balanced scorecard BSC

Gestão financeira por fluxo de caixa e por competência

 

Gestão financeira: por fluxo de caixa e por competência

Ricardo é um empresário que investiu todo o seu dinheiro em uma empresa nova de comunicação. A agência administrada por ele conquistou inúmeros clientes logo no primeiro ano, contudo, a gestão financeiro ainda o preocupa. Embora lucre com os vários clientes, ele não sabe para onde o seu dinheiro está indo. O problema de Ricardo está, de fato, na má gestão financeira.

Como ele, muitos empresários não entendem as diferenças entre gestão por fluxo de caixa e por competência. Para ver os lucros do seu negócio e administrá-los com sabedoria é preciso ter conhecimento de ambas práticas.

Gestão financeira por fluxo de caixa

Esse tipo de gestão considera todas as transações financeiras somente no dia em que ocorrem. Se o Ricardo precisar pagar a parcela de computadores novos em 30 dias, considera-se a segunda somente em 60.

O que acontece é que tanto as receitas quanto os custos são contabilizados somente no mês em que são pagos/recebidos. Essa seria a gestão ideal apenas para quem observa a movimentação financeira. Entretanto, esse tipo pode levar a dívidas em algum mês por meros descuidos caso você se esqueça de alguma despesa.

 Plano de contas gerencial: Como elaborar e personalizar para minha empresa

Gestão por competência

No caso da gestão por competência ela é obrigatória pela legislação brasileira para empresas de médio e grande porte. Esse tipo de gestão, que também pode ser executada por pequenas empresas, facilita a análise financeira e patrimonial. Ao contrário da gestão por fluxo de caixa, ela contabiliza tanto despesas quanto receitas.

Se o Ricardo comprar computadores novos para a sua agência, a despesa será contabilizada no dia em que ocorreu. Assim, a cada mês não é necessário acrescentar aquela despesa novamente.

Powered by Rock Convert

A gestão por competência facilita muito também a geração de relatórios financeiros. Graças a ela é possível apresentar com muito mais clareza os indicadores econômico. O Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) é um desses exemplos. Ele é um dos relatórios mais completos de gestão e só é possível a partir desse tipo de gestão financeira.

Gestão por fluxo de caixa versus Gestão por competência

É preciso ter muita atenção às diferenças entre cada um dos tipos de gestão financeira abordados. Quando você deseja medir resultados, deve considerar tanto lucros quanto despesas e ainda a depreciação. Nesse caso, utiliza-se sempre a gestão por competência.

A grande diferença é que a gestão por fluxo de caixa não considera-se a depreciação. Ele não é menos importante, que permite a realização do Demonstrativo de Fluxo de Caixa. Entretanto, olhar apenas para os lucros pode induzir a erros como o de Ricardo em sua agência.

O ponto positivo da gestão por fluxo de caixa é o gerenciamento da liquidez do negócio, porque às vezes, a empresa tem uma rentabilidade boa, ou seja, dá lucro, mas não tem capital de giro à curto prazo para pagar contas.

A gestão por competência é a marca de empresas bem administradas. É ela que permite saber os lucros, prejuízos e toda situação econômica da empresa a qualquer momento. O ponto positivo desse sistema é a visualização da estrutura financeira da empresa. Se está correta ou não e qual modelo de negócio faz mais sentido para seu negócio.

O risco de uma gestão por fluxo de caixa aumenta a curto prazo. Apesar de a empresa ter lucro, basear-se apenas nisso não oferece uma visão completa dela. É por isso que o Ricardo, no caso, não consegue ver para o seu dinheiro está indo. É preciso ter uma visão completa para saber qual o seu capital de giro exato.

Por outro lado, a gestão por competência é fundamental quando se pensa no futuro da empresa. Se o Ricardo desejar expandir a atuação e criar um novo setor, precisará analisar criteriosamente. Os dados que podem dar embasamento para saber se é possível investir ou não são encontrados justamente nessa gestão.

Obviamente, um bom gestor precisa ter conhecimento e utilizar de ambas gestões para o sucesso da sua empresa. Erros como o de Ricardo concentram-se quando o foco está apenas nos lucros. Uma gestão financeira por competência surge, então, para equilibrar essa balança e dar mais segurança ao gestor e à empresa.

 

Autor

Fundador e CEO da Daexe Assessoria Executiva. Administrador e Especialista em BSC.

Deixe seu comentário:
5 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] não houver capital de giro, a empresa vai recorrer aos empréstimos bancários, e passará a seus credores parte de seus bons […]

  2. […] Leia também: Gestão financeira por fluxo de caixa e por competência […]

  3. […] Leia também: Gestão financeira por fluxo de caixa e por competência […]

  4. […] Veja Também: Gestão Financeira por fluxo de caixa e por fluxo de competência […]

Os comentários estão fechados.