas os resultados compensam.

Para praticar o 5 S, devemos ter os seguintes atributos humanos: humildade, confiança, respeito, espírito de equipe e bom humor.

  • Compartilhar visão e valores.
  • Melhorar a comunicação em geral.
  • Ter respeito com o colega de trabalho.
  • Ter criatividade e buscar melhorias para o trabalho.
  • Praticar todos os 5 S, diariamente.

BENEFÍCIO: Melhoria contínua no âmbito pessoal e organizacional, auto inspeção e auto controle.

“Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.

 

Portanto, a metodologia 5S é uma ferramenta que quando utilizada colabora para criação a cultura de disciplina. O qual ainda permite identificar problemas e gerar oportunidades de melhorias para empresas, levando à todos maior compreensão do seu papel na organização.

Devido à isso, as vantagens geral de aplicar o programa 5s são:

  • Melhor qualidade, produtividade e segurança no trabalho;
  • Trabalho diário agradável;
  • Melhoria nas relações humanas;
  • Valorização do ser humano;
  • Cumprimento dos procedimentos operacionais e administrativos;

Assim também, proporciona melhoria na qualidade de vida dos colaboradores não apenas no profissional como também no pessoal.

 

Universidade Corporativa: Custo ou Investimento?

 

Universidade Corporativa: Custo ou Investimento?

A Universidade Corporativa é um sistema estratégico para se obter melhores resultados internos, com o treinamento de colaboradores. Ou seja, é a criação de uma rede educacional para funcionários de uma organização.

Por meio de cursos, palestras, oficinas e workshops, a Universidade Corporativa tem o objetivo de atualizar, treinar, informar e educar colaboradores, assim como disseminar a cultura empresarial. Dessa maneira, é possível construir uma equipe mais preparada para os desafios.

No entanto, quando uma empresa sente a necessidade de desenvolver um ambiente de aprendizado e atualização, há uma preocupação: Afinal, isso será custo ou investimento?

Sendo custo um gasto extra e evitável, enquanto investimento é um gasto que terá retorno futuramente, pode-se afirmar que a Universidade Corporativa é um investimento de curto, médio e longo prazo.

Em outras palavras, após investir em projetos de educação para o funcionários, a empresa pode colher bons resultados em pouco tempo (às vezes, em questão de dias). Depois, os resultados podem ser prolongados para meses e anos, quando esse sistema integra a cultura organizacional.

Leia também: Educação Corporativa porque é importante para as empresas

Universidade Corporativa: Como fazer?

A empresa que pretende iniciar com projetos educacionais para os colaboradores, deve passar por um processo de organização para iniciar com a nova cultura. O processo consiste nas seguintes etapas:

1 – Detectar falhas e carências: Ao notar quais são os pontos fracos de uma empresa ou equipe, é possível criar planos mais assertivos para a melhoria do desempenho. Por isso, líderes e gestores devem pesquisar e entender quais são os obstáculos da equipe.

2 – Planejar: Depois, é importante que haja um planejamento para os cursos e palestras, levando em consideração tempo, agenda, horários, participantes, ministrantes, professores, etc. Além disso, nessa fase devem ser discutidas as metas e as ferramentas de mensuração de resultados.

O planejamento também consiste em compreender quais serão os materiais e equipamentos necessários, bem como espaço físico e ambiente virtual

3 – Divulgar e Comunicar: Parte fundamental de uma Universidade Corporativa é o apoio dos próprios colaboradores. Os alunos devem comprar a ideia de uma nova política educacional na empresa, para que o investimento gere resultados.

A divulgação interna é parte fundamental. Por isso, é importante apresentar as vantagens da Universidade Corporativa não só no campo organizacional, mas pessoal. Afinal, ela também é um desenvolvimento pessoal, um avanço na carreira individual e trará resultados pessoais.

4 – Criar uma política de recompensa: Outra parte importante, atrelada à comunicação, é o incentivo à Universidade Corporativa. Com políticas de recompensas (bônus, prêmios, participações lucrativas, e e, planos de carreiras) é possível motivar ainda mais as equipes.

As regras para isso devem estar claras e serem comunicadas antes da iniciação dos cursos. Os funcionários também devem ter conhecimentos sobre as metas que devem ser atingidas.

Universidade Corporativa em EAD

A Universidade Corporativa ainda pode ser implementada em EAD (Educação à Distância). Ou seja, os cursos podem ser transmitidos online para os colaboradores. Gerando inúmeras vantagens para empresa, tais como:

Redução de Gastos: A empresa irá economizar com aluguel ou compra de equipamentos, coffee break ou contratação de palestras. Além disso, há economias com espaço físico (às vezes, é preciso alugar salas), luz, ar-condicionado, entre outros.

Flexibilidade de horários: Não é necessário parar uma equipe inteira para fazer o treinamento. Os colaboradores podem revezar o tempo de estudo com o tempo de trabalho. Isso irá fazer com que a produtividade continue ativa.

Arquivamento de conteúdo: Com os conteúdos disponíveis na internet, é possível revisitá-los para recordar algo. Sendo assim, o aprendizado é contínuo e pode ser transmitidos para novos contratados.

Universidade Corporativa: Hora de investir!

Com a ampliação do conhecimento do time de colaboradores, é possível que uma empresa tenha melhores resultados, maior margem lucrativa e mais produtividade. Além de poder contar com funcionários mais motivados e competentes em suas áreas de atuação.

A Daexe possui serviços e consultorias em Educação Corporativa, e nosso time de especialistas pode te ajudar a implementar uma Universidade Corporativa na sua empresa.

Entre em contato com a gente!

5 Passos para Estruturar uma Universidade Corporativa

 

Universidade Corporativa: Entenda quais são os passos para estruturar uma

Em um mercado competitivo e acelerado, as empresas que param no tempo ficam para trás. Por isso, é fundamental buscar políticas de atualização e treinamento, como uma Universidade Corporativa.

A Universidade Corporativa é um departamento de educação ao colaboradores, a fim de tornar as equipes mais produtivas, atualizadas e competentes. Sendo assim, a empresa passa a ter outros benefícios, como maior lucratividade e melhor vantagem competitiva.

Em outras palavras, a Universidade Corporativa é um sistema educacional interno de uma organização. São ações instrucionais voltadas para o desenvolvimento humano, a capacitação profissional e a busca por mais conhecimentos técnicos, trabalhando as competência institucionais, técnicas e comportamentais.

Nos tempos atuais, essa cultura de educação se tornou ponto-chave para as empresas. Porque além de promover benefícios monetários e produtivos, uma Universidade Corporativa gera resultados no campo emocional de cada colaborador.

Isso porque promove maior motivação (sentimento de valorização) e melhor integração entre equipes (sentimento de companheirismo). Também desenvolve a parte técnica, dando impulsionamentos para a carreira de cada colaborador, que poderá assumir cargos de chefia futuramente.

Veja também o artigo: Educação Corporativa porque é importante para as empresas

Veja a seguir, os 5 passos para estruturar uma Universidade Corporativa:

Universidade Corporativa: O passo a passo para o sucesso profissional

É possível estruturar uma Universidade Corporativa em apenas 5 passos simples para uma empresa. Eles são:

1 – Análise interna e externa

O primeiro passo para implementar uma Universidade Corporativa é estudar e analisar o mercado externo e as competências internas de uma organização. Assim, é possível elaborar metas e conhecer quais são os pontos fracos da empresa levando em consideração onde ela quer chegar a médio e longo prazo.

Uma dica para esse ponto é fazer uma análise SWOT da empresa. A análise SWOT é uma tabela comparativa entre o mercado externo e a produção interna, ela gera uma análise sobre pontos fortes e carências empresariais.

Com esses relatórios em mãos, os líderes devem começar a pensar em quais equipes devem ser treinadas, quais são os tipos de treinamentos e conteúdos, e como isso tudo deve ser feito.

2 – Planejamento

Após a análise, a empresa deve iniciar o planejamento e criar um projeto. O planejamento deve constar:

  • Responsáveis: Quais áreas ou quais colaboradores serão responsáveis pelo desenvolvimento e a organização de uma Universidade Corporativa?
  • Metas: Qual é a meta que se pretende atingir?
  • Índices de Mensuração: Como o resultado será medido?
  • Gastos: Quanto a empresa irá investir?
  • Materiais: O que será necessário comprar ou alugar?
  • Metodologia: Como o aprendizado será feito (Presencial e Portal Virtual?
  • Conteúdo: O que será ensinado?

3 – Desenvolvimento

O terceiro passo é colocar o planejamento em ação. A Universidade Corporativa começa a sair do papel e ganhar vida. Nessa etapa,  estrutura o Sistema de Educação Corporativa, além  de se pensar em estrutura (física e virtual) e demais recursos.

A equipe responsável começa a traçar esboços e materializar planos anteriores. Com isso é possível ter um panorama sobre o projeto feito e até fazer ajustes, se necessário.

4 – Divulgação

Parte importante da Universidade Corporativa é a comunicação aos colaboradores. Eles devem estar cientes do projeto e entender a importância deles. A empresa deve fazer ações de endomarketing para motivar as equipes a participarem efetivamente dos treinamentos.

Os colaboradores são os maiores interessados nesse novo projeto e são eles quem dão vida a uma Universidade Corporativa. Sendo assim, é fundamental contar com o apoio deles e a participação de todos.

5 – Profissional Especialista

Por fim, é fundamental que a empresa conte com um profissional especialista em Universidade Corporativa. A consultoria e colaboração deixará o projeto mais assertivo, favorecendo o alcance das metas desenhadas.

O profissional irá analisar o projeto, promover melhorias e ampliar sua influência nos resultados da organização. Sendo assim, os caminhos para os objetivos são encurtados e facilitados com a visão de um especialista.

Algumas empresas, como a DAEXE, possui a consultoria em  Educação Corporativa. Esse serviço tem como objetivo fazer com que a empresa passe a lucrar com o seu investimento em educação corporativa.

Especialista em Universidade Corporativa

A Daexe pode te ajudar nessa missão. Entre em contato com a gente e consulte um de nós especialistas em Educação Corporativa!

Conte com a gente!

Plataforma para Cursos a Distância

Você também pode utilizar uma plataforma EAD que permita personalização para poder ministrar cursos a distância para a sua equipe, o que facilita principalmente para empresas com grande números de funcionários.

Como um assessor executivo pode aumentar a produtividade na sua empresa

Assessor Executivo: Veja no que ele pode contribuir na sua empresa

Um assessor executivo é como um estímulo para os empresários que desejam melhorar o seu desempenho ou da sua empresa. O profissional torna-se um “braço direito” da diretoria da empresa para realizar determinadas ações em alta performance.

Além de trabalhar pela própria motivação, o assessor executivo tem pleno conhecimento de gestão e de como alcançar objetivos. Com o senso de auto responsabilidade apurado, ele estimula toda a empresa a crescer também.

Funções do assessor executivo

O assessor executivo pode exercer funções a nível estrategista, evangelizador, gestor ou networker. O que ditará isso é o formato de trabalho e o que fora colocado a cargo dele pela empresa.

Portanto, ele poderá, por exemplo, ser a pessoa que define o tom e o norte das estratégias. Ele enxerga o negócio como um todo – muitas vezes até de fora – e está apto à tomada de decisões. Além disso, pode ser o elo de ligação da diretoria com os funcionários, exercendo papel de líder.

Como gestor, o assessor executivo é capaz de avaliar resultados e desempenhos. É assim que ele pode apontar onde é necessário melhorar a produtividade, por exemplo. Já como networker ele atua como um representante da empresa no mercado.

O que uma assessoria empresarial pode fazer pelo seu negócio

Princípio de Pareto

É essencial que um assessor executivo trabalhe com base no Princípio de Pareto. Isso nada mais significa do que a regra do 80/20. Ou seja, o assessor atenta-se apenas ao que pode gerar resultados positivos à empresa. Isso ocorre pois a regra afirma que 80% dos efeitos é originado de 20% das causas.

Autonomia e independência: marcas do assessor executivo

Tratando-se de um profissional completo para a gestão, o assessor executivo é habilitado a trabalhar de forma independente. Em outras palavras, ele não espera ordens: apenas faz o que é para ser feito. Essa é uma das principais formas para aumentar a produtividade.

Por trabalhar pela motivação própria, o assessor executivo possui também uma gestão eficiente do tempo. É capaz de fazer uso otimizado e inteligente das tecnologias e possui habilidade de gestão documental. Essas três características, em suma, são as principais para que o trabalho seja bem executado.

Apostar em um assessor executivo também é a certeza de que o profissional está em constante aperfeiçoamento. Essa é uma das metas mais importantes na área: buscar sempre estudar mais para alcançar resultados ainda melhores. Como é possível perceber, o assessor executivo possui uma motivação voltada ao desempenho de alta performance.

Assessores e Consultores Executivos: Agentes da transformação organizacional

Vantagens de um assessor executivo

Afinal, por que contar com um assessor executivo na sua empresa? Seja ela de grande ou pequeno porte, o profissional pode ajudá-lo a enxergar todos os potenciais do seu negócio.

Uma das tarefas do assessor executivo é justamente pensar em conjunto com a empresa. Ele não trabalha apenas para o bem dela, mas também junto à ela. Ao invés de um empreendedor ou gestor sobrecarregar-se, pode dividir as responsabilidade com o assessor executivo.

Muitas vezes, por exemplo, é preciso um novo comando aos funcionários da empresa, mas isso demanda tempo. O empresário pode, então, contratar um assessor executivo para essa tarefa. O mesmo pode acontecer em outras áreas da empresa, até mesmo para conquistar novas parcerias no mercado.

O importante no assessor executivo é que ele tenha liberdade para agir na empresa em busca dos resultados desejados. Assim, ele identifica os melhores rumos a serem tomados e, a partir da própria motivação, busca esses resultados. O melhor benefício para o assessor, afinal, é crescer junto com a empresa. É assim que ele comprova a sua excelência e importância para o mercado de trabalho.

O assessor executivo precisa deixar um legado na empresa. Para isso, ele precisa sair da sua zona de conforto e assumir diversas responsabilidades e função mais supervisora. Ele precisa ser proativo na busca de melhorar a motivação e qualificação de todos os colaboradores da empresa. Lembre-se um funcionário motivado é capaz de produzir 40% a mais do que o normal.

Como organizar minha empresa em 7 dias

 

Como organizar minha empresa em 7 dias

Iniciar um negócio requer a união entre conhecimento, gestão e eficiência. Para quem se pergunta “como organizar minha empresa?”, essa resposta pode ser obtida com alguns tópicos.

Para garantir a organização correta da sua empresa, é importante seguir algumas etapas. Isso inclui desde a definição dos valores da sua empresa, como a elaboração de um orçamento estratégico.

 

Modelos de negócios e SWOT

Conhecido como “Canvas”, o Business Model Canvas é, na verdade, uma ferramenta para auxiliar na montagem de um modelo de negócios. Nele, é possível encontrar mapas pré-formatados para serem utilizados na empresa.

A tela do Canvas apresenta os seguintes pontos:

  • Proposta de valor;
  • Parcerias chave;
  • Atividades chave;
  • Relações com clientes;
  • Segmentos de mercado;
  • Recursos chave;
  • Canais;
  • Fontes de renda;
  • Estrutura de custo.

Veja também: O poder da análise SWOT para as empresas

O modelo apresentado pelo Canvas facilita não apenas para o administrador, mas como todos os funcionários. Aliado à análise SWOT, o modelo de negócios potencializa ainda mais a criação da sua empresa.

SWOT é uma sigla em inglês para as seguintes palavras: Forças, Fraquezas, Oportunidades, Ameaças. Elas servem como base para construir as estratégias da empresa, analisando os próprios potenciais e dos concorrentes.

A análise SWOT é uma das melhores ferramentas para identificar no que a empresa deve apostar ou melhorar. Ela identifica as forças, mas também as oportunidades. O seu principal benefício é o fato de oferecer um embasamento para as mudanças.

 

Organizar minha empresa com MVV

O MVV representa Missão, Visão e Valores da sua empresa. Essas palavras buscam fazer a diferença ao contagiar todo o grupo de trabalho. No caso da Missão ela deve definir como o serviço acontecerá ao longo do dia de trabalho.

Já a Visão representa os objetivos, onde a empresa deseja estar no futuro. Normalmente a Visão é definida com objetivos a longo prazo com base nos resultados desejados. Ela é determinante para definir também o foco da empresa para vencer os desafios.

Os Valores, portanto, são associados à ética. Ele será o norteador das ações da empresa com respeito à ética pré-definida. Isso diz respeito tanto ao relacionamento entre funcionários quanto com clientes.

Organizar minha empresa: do mapa estratégico ao orçamento

Um mapa estratégico é uma das etapas que deve ser fundamental quando você pensa: “como organizar minha empresa?”. Através dele você definirá o que é realmente importante para a sua empresa. Ele também permitirá que você avalie o andamento dela rotineiramente.

No mapa estratégico você deverá ilustrar cada área/setor da sua empresa. Assim, aponte os objetivos sob as perspectivas Financeira, dos Clientes, Processos Internos e Inovações e Pessoas.

De fato, você deverá ter um objetivo principal, que deve ser norteador pelo MVV da sua empresa. Pense em cada uma dessas áreas a partir dos recursos que possui e, principalmente, onde a sua empresa deve chegar e como trabalhará para isso.

A sua empresa precisará de foco para atingir as metas desejadas. O ideal é que cada área e colaborador tenha as suas metas bem definidas justamente para não perder o foco. Cada projeto deve ter um objetivo para que possa mapear exatamente os principais processos do negócio e de cada departamento.

Não se esqueça do orçamento estratégico ao organizar a sua empresa. Inclua nele os seguintes itens:

  • Receitas;
  • Despesas;
  • Custos;

 

É importante também que você reavalie esse orçamento pelo menos uma vez por ano. Dessa forma poderá avaliar o andamento da sua empresa com muito mais embasamento.

Você tem certeza que está executando seu planejamento estratégico ?

Política de recompensa aos colaboradores

Os colaboradores são os responsáveis por fazerem a sua empresa progredir. Por isso, lembrar de incluir uma política de recompensa para eles é tão importante.

Procure estipular um tipo de recompensa para o alcance de cada objetivo proposto no plano estratégico. Além de motivar ainda mais a sua equipe, você passará a mensagem de que trata todos igualmente. Essa é uma forma de fazer a equipe trabalhar mais e promover a harmonia.

 

Perguntas & Respostas sobre o Balanced Scorecard

Balanced Scorecard: Confira perguntas e respostas sobre essa importante ferramenta de gestão.

Este artigo foi escrito por Aleksey Savkin e gentilmente cedido para os leitores do blog da Daexe.

Se você perguntar a um profissional de negócios sobre o Balanced Scorecard, em 95% dos casos, você ouvirá que se trata de “equilibrar” os Principais Indicadores de Desempenho dentro de quatro perspectivas. Com essas ideias enganosas, as pessoas começam a implementar a estrutura, não conseguem faze-lo e chegam à conclusão de que o Balanced Scorecard não é para elas.

Segue uma compilação das perguntas mais frequentes sobre o Balanced Scorecard e os KPIs. Esperamos que as nossas respostas o(a) ajudem a trilhar o caminho certo com a estrutura.

O que é um Balanced Scorecard?

Uma resposta curta seria: trata-se de uma estrutura de execução de estratégias. Tendo dito isso, precisamos entender que não há um acordo universal sobre o que é estratégia, ou sobre as formas de rastrear sua execução.

Por vezes, o Balanced Scorecard é definido como um meio de articular a estratégia, traduzi-la para os funcionários de atendimento e garantir que essas ideias sejam executadas com sucesso.

Se escreve “Balanced Scorecard” ou “Balanced score card”?

O termo correto é “Balanced Scorecard” ou “BSC.” Seria errado escrever conjunto de indicadores de desempenho (em letras minúsculas), Conjunto de Indicadores de Performance, BSc, bsc etc.

Quem são os autores do Balanced Scorecard?

A ideia foi sugerida pela primeira vez no início dos anos 90, pelos drs. Robert Kaplan e David Norton. O site do Instituto do Balanced Scorecard é um ponto de referência obrigatória para informações históricas, bem como para conselhos práticos sobre o BSC.

Quem o utiliza?

Qualquer organização tem uma estratégia, mesmo pequenas empresas e pessoas físicas; portanto, com algumas modificações, o Balanced Scorecard pode ser usado por qualquer organização, incluindo organizações sem fins lucrativos. Segundo um estudo do Grupo Gartner, mais de 50% das grandes organizações adotaram o Balanced Scorecard.

Leia também:O poder da análise SWOT para as empresas

Por que as empresas o usam?

A raiz do problema é que o quadro estratégico nas mentes dos gestores de alto escalão não é o mesmo que uma imagem nas mentes dos funcionários de nível de atendimento. Os estudos do Relatório do Conjunto de Indicadores de Colaboração mostram que mais de 95% dos funcionários não entendem a estratégia de uma organização. Isso leva as organizações a uma execução menos eficiente e eficaz.

O Balanced Scorecard supostamente ajuda a resolver esse problema, alinhando metas de nível superior com ações de nível de atendimento e, assim, tornando o processo de execução da estratégia mais rastreável.

Aqui temos mais fatos sobre o Balanced Scorecard, os quais esclarecem o quanto ele é usado e quais problemas ele resolve.

Tem a ver com os principais indicadores de desempenho?

Em suas versões anteriores, parecia mais uma estrutura de medição de desempenho, na qual as medidas (não necessariamente os principais indicadores de desempenho) desempenhavam um papel significativo. Atualmente, as medidas são responsáveis pelo acompanhamento da execução da estratégia, mas eu diria que a parte principal é um mapa estratégico com metas comerciais conectadas por links de causa e efeito. As métricas ainda estão lá, mas elas não são o principal objetivo do jogo.

Quais são os princípios-chave do Balanced Scorecard?

Vou simplificar, mas, ao meu ver, esses são os três princípios mais importantes:

  1. Relação de causa e efeito entre objetivos
  2. Mostrar como o valor do cliente é criado e como ele está vinculado aos objetivos da organização
  3. Alinhamento de medidas e iniciativas com objetivos

Qual é o processo do Balanced Scorecard?

Varia de empresa para empresa e de consultor para consultor. Isso é o que recomendamos para a execução da estratégia, no geral, e para o Balanced Scorecard, em particular.

E se uma empresa tiver um Balanced Scorecard com muitos KPIs, mas sem uma estratégia?

O Balanced Scorecard é um termo que está na moda. Como acontece com qualquer termo que pegou, algumas confusões são inevitáveis. Um conjunto de mais de 100 KPIs não é um Balanced Scorecard, é um indicador de KPI. Seria mais correto chamar essas ferramentas comerciais de um painel ou simplesmente de um indicador de desempenho. Assim, a diferença entre um painel e um indicador de desempenho fica bem clara.

As abordagens são similares às do Balanced Scorecard?

Os executivos de negócios sempre usam uma combinação de várias ferramentas. Existem estruturas que abordam o problema do planejamento estratégico e de execução: Hoshin Kanri, 7-S, OKRs, Geração de Modelos Comerciais (vide o livro de Yves Pigneur e Alexander Osterwald). E, com certeza, existem muitas outras ferramentas de suporte como o SWOT, análise de lacunas, avaliação de riscos etc. Na prática, há sempre uma mistura de diferentes ferramentas de negócios.

Preciso de um software para trabalhar com o Balanced Scorecard?

Na minha opinião, a resposta é “sim”. Caso contrário, corre-se o risco de gastar mais tempo no projeto e ainda enfrentar problemas de motivação. Confira nosso guia de compras para o software de execução de estratégias.

Uma nota de bom senso: antes de acessar as ferramentas de automação, você precisa ter certeza sobre sua estratégia e metas comerciais.

Qual é o maior desafio do Balanced Scorecard? Como resolvê-lo?

De acordo com nossas pesquisas informais, o maior desafio é a motivação para começar a usar e continuar usando o Balanced Scorecard. Neste artigo, discutimos como resolver o problema. Outro grande desafio é encontrar medidas de desempenho adequadas (vide a próxima pergunta).

Como encontrar os KPIs certos para o indicador de desempenho?

Primeiramente, seria recomendável entender a diferença entre métricas, medidas e KPIs. O maior erro seria pegar indicadores de desempenho de alguma lista na Internet. Em vez disso, concentre-se primeiro nas metas de negócios e os indicadores aparecerão naturalmente. Aqui está o processo para os KPIs que recomendamos.

Leia também: Inovação organizacional: Como aplicar na sua empresa

O que é um Balanced Scorecard em cascata?

A ideia de cascata (no caso do Balanced Scorecard também é chamado de “alinhamento”) tem a ver com a tradução dos objetivos do alto escalão para os níveis mais baixos (e vice-versa). A ideia-chave é que o cascateamento é feito por metas comerciais, e não por KPIs. Aqui você encontrará exemplos de algumas abordagens típicas para o cascateamento.

Como usar o Balanced Scorecard para…?

Não há regras específicas para nichos de negócios específicos. As ideias orientadoras que os estrategistas usam para uma empresa de varejo são semelhantes às ideias que se usarão para uma empresa hoteleira. Ainda assim, ter alguns exemplos é sempre uma boa ideia.

Você tem mais perguntas? Sinta-se à vontade para fazê-las nos comentários. E os especialistas da Daexe estão à disposição para tirar qualquer dúvida. 

Método de gestão empresarial: 3 motivos para utilizar um agora!

Em tempo de crise ou não, o mercado vem se tornando cada vez mais competitivo, com o avanço da tecnologia à velocidade da luz e informações disponíveis gratuitamente. Tudo isso proporciona um cenário de oportunidade aparentemente igual para todos. Hoje, porém, já podemos observar que existem empresas que conseguem ter um resultado consistente independente do cenário econômico. Os responsáveis por 75% da consistência desse resultado são os métodos de gestão de negócio eficiente. Normalmente, as empresas que fracassam não têm metas bem definidas, têm dificuldade de identificar um modelo de gestão claro e não possuem a disciplina de seguir uma rotina do método PDCA.

Para esclarecer melhor a importância de ter um método é crucial entender a etimologia das palavras Método e Gestão. A palavra MÉTODO vem do Grego METHODOS, MET- significa em português “META” e -HODOS significa “caminho”. Ou seja, o método é o caminho para alcançar um objetivo ou meta. Na palavra GESTÃO vale observar a definição do guru de gestão brasileiro, Vicente Falconi: gestão é correr atrás da META e alcançá-la de forma consistente e de forma ética. Segundo ele, se você não tem meta, você não está fazendo gestão na sua empresa. Pode estar fazendo qualquer outra coisa, menos gestão.

Sendo assim, podemos conceituar que método de gestão é um caminho, organizado em etapas sequenciadas, para alcançar os objetivos e metas da sua empresa de forma consistente.

Se você ainda não está convencido da eficácia e das vantagens de utilizar um método de gestão, aqui vão três ótimos motivos que lhe farão mudar de ideia:

  1. Melhor desempenho

O método de gestão bem implantado ajuda o empreendedor a alcançar as metas estabelecidas para o seu negócio e um constante crescimento. Todas as nuances da empresa serão analisadas e melhoradas ao seu máximo, buscando a versatilidade e os melhores resultados possíveis em todas as áreas empresariais, como: processos, colaboradores, clientes, finanças, comunicação e etc.

  1. Não precisa reinventar a roda

Não é um tiro no escuro ou um método de tentativa e erro. É um modelo comprovado e eficaz. Com um método de gestão adequado, você tem menos chances de errar, pois todos os cenários possíveis já foram estudados, analisados e testados anteriormente.

  1. Garantia de resultados

Utilizando um método de gestão, as chances de alcançar o resultado pretendido são de 95%. Por serem métodos testados, as chances de alcançar suas metas para a empresa são muito maiores do que deixar ao acaso. Os resultados e benefícios da utilização de uma metodologia na gestão vão desde o primeiro setor da empresa até o destino final: o cliente, garantindo a eficácia do negócio potencializando cada setor individualmente, sempre visando o sucesso total e completo do empreendimento.

O método de gestão utilizado pela Daexe é o BSC (Balanced Scorecard), que foi desenvolvido pelos professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton, em 1992. O BSC é um método de planejamento estratégico que consiste na definição muito clara das metas e estratégias da empresa, com a intenção de  materializar tudo que foi idealizado, ou seja a visão estratégica do negócio e de avaliar o desempenho empresarial por meio de indicadores quantificáveis e verificáveis. A metodologia de gestão BSC leva em consideração os aspectos financeiros, os processos internos, os clientes, e o aprendizado e o crescimento organizacional. Sua forma de aplicação, em relação aos processos internos, procura a satisfação final dos clientes, assim como aprendizado e desenvolvimento constantes.

Agora que você sabe a importância de um método de gestão eficaz aplicado à sua empresa, conte para nós a sua experiência nos negócios e inovações que implementou ou ainda deseja implementar. Estamos à disposição para ajudá-lo em busca do sucesso no seu empreendimento!

Um abraço,

Dekker Jordão F. Baptista

Falência motivacional

O Presidente mundial da Renault, o Brasileiro Carlos Ghosn, o homem que tirou a Nissan da falência e é considerado o Henry Ford do século 21, diz o seguinte:

“A única coisa que faz a diferença é a motivação. Se você perder a motivação, aos poucos você perde tudo.”

O próprio pensamento de Henry Ford nos traz a tona a importância do caminho que escolhemos com foco em motivação e atitude quando disse:

“Se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer forma você estará certo”.

Uma empresa nunca quebra hoje. Quebra cinco anos antes. Não é falência financeira, é falência motivacional. Os motivados enxergam oportunidades nas dificuldades… Os desmotivados enxergam dificuldades nas oportunidades! Os positivos fazem… Os negativos reclamam.

A escolha entre ser otimista ou pessimista é de cada ser humano e construirá toda uma estrada em que ele irá trilhar. 82% das maiores empresas do mundo vieram do “absolutamente nada”, vieram da garra de seus fundadores e do compromisso de suas equipes de trabalho que acreditam no seu talento.

A questão é: O que você está fazendo com suas ideias? O que faz com seus pensamentos? Como anda o planejamento de sua vida e de seu trabalho? O sucesso nos seus empreendimentos depende fundamentalmente da sua motivação.
Vamos trabalhar essa dificuldade? Deixe-nos uma mensagem nos comentários abaixo e seu Assessor Executivo do Daexe entrará em contato.

*Este artigo foi escrito originalmente no Blog Administradores e cedido gentilmente os leitores do Blog do DAEXE.

Os 10 mandamentos dos executivos CAMPEÕES

Faça uma autoavaliação sobre sua performance profissional e aplicação de cada uma destas competências em seu cotidiano, lembrando que, saber e não fazer, é o mesmo que não saber.

1) Preparação: já parou para pensar quantas horas por dia os medalhistas olímpicos treinam? E qual foi a última vez que você participou de um treinamento? Está sempre atualizado sobre a concorrência? Conhece as novas técnicas para aperfeiçoar o que faz? Mark Spitz, nadador e vencedor de 11 medalhas olímpicas certa vez explicou: “Muitos querem ganhar, poucos querem treinar”.

2) Alegria e paixão: já que se dispôs a fazer, faça com excelência. Então melhor fazer com brilho nos olhos, alegria, prazer e paixão. “Encontre um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida.” (Confúcio).

3) Disciplina: fazer o que precisa ser feito, e não fazer apenas o que é cômodo. É preciso atuar e querer mais do que todos os outros. “Você faz suas escolhas, suas escolhas fazem você.” (Steve Beckman).

4) Persistência e comprometimento: apenas 8% das pessoas atingem as metas propostas, ou seja, 92% desistem pelo caminho. “Quem tem um porquê enfrenta qualquer como.” (Viktor Frankl).

5) Superação: quer ser reconhecido como um destaque, saiba que o que é fácil qualquer um faz, já se for difícil, aí é somente para os campeões. “Se não puder se destacar pelo talento, vença pelo esforço.” (Dave Weinbaum).

6) Planejamento: sabe onde quer chegar? Tem isso registrado por escrito? Sabe como, onde e quando vai chegar lá? “Quem falha em planejar, planeja falhar.” (Benjamin Franklin).

7) Trabalho em equipe: os medalhistas costumam valorizar seus líderes, mentores e as pessoas ao seu redor. “O talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos.” (Michael Jordan).

8) Resiliência: a capacidade de ajustar as velas durante o trajeto, de se fortalecer diante das adversidades. “Você pode se lamentar das circunstâncias ou se preparar para as circunstâncias.” (John woode).

9) Motivação: já foi comprovado cientificamente que uma pessoa motivada e otimista rende mais que o pessimista. “Sem motivação os dons mais raros permanecem estéreis.” (Lévy-Leboyer).

10) Foco e intensidade: “Se você pode sonhar, pode realizar.” (Walt Disney).
Quer ver o sonho se concretizar? Ter alguns períodos de euforia e vontade não trará o troféu desejado. É preciso ser intenso do começo ao fim. Se você resolveu fazer algo, que faça com a determinação e o apetite de um verdadeiro campeão.

Ao analisar estas competências, dá para entender que realmente o sucesso não ocorre por acaso e porque algumas pessoas chegam ao pódio e outras ficam no quase. Vamos continuar esta conversa sobre como sair do “quase”, nos comentários abaixo.

*Este artigo foi escrito originalmente no Blog Administradores e cedido gentilmente os leitores do Blog do DAEXE.

DUAS MENTIRAS sobre empreendedores de sucesso que você não deve reproduzir

Quando percebemos o reconhecimento da sociedade perante um empreendedor de sucesso, como Steve Jobs (Apple) ou Bill Gattes (Microsoft), a maioria de nós cai na cilada de interpretar de duas formas:

1) “Ele teve sorte!”
2) “Nunca conseguirei ser como ele.”

Estes dois pensamentos de NEGAÇÃO assombram a visão de muitos empreendedores, os distraindo do principal:

O que estes empreendedores fizeram TODOS OS DIAS para chegarem aonde chegaram?

O sucesso deles não está baseado em sorte ou em sua capacidade “sobre-humana”. O principal desafio destes empreendedores foi a PERSISTÊNCIA, como mostra o vídeo que compartilhamos com você abaixo!

Portanto, quem atribui o sucesso exclusivamente à sorte está cometendo uma grande injustiça, que é ignorar os grandes esforços que o empreendedor de sucesso teve de fazer para chegar aonde chegou: rejeições diárias, traições, críticas, conta bancária vazia, descrença em seu sucesso, entre outros itens de uma lista que não tem fim.

Da mesma forma que você pode se perceber tendo de vencer, no seu dia-a-dia, os mesmos desafios que estes empreendedores de sucesso enfrentaram TODOS OS DIAS, você também deve acreditar que pode sim, chegar aonde eles chegaram, abraçando a PERSISTÊNCIA, TODOS OS DIAS!

Acredite, você carrega em si o dom de ser capaz. Não dê ouvidos às coisas que te fazem pensar em desistir.
Como diz Patrick Bet-David, autor do famoso livro “As 25 Leis para fazer o impossível”:
“No fim, seu sucesso vai falar por si só”

Conte com o DAEXE para realizar este grande sonho que é EMPREENDER. Estamos buscando sempre aprimorar o nosso conhecimento e compartilhar informações, aqui no BLOG, que sabemos que podem te auxiliar na sua caminhada de sucesso!