3 motivos para empresas visionárias adotarem o Balanced Scorecard como seu sistema de gestão estratégica

A maioria das empresas enfrenta um mesmo problema de gestão: definir o que precisa ser feito, planejar e colocar em prática o seu planejamento. Profundamente envolvidos com as atividades do cotidiano operacional da empresa, os gestores acabam por colocar em segundo plano o âmbito estratégico da empresa. Na década de 1990, estudos desenvolvidos pelos professores norte-americanos Robert Kaplan e David Norton demonstraram que 85% dos executivos gastavam menos que uma hora por mês discutindo a estratégia de suas empresas; 60% das empresas não vinculavam orçamentos à estratégia; apenas 25% dos gerentes possuíam incentivos ligados ao alcance da estratégia organizacional e; somente 5% do nível operacional de trabalho tinha conhecimento da estratégia da empresa.
Kaplan e Norton perceberam que as empresas estavam sendo conduzidas a partir de olhares que remetiam ao seu presente e ao seu passado, mas com pouca dedicação a planejar o futuro. Para solucionar este gargalo que engessava as empresas de elaborarem um planejamento de longo prazo, eles desenvolveram uma ferramenta de Gestão Estratégica que se tornou conhecida pelo nome Balanced Scorecard ou BSC. Neste artigo, mostramos algumas das vantagens que tem tornado este método tão conhecido e amplamente aderido por empresas visionárias, no Brasil e no exterior.

Mapa Estratégico

A implementação do Balanced Scorecard é feita a partir da tradução da estratégia em um mapa estratégico, no qual ficam ranqueados os objetivos estratégicos do empreendimento, acompanhados de metas e indicadores necessários ao alcance de cada objetivo descrito.
O mapa facilita que o Planejamento da empresa saia do papel porque permite monitorar o desempenho de todas as partes envolvidas no desenvolvimento da empresa em direção aos objetivos estratégicos, sendo possível avaliar periodicamente o processo de implementação e revisar/ ajustar as estratégias, sempre que for identificado algum desvio. Por esta habilidade, o BSC conseguiu preencher a lacuna antes deixada pela grande maioria dos sistemas gerenciais, que é a falta de um processo sistemático para implementar e obter feedback sobre as estratégias utilizadas.

Mobilização integral da empresa em direção à estratégia

A implementação do BSC envolve intensamente todas as partes da empresa. Todos os departamentos, setores e colaboradores são conectados no mapa estratégico definido. A cada uma das partes são delegadas tarefas e funções que se conectam aos objetivos estratégicos e às metas, e todos envolvidos ficam mais cientes a respeito de sob quais condições a sua função ou cumprimento de certas atividades na empresa colaboram para a que a instituição alcance seus objetivos de curto, médio e longo prazo.
Por isto, o BSC consegue gerar um clima de mobilização de lideranças para iniciar um processo de mudança cultural e proporciona maior engajamento dos colaboradores. O alinhamento da toda a organização e dos processos à estratégia permite a criação de um ambiente altamente produtivo, que gera motivação, conscientização e educação do comportamento das pessoas em direção à estratégia da empresa.

Foco na estratégia de longo prazo

O BSC permitiu materializar estratégias de longo prazo nas empresas, sustentadas a partir de um sistema de gestão, comunicação e medição de performance que abrange e inter-relaciona todos os níveis da organização. Este método foi revolucionário por agregar ao indicador financeiro, outros indicadores de gestão de desempenho que conseguem medir ativos intangíveis das empresas, os quais geram valor para a instituição a longo prazo, como seu nível de organização, suas habilidade e competências, sua tecnologia da informação, entre outros atributos intangíveis da empresa que tornam maior o seu valor de mercado a curto, médio e longo prazo.

Faça seu comentário e compartilhe conosco a sua opinião ou a sua dúvida sobre esta visionária estratégia de gestão empresarial!

Deixe seu comentário: